Dicas para disputar (e terminar) uma maratona de MTB

HomeCompetiçõesMountain bike

Dicas para disputar (e terminar) uma maratona de MTB

Marcio Ravelli ensina o caminho das pedras para provas longas

 

O sonho de todo bom corredor de rua é participar, e terminar bem, uma maratona. No universo do mountain bike, esse sonho não é diferente. Participar de provas longas é o objetivo maior de todo bom biker.

Em agosto de 2003 a UCI (União Ciclística Internacional) organizou pela primeira vez o Campeonato Mundial de Maratona de Mountain Bike, em Lugano, na Suíça, que teve como campeão o atleta daquele país Thomas Frischknecht.

O objetivo de uma corrida extensa como uma maratona de mountain bike é testar a resistência dos competidores em condições extremas. E provas de grande extensão têm crescido bastante na Europa e Estados Unidos.

A Maratona Des Dolomites foi criada na Itália em 1987 e reuniu apenas 167 competidores para percorrer 175 km de montanhas. No ano 2000 eram 7 mil participantes e em 2003, os participantes eram mais de 8 mil.

DICAS DO CAMPEÃO

O paulista onze vezes campeão brasileiro de mountain bike, Marcio Ravelli,  dá algumas preciosas dicas para os internautas do Bikemagazine.

Experiência é o que não falta para o piloto. Acompanhe as dicas de Marcio Ravelli para se dar bem em provas longas.

Marcio Ravelli

Treinamento
Recomendo pelo menos dois meses de treino para qualquer pessoa que deseja participar e terminar uma prova longa. Eu sugiro treinos com quilometragem de até 40% acima da extensão da prova. Em provas com duas etapas, escolha sempre a quilometragem do dia mais longo para se basear. É necessário que o ciclista faça bastante quilometragem para habituar o corpo às condições que vai enfrentar na prova. Ciclistas iniciantes (1-2 anos no mountain bike) devem começar a treinar pelo menos com 4 meses de antecedência à prova.

Deve-se tomar o cuidado para evitar lesões musculares. A intensidade não é o mais importante no início do treinamento. Comece sempre gradualmente e vá aumentando as quilometragens. Na semana da prova o atleta deve descansar bastante e no máximo deverá fazer alguns giros e tiros até a quarta-feira. Na quinta e sexta-feira, a ordem é descansar para chegar bem no dia da prova.

Simulação
Uma boa idéia é fazer treinos simulados. São treinos o mais parecido possível com a prova real que você vai encarar. Assim, para participar de determinada Maratona, o ideal é fazer um treino simulado de dois dias de treino seguidos (um final de semana, por exemplo) com a distância, o terreno, o horário e o relevo bem parecido com a prova.

Não adianta fazer a simulação em temperatura fria e chuvosa para quem vai correr uma prova no Nordeste brasileiro, por exemplo. Quanto mais próximo dessas condições for o treino simulado , melhor. Procure treinar com a mesma roupa, capacete, equipamentos, mochila e tudo o mais que você pretende usar na prova de verdade. Quanto mais parecido, melhor.

Hidratação
Provas longas disputadas em terrenos duros e com altimetria desafiadora consumem muito o atleta. Esteja preparado. A hidratação deve começar dias antes da prova. Beba bastante água e também isotônicos. Uma opção é beber água adicionada à Maltodextrina, que é carboidrato na forma líquida e vai aumentar as reservas de glicogênio no músculo. Na véspera da prova o isotônico deve ser deixado de lado e a hidratação continua somente com água, pois o sódio e outros sais podem interferir no desempenho durante a prova.

Alimentação
A alimentação da semana de prova deve ser à base de bastante carboidratos (massas, arroz, batatas, frutas, sucos). As proteínas de origem animal devem ser evitadas nos dias anteriores à prova e as fibras também, pois essas fibras estimulam o funcionamento do intestino e, com a tensão da prova, é comum ciclistas terem vontade constante de irem ao banheiro.

Equipamento
Eu utilizo uma bike full suspension (Scott Spark) com trava na suspensão dianteira e multi-regulagem na traseira e acredito que este tipo de bike leva muita vantagem nesta modalidade de prova. Ele me dá todo o conforto necessário e, ao mesmo tempo, tenho todas as vantagens de uma bike rígida.

É essencial que a bike esteja em excelentes condições de uso com tudo revisado e funcionando perfeitamente. Recomendo o uso de pneus bem novos e com cravos. Pneus do tipo slick e semi-slick podem causar problemas em meio a tantas pedras, especialmente em terrenos pedregosos.

Manutenção
Em provas por etapas, assim que terminar o primeiro dia, o atleta tem que se preocupar em deixar a bike em ordem para a manhã do dia seguinte. Eu recomendo que cada ciclista tenha uma pessoa de confiança (amigo ou parente) que faça a manutenção da bike. O competidor estará cansado e vai precisar se recuperar.

Basicamente a bike deverá ter a relação lavada e lubrificada, especialmente em regiões ricas em minérios corrosivos. Outros pontos a serem checados é o estado dos pneus (verificar se não há cortes), o aperto dos raios e o funcionamento de freios e câmbios. Na hora de lavar a bike qualquer torneira serve. Já lavei bikes até no chuveirinho de quartos de hotel. Para profissionais, a bike deve estar sempre limpa e brilhando na largada.

