IRONMAN FLORIPA: Eduardo Sturla é tetra. Americana vence no feminino

HomeCompetições

IRONMAN FLORIPA: Eduardo Sturla é tetra. Americana vence no feminino

O argentino Eduardo Sturla garantiu o tetracampeonato no domingo, em Florianópolis (SC), e conquistou o status de maior vencedor da história. Ele completou a prova em 8h15min03s. A carioca Fernanda Keller ficou na quinta colocação entre as mulheres.

O Ironman Brasil já tem seu maior vencedor da história. O argentino Eduardo Sturla garantiu o tetracampeonato no domingo, na praia de Jurerê Internacional, em Florianópolis (SC), e conquistou o status de maior vencedor da história. Ele completou os 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42,1 km com o tempo de 8h15min03s.

O segundo lugar ficou com o brasileiro Guilherme Manocchio, de Curitiba (PR), que fechou a prova em 8h17min20seg. Outro argentino, Ezequiel Morales, vice no ano passado, ficou com o terceiro lugar.

Amy Marsh

No feminino, a norte-americana Amy Marsh estreou na prova com vitória. Ela completou com o tempo de 9h09min39seg, seguida por Lucie Zelenkova, da República Checa, 9h16min14seg, e pela brasileira Ariane Gomes Monticeli, com o tempo de 9h19min15s. Foi a quarta conquista de Marsh em provas deste gênero nos últimos três anos. Destaque para o quinto lugar da carioca Fernanda Keller, com cinco títulos do Ironman Brasil.

A 11a edição do Ironman Brasil começou em grande estilo. Ao nascer do sol em Jurerê Internacional, 1.823 triatletas de 34 países largaram para mais um dos mais difíceis desafios do esporte mundial.

Na areia, milhares de pessoas acompanharam o início da disputa com muita animação, sem se importar com a brisa fria da manhã na capital catarinense. A possibilidade de ver de perto alguns dos melhores nomes do triatlo mundial, bem como prestigiar parentes e amigos, motivou o público.

Para Carlos Galvão, diretor-geral do Ironman Brasil, a competição teve, mais uma vez, resultado positivo.

“Nossa análise é de mais um sucesso que, sem dúvida nenhuma, demonstra a consolidação deste que é o maior evento de triatlo da América Latina.Ainda perseguimos o titulo brasileiro no masculino, que está cada vez mais próximo”, destacou.

Eduardo Sturla

Quarto profissional a completar a natação, com o tempo de 49min,29seg o tricampeão Eduardo Sturla parece não ter sentido o desgaste e o pouco tempo de recuperação desde sua última prova, o Ironman da África do Sul, em abril. O triatleta assumiu a ponta no ciclismo e passou a brigar pela ponta com seu compatriota Oscar Galindez, também detentor de três títulos na prova, e o brasileiro Guilherme Manocchio, do Paraná.

Ao final dos 180 quilômetros de ciclismo, Eduardo Sturla manteve a ponta, saindo para o trecho final, 42,1 km de corrida, com mais de cinco minutos de vantagem para Manocchio, que tomou o segundo lugar de Galindez. Cris MacDonald, foi o terceiro a iniciar a corrida, 10min56seg atrás do líder. Ezequiel Morales (ARG), e o brasileiro Santiago Ascenço completaram a lista de cinco melhores no ciclismo.

Na corrida, o que se viu foi uma briga incrível. De um lado, Sturla tentando vencer o cansaço em razão do grande esforço. Do outro, Guilherme Manocchio buscando o adversário e a primeira vitória nacional no evento. Apesar do grande esforço do brasileiro, que chegou a reduzir a diferença de cinco minutos para apenas 25 segundos, no final valeu a grande experiência e técnica do argentino, que garantiu seu quarto título e se tornou o maior vencedor do Ironman Brasil.

“Isto aqui é algo incrível. Não poderia imaginar que conseguiria, mas é um prêmio por todo o sacrifício que fiz. Para você conseguir algo diferente precisa fazer algo diferente. Por isso treinei mais. Estava muito cansado e pensei que não fosse chegar. De qualquer forma, estou feliz por entrar para a história da competição, pois não é fácil ganhar quatro vezes uma competição como esta”, afirmou Sturla.

Ao lado do tetracampeão, o brasileiro Guilherme Manocchio também não escondia a emoção. Sétimo colocado no ano passado, ele veio este ano para melhorar sua participação e quase quebra a hegemonia estrangeira na disputa masculina do Ironman Brasil

“Treinei cinco meses, especialmente o ciclismo, pois tinha sido minha deficiência. Isso rendeu muito e consegui sair em segundo na corrida, onde me sinto mais à vontade. Tentei forçar nos últimos quilômetros, mas sofri muito com dores”, afirmou o Curitiba Manocchio, de 28 anos. “Foi uma das maiores alegrias da minha vida”, completou.

Feminino

Entre as mulheres, a norte-americana Amy Marsh dominou praticamente de ponta a ponta. Ela saiu da água em terceiro, atrás de Zelenkova e Biscay, mas com cerca de seis minutos de ciclismo assumiu a ponta para não deixar escapar a vitória.

“Foi uma prova bastante dura e o que foi determinante foi o ciclismo, já que não sai bem da água. Adorei estar aqui, pois o público te apoia o tempo todo e não para de gritar”, adorei isso.

“Eu quis participar no ano passado, mas perdi o prazo de inscrição. Por isso, este ano fiz em dezembro de 2010”, explicou a campeã.

Ariane Gomes Monticeli

A brasileira Ariane não mediu esforços para este terceiro lugar. Tanto assim, que terminou a prova com muitas dores e teve de ser atendida pelos médicos da prova. “Cheguei bem mal, fruto do esforço. Fiz uma preparação forte para a prova e esperava chegar entre as três. Mantive a concentração o tempo todo e acabei fazendo minha melhor maratona. Estou bastante feliz com o resultado”, disse a terceira colocada, que começou a praticar triatlo em 2005 e já completou cinco Ironman.

Os melhores entre os profissionais foram os seguintes:

Masculino
1) Eduardo Sturla (ARG), 8h15min03seg
2) Guilherme Manocchio (BRA), 8h17min20seg
3) Ezequiel Morales (ARG), 8h21min40seg
4) Santiago Ascenço (BRA), 8h26min15seg
5) Chris Mcdonald (AUS), 8h26min24seg

Feminino
1) Amy Marsh (EUA), 9h09min39seg
2) Lucie Zelenkova (CZE), 9h16min14seg
3) Ariane Gomes Monticeli, 9h17min25seg
4) Hillary Biscay (EUA), 9h35min05seg
5) Fernanda Keller (BRA), 9h49min54seg

Mais informações no site www.ironmanbrasil.com.br