Disputa da Copa América de Bicicross movimenta Paulínia

HomeCompetições

Disputa da Copa América de Bicicross movimenta Paulínia

Bikers de seis países participam das provas até domingo

Foto Edgar Castellón / Divulgação

Copa América de Bicicross tem 84 pilotos no masculino, que brigam por 55 vagas

Bikers do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Nova Zelândia disputam nesta quarta-feira (6 de fevereiro), na pista do Conjunto Poliesportivo Monte Alegre, em Paulínia (SP), a oitava edição da Copa América de Bicicross. São 64 pilotos no masculino e 14 no feminino brigando pelos títulos. A programação de baterias começa às 9h30, com entrada franca.

Nesta terça-feira (5), aconteceram as classificatórias. Participaram 84 pilotos no masculino, brigando por 55 vagas na Prova Principal, juntando-se aos nove pré-classificados (quatro primeiros brasileiros do ano passado e os cinco estrangeiros convidados). Foram duas baterias e o melhor tempo do dia foi de Miguel Vilela, campeão brasileiros Junior em 2012, ano que também ficou com o segundo lugar no Panamericano da categoria. Miguel, de Três Pontas (MG) e com 18 anos, marcou o tempo de 33seg298. No feminino, o destaque do dia foi Priscilla Carnaval, com 37seg812.

Entre os cabeças-de-chave, a melhor marca foi do brasileiro Renato Rezende, campeão de 2010 e dono de 11 títulos nacionais. Ele, que desceu apenas na bateria da manhã, fez o tempo de 33seg531, seguido por outro piloto nacional, Leandro Dal Farra Miranda, o Taxinha, três vezes campeão nacional, com o tempo de 34seg504. O melhor estrangeiro foi Emilio Falla, do Equador, com a marca de 35seg870.

Mas a coisa promete ser bem diferente nesta quarta-feira. Afinal, as baterias reunirão oito pilotos cada, tornando ainda mais emocionante desde a primeira descida, pelas oitavas-de-final. “A disputa tem tudo para ser bem equilibrada. Não há como fazer previsão, Quem ganha é o público”, destaca Eduardo Campos, o Oklinhos, coordenador de pista e dos atletas internacionais no evento.

Ao longo da história da competição, que começou sendo disputa em Paulínia (SP), o Brasil venceu em 2006, com Daniel Jorge, em 2007, como Daivlin Baltazar, em 2010, com Renato Rezende. Já os títulos de estrangeiros aconteceram em 2008, 2009 e 2012, com o argentino Ramiro Marino, e em 2011, com o colombiano Augusto Castro. No feminino, que fez sua estreia em 2007, as vitórias foram de Ana Flávia Sgobin (07), Mayara Perez (09 e 10) e Bianca Quinalha (11/12).

Os destaques internacionais deste ano são o argentino Cristian Becerine, vice-campeão mundial em 2004, dez vezes campeão nacional e participantes dos Jogos Olímpicos de Pequim; o chileno Elias Ampueda, vencedor da Disney Cup em 2011; o equatoriano Emílio Falla, que já esteve no país; o colombiano José Diaz, e o neozelandês Mark Willers.

Pelo Brasil, as atrações são os melhores do ranking, como Rogério Reis e Igor Ferreira, primeiro e segundo colocados, respectivamente; Daniel Brito, vice-campeão em 2012, Daivlim Baltazar, campeão em 2007; e Renato Rezende, vencedor em 2010 e representante do país nos Jogos de Londres. “Estou bem preparado, mas o foco é nas etapas da Copa do Mundo, que começam em abril, na Inglaterra, e no Mundial, em junho. Estou esperando uma boa participação”, disse Renato, que nesta segunda participou dos treinos livres.