Caloi anuncia o mais ambicioso projeto do ciclismo brasileiro

HomeCompetições

Caloi anuncia o mais ambicioso projeto do ciclismo brasileiro

Empresa passa a patrocinar duas equipes e investirá R$ 25 milhões no esporte até 2016

Fotos de divulgação

Nicolas Sessler, Sherman Trezza e Henrique Avancini na apresentação da Caloi

Márcio May e Marcio Ravelli voltam à Caloi e vão fazer dupla na Brasil Ride

A Caloi anunciou nesta quarta-feira (12 de dezembro) o projeto mais ambicioso do ciclismo brasileiro. A empresa passa a patrocinar duas equipes de diferentes modalidades no esporte: ciclismo de estrada e ciclismo de pista. O investimento total no projeto será de R$ 25 milhões até 2016.

Pela primeira vez em sua trajetória, a marca será responsável não só por patrocinar, mas também por gerenciar uma equipe de mountain bike, que levará o nome Caloi Elite Team. Composta por três atletas (Henrique Avancini, Nicolas Sessler e Sherman Trezza), além de disputar as principais provas nacionais, a equipe terá a licença Pro-Continental (UCI), com aval da CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo), e deverá competir em provas internacionais.

Outra grande surpresa do mountain bike é o retorno do paulista Marcio Ravelli à casa Caloi. Ravelli já defendeu a equipe, entre 2004 a 2007, e conquistou vários títulos importantes. Ele vai pedalar ao lado do catarinense Márcio May, que também integrou a equipe Caloi durante 7 anos (1993-1999), na próxima edição da ultramaratona Brasil Ride. Ambos têm 40 anos.

Equipe de Pindamonhangaba vai receber o apoio da marca Caloi

Para o ciclismo de estrada, o novo patrocínio é na equipe de Pindamonhangaba – Team Cycling – Funvic – Brasil Invest – Caloi – Pindamonhangaba. Com 20 membros –incluindo os dois atuais campeões brasileiros, Otávio Bulgarelli e Luciene Ferreira da Silva, a equipe contará com uma grande estrutura para que possa vencer todas as competições que dispute.

No ciclismo de pista, em parceria com o Movimento LiveWright, a Caloi mantém uma equipe permanente da modalidade. Esse patrocínio, que se iniciou no primeiro semestre de 2012, tem como foco revelar novos nomes para o esporte e ajudar o Brasil a se desenvolver na modalidade. No momento, o projeto de renovação desse patrocínio está em fase de revisão devido o fato da confirmação do fim do velódromo do Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca.

“Sempre investimos no ciclismo, mas enxergamos que este é o momento de apoiarmos com mais força o esporte no País. O Brasil hoje é o centro do universo quando o assunto é esporte, pois abrigaremos os próximos grandes eventos esportivos, e essa é uma grande oportunidade para ajudarmos o ciclismo a se desenvolver, ganhar novos atletas e fãs. Tenho certeza que com a formação dessas equipes teremos grandes conquistas dentro e fora das competições, pois não buscamos apenas títulos, mas também o crescimento do ciclismo e, consequentemente, um maior reconhecimento por todos os públicos”, comenta o presidente da Caloi, Eduardo Musa.

“Os atletas das três equipes Caloi estão em ascensão. Espera-se que em 2016 eles já estejam com o que chamamos de ‘maturidade olímpica’, competindo de igual para igual com os outros países em busca de um lugar no pódio”, explica Musa.

História
Com 115 anos, a Caloi é uma empresa com história de sucesso em patrocínios esportivos. Em 1994, venceu o Paris Roubaix com Andrei Tchmil pela equipe belga Lotto-Caloi. A mesma equipe também venceu em 1994 o GP Wallonie com Peter Farazijin. Com atletas brasileiros patrocinados pela empresa, a melhor marca ocorreu em 1992, nos Jogos Olímpicos de Barcelona, quando o ciclista Wanderley Magalhães obteve a 28ª colocação.