Sergio Mantecon vence cross country olímpico da Brasil Ride

HomeBrasil Ride

Sergio Mantecon vence cross country olímpico da Brasil Ride

Espanhol da equipe Trek foi o mais rápido no circuito em Rio de Contas; Avancini ficou em 2º e o português Tiago Ferreira foi o 3º

O espanhol Mantecon, da Trek, com Avancini e Tiago Ferreira

O espanhol Mantecon, da Trek, com Avancini e Tiago Ferreira

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O espanhol Sergio Mantecon, da Trek, venceu nesta terça-feira (21 de outubro) na categoria Open, a Elite, a 3ª etapa da ultramaratona Brasil Ride, disputada na região da Chapada Diamantina, na Bahia.

“Foi uma etapa específica para corredores de cross country, como eu por exemplo, que estou em busca de pontos para estar nas Olimpíadas do Rio em 2016, e esse é o tipo de etapa que temos que aproveitar, já que as outras etapas são mais longas e nos exigem mais”, comentou Mantecón, o 6º melhor ciclista do mundo atualmente.

Mantecon vence no XCO em Rio de Contas

Mantecon vence no XCO em Rio de Contas

A bike do atleta espanhol Sergio Mantecon, que faz dupla com o catarinense Ricardo Pscheidt

A bike do atleta espanhol Sergio Mantecon, que faz dupla com o catarinense Ricardo Pscheidt

O biker, que disputa a prova em dupla com o catarinense Ricardo Pscheidt, foi o mais rápido no circuito de 6,9 quilômetros da prova de cross country olímpico em Rio de Contas. O brasileiro Henrique Avancini foi o 2º colocado e o português Tiago Ferreira ficou em 3º lugar. Os atletas deram cinco voltas no percurso. Mantecon e Pscheidt foram os vencedores do prólogo, mas na 2ª etapa perderam tempo e cruzaram em 12º. Antes do XCO, estavam em 13º na classificação geral.

No percurso do cross country olímpico Foto: Fabio Piva

No percurso do cross country olímpico Foto: Fabio Piva

A modalidade olímpica é uma das etapas clássicas da Brasil Ride desde 2012, consolidando um compromisso de capacitar os atletas de alto rendimento. Disputada num circuito com 6,9km de distância e subidas acumuladas de 1.205 metros de altimetria, foram cinco voltas eletrizantes, com destaque para a passagem pela capela da Diocese de Livramento da Conquista, com direito ao tradicional bênção do padre no topo da colina.

A novidade foi a criação de uma trilha alternativa para os menos habilidosos que tiveram que contornar a montanha para evitar o downhill super técnico.

“Na verdade foi um trajeto de puro mountain bike, duro, muito técnico e onde realmente se pode fazer a diferença”, acrescentou Mantecón.

A brasileira Isabella Lacerda no percurso do XCO Foto: Fabio Piva

A brasileira Isabella Lacerda no percurso do XCO Foto: Fabio Piva

Entre as mulheres, a vitória ficou com Ally Stacher, da equipe Specialized, parceira de Rebecca Rusch. Nina Baