Ciro Damiani é o campeão do Audax 200 Unesc 2013

HomeCompetições

Ciro Damiani é o campeão do Audax 200 Unesc 2013

Damiani, que corre o Catarinense de Ciclismo, registra o melhor tempo do Audax 200 Unesc desde 2011

Foto de divulgação / Matheus Reis

Ciclistas no percurso do Audax 200 Unesc 2013

Bastaram seis horas e apenas um minuto para o primeiro ciclista completar o Audax 200 Unesc 2013, neste domingo (14 de abril). O urussanguense Ciro Damiani foi o primeiro a completar o desafio. Damiani, que corre o Catarinense de Ciclismo, registra o melhor tempo do Audax 200 Unesc desde 2011, sendo que em 2012 dividiu a conquista com outros quatro ciclistas.

Dezenove minutos depois o acadêmico de Medicina da Unesc Samuel Cesconetto chegava sozinho para ter o segundo melhor tempo. “Por se tratar de uma distância longa, mesmo se preparando, depois de 150 quilômetros o psicológico começa a pesar, até porque vim pedalando sozinho”, comentou Cesconetto, explicando que nos últimos 50 quilômetros também teve que lidar com fortes câimbras. O estudante se prepara para participar do Ironman Brasil 2013.

Já o Desafio 100 Unesc teve um grupo de ciclistas encerrando junto a prova. Onze ciclistas, sendo 10 de Araranguá e um de Jaraguá do Sul, fizeram o Desafio em três horas e seis minutos.

O tempo para o cumprimento do Audax 200 é de 13 horas e 30 minutos, sendo que a largada foi às 5 horas. Às 6 horas deste domingo 160 atletas largaram da Unesc. Já o Desafio 100 pode ser realizado em até seis horas e 45 minutos. Mais de 130 ciclistas largaram da Universidade, às 9 horas.

Vera Tramujas chamou a atenção durante a largada do Audax 200. A única mulher a participar da prova é de Criciúma e mostrou vontade de se superar nesta edição. “Já participei de outras duas edições do desafio, mas certamente este será um ano mais difícil, já que o trecho contém mais morros. Mas irei completar, afinal, com uma bicicleta ruim eu já completei outra vez”, afirmou Vera.

O Audax 200 Unesc realmente não limites territoriais. Rafael José Costa, Fábio Fabro e Ademir Schneider saíram de Curitiba somente para participar do desafio, com a meta de chegar entre os primeiros. “Passar os primeiros 100 quilômetros é o mais difícil, por isso que vamos administrá-los para conseguirmos cumpri-los”, destacou Fabro.

As mulheres representaram a maior parte dos participantes do Desafio 100, como “As meninas de Urussanga”, o grupo de amigas, que já vinha treinando há semanas para o desafio, marcou presença com sua animação. “Nós esperamos que ocorra tudo bem já que treinamos para isso. Certamente estamos preparadas e conseguiremos cumprir a prova no tempo”, destacou Kely De Bona Sartor.