Período de base: a importância do alicerce do treinamento

HomeTreino

Período de base: a importância do alicerce do treinamento

O período de base é o momento quando o corpo fará as primeiras adaptações para aguentar as cargas de treinamento do período de competição

Por Marcelo Hendel – www.vm3.esp.br

O período de base é o momento quando o corpo fará as primeiras adaptações necessárias para aguentar as cargas de treinamento do período de competição por isso não devemos submeter o nosso organismo a uma sobrecarga muito alta, uma vez que ele ainda não está condicionado para tal.

A sobrecarga pode ser baseada tanto pelo volume quanto pela intensidade portanto no período de base devemos optar pelo volume já que o organismo responderá melhor pois a intensidade dos exercícios é relativamente baixa e conseguiremos realizá-los sem grandes problemas.

O importante é avaliar a intensidade da atividade

As principais adaptações ocorridas no período de base são as seguintes:

1) Aumento no número de hemácias no sangue;
2) Aumento da capilarização dos músculos;
3) Aprimoramento do gesto técnico.

1) O aumento do número de hemácias: o exercício prolongado é um estímulo para que isso ocorra, se você realizar um hemograma num atleta e comparar com um indivíduo sedentário com certeza o atleta terá muito mais hemácias do que o indivíduo comum, esse aumento proporcionará um sangue mais oxigenado para o músculo.

Explicando: As hemácias são as estruturas do sangue responsáveis pelo transporte do oxigênio para os tecidos com o aumento delas conseqüentemente o oxigênio chegará com mais facilidade no músculo.

Exercícios estimulam rede vascular dos músculos

2) Aumento da capilarização dos músculos: o exercício também é um estímulo para que se aumente a rede vascular dos músculos, ou seja o fluxo sanguíneo intenso provoca um aumento no número de capilares nos musculares aumentando assim o número de caminhos para que o sangue chegue no músculo, chegando mais sangue logo chegará mais oxigênio, o que é importante para o exercício já que o metabolismo aeróbio é o mais econômico para o organismo.

Explicando: Imaginemos um cinema, se tivermos uma rua apenas para chegar até ele, na hora da sessão haverá um congestionamento no transito e as pessoas não conseguirão chegar a tempo de assistir ao filme todo certo? Pois é, o exercício faz com que se aumente o número de ruas para se chegar até o cinema e um maior número de pessoas assistam o filme todo ou seja, aumenta os caminhos para que o sangue chegue mais efetivamente durante o exercício e conseqüentemente aumentando a oxigenação do músculo.

3) Aprimoramento do gesto técnico: muitos atletas não dão a devida importância ao gesto técnico bem executado, um atleta que tem uma técnica de movimento boa economiza energia pois quando não se tem uma técnica correta utiliza-se músculos acessórios aumentando assim o gasto energético.

Quando um movimento é bem executado são utilizados somente os músculos responsáveis por determinado movimento, ou seja, as articulações trabalham no seu eixo correto de movimento minimizando a ação de outros músculos que ajudam a estabilizar um movimento “incorreto” o que resulta em economia de movimento e conseqüentemente aumento de rendimento.

Explicando: O aprimoramento da técnica é importante para que o organismo organize os estímulos nervosos das vias motoras de modo a “educar” todos os músculos que serão utilizados para o gesto desejado, melhorando a sua resposta durante a ação.

Bom pessoal, acredito que esse texto possa dar uma clareada nas idéias quando vocês forem organizar a próxima temporada, já que uma boa base pode ser a chave do sucesso para uma boa temporada.