UCI checa bike de Hesjedal que girou sozinha após queda na Vuelta

HomeCompetiçõesVolta a Espanha

UCI checa bike de Hesjedal que girou sozinha após queda na Vuelta

Antes da 12ª etapa da Volta a Espanha, nesta quinta-feira, comissários examinaram as bicicletas da equipe Garmin-Sharp após polêmica dominar a mídia e as redes sociais

Queda de Ryder Hesjedal na 7ª etapa da Vuelta

Queda de Ryder Hesjedal na 7ª etapa da Vuelta

Do Bikemagazine
Foto de reprodução

A cena da bicicleta de Ryder Hesjedal com a roda girando como um pião após a queda, na 7ª etapa da Volta a Espanha, gerou muitos comentários nas redes sociais e especulações na mídia. A desconfiança era de que havia ali algum mistério a ser esclarecido. Quem sabe um motor escondido? O caso, inclusive, passou a ser tratado como um “bike doping”.

Diante de tanta polêmica, os comissários da UCI que atuam na competição foram encarregados de checar todas as bicicletas Cervélo da equipe Garmin-Sharp nesta quinta-feira (4 de setembro), antes da largada da 12ª etapa. E nada foi encontrado.

“Devo admitir, quando eu cliquei no link e assisti ao vídeo, eu quase me convenci de que algo estranho estava acontecendo”, diverte-se o diretor da equipe, Bingen Fernandez. O assunto provocou polêmica e a imprensa correu atrás. “Muitos jornalistas vieram me perguntar sobre a história, mas para nós já virou piada”, completou.

[youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=ideiS-6gBAc” width=”560″ height=”315″]

CASO CANCELLARA
Em 2010 o  suíço Fabian Cancellara – medalhista de ouro na crono e de prata na estrada nos Jogos Olímpicos de Pequim e tetracampeão do mundo de contrarrelógio individual – envolveu-se em uma polêmica parecida. A denúncia de que estava usando uma bicicleta com motor embutido foi publicada pelo  jornal italiano Gazzetta Dello Sport. Nas imagens da RAI feitas durante a Paris-Roubaix e o Tour de Flandres daquele ano é possível ver o atleta acionar um botão na bike e aumentar repentinamente a velocidade. Veja aqui

LEIA TAMBÉM
Motor elétrico em bike de estrada é realidade há dez anos