Comida e água
Em uma prova longa, sob forte calor e ritmo acelerado, nosso corpo não manda aviso quando vai faltar combustível. Ele simplesmente “apaga” de uma vez. Já vi isso acontecer muitas vezes. Portanto, o ideal é estar muito bem abastecido de água, isotônico e comida.

Eu levo uns 10 sachês de carboidrato em gel, banana passa e barras de cereais. Não espere nunca para ter fome ou sede e vá consumindo os alimentos e a água no decorrer da prova. Eu levo minha mochila de hidratação cheia de isotônico e água mineral eu levo na caramanhola. Prefiro levar a mais a ter que pedir para um adversário.

Pós prova
Após o primeiro dia de prova o piloto deve descansar o máximo que puder. Uma massagem profissional é o mais indicado, além é claro, dos alongamentos. Procure se informar com a organização do evento se há massagistas no local. A hidratação deve ser bem cuidada e os isotônicos podem ser consumidos à vontade. O jantar deve ser bastante rico em carboidratos. Massas caem muito bem. Relaxe e descanse bem.

Imprevistos
Eu sempre levo comigo uma chave de corrente, um manchão para reparos em pneus, duas câmaras de ar sobressalentes, um canivete multi-ferramentas e uma bomba de CO2, com três cilindros de refil.

Meu mecânico adapta em minha bike uma seringa com lubrificante, ligada a uma mangueira que quando acionada derrama óleo sobre a corrente. Assim, não preciso parar para lubrificar a corrente. É fácil de fazer e funciona bem.

Iniciantes
E por fim, Ravelli completa com uma dica para os que vão participar pela primeira vez de uma prova longa de maratona:

“O correto é imaginar que a prova vai ser bem mais dura do que você pode agüentar. Leve o dobro de comida e água que você imagina. Faça uma boa adaptação de treino e de clima. O calor e o relevo serão os maiores adversários de você em provas como essa. O uso de bons óculos são fundamentais para a proteção e conforto do ciclista. Eu recomendo o uso de luvas de dedos longos, pois protegem bem mais, se necessário molhe-as com água para refrescar as mãos”.

ESCOLHA SUA PROVA

PROVA
COMO É
Cerapió Disputada no mês de janeiro, a largada se alterna entre o Piauí e o Ceará e o nome da prova muda conforme a largada: Cerapió ou Piocerá. São várias etapas. Participam também picapes, carros, jeeps e quadriciclos. Site: www.piocera.com.br
Power Biker Realizado pela Associação Sampabikers, a prova nasceu em  Passa Quatro (MG), no alto da Serra da Mantiqueira, mas também já foi realizada em Cunha e em 2011 em Caconde (SP). Tem percursos de diferentes dificuldades. O ponto forte da prova é a boa organização. Site: www.sampabikers.com.br
Desafio da Mantiqueira Dura prova de um dia realizada em Campos do Jordão (SP), na Serra da Mantiqueira, desde 2001. Site: www.desafiodamantiqueira.com.br
Big Biker Campeonato com três etapas de provas de maratona realizados no Vale do Paraíba e também em Itanhandu (MG). Site: www.bigbiker.com.br
MTB 12 Horas Não é exatamente uma prova de maratona, mas é sem dúvida uma prova de resistência. A prova começa à meia-noite e só termina no meio-dia, 12 horas depois. Pode ser disputada na categoria Solo, Duplas, e equipes, inclusive equipes mistas. O evento serve como uma grande festa de confraternização de final de ano no mountain bike. Site www.sampabikers.com.br
Campeonato Brasileiro de Maratona A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) organiza todo ano uma etapa única do Campeonato Brasileiro de Maratona. O local e a data variam a cada ano. Site: www.cbc.esp.br
Desafio Estrada Real Realizado pelos mesmo organizadores da antiga Copa Internacional, a prova estreou no calendário em 2005 e é um grande sucesso que reúne mais de mil atletas. Site:
www.cimtb.com.br
Maratona dos Canaviais Prova com 100 km de extensão realizada nos canaviais da região de Ribeirão Preto pelos mesmos organizadores do Campeonato Interestadual de MTB. Site: www.tripadventure.com.br
Volta a SC em MTB Uma das poucas volta de mountain bike por etapas no mundo válida pela UCI. É realizada cada ano em um local da bela Santa Catarina. Vale a pena se federar para enfrentar esse desafio. Geralmente tem entre 3 e 5 etapas no segundo semestre, normalmente no feriado do dia 12 de outubro. Site: www.ciclismosc.com.br
Brasil Ride Prova criada em 2010 pelo português Mario Roma no rastro da famosa Cape Epic e similares. Em 2010 foi realizada nas proximidades da Chapada Diamantina, na Bahia, e reuniu pouco mais de 200 competidores, inclusive estrangeiros. Site: www.brasilride.com.br
Maratona Ravelli Criada pelo 11 vezes campeão brasileiro de cross country Marcio Ravelli, o campeonato tem três etapas e é realizado na região de Itu, terra natal de Ravelli. Site:
www.gpravelli.com.br

NO EXTERIOR

PROVA
COMO É
Transalp A prova é disputada nos Alpes e famosa pela incrível quantidade de subidas. São oito dias de prova e a competição atravessa vários países. Site: www.transalpchallenge.com
Cape Epic Considerada a mais difícil e longa prova de mountain bike por que se tem notícia, é realizada na África do Sul desde 2004. São 900 km e muitas dificuldades no coração da selva africana. Virou febre entre brasileiros. Site: www.cape-epic.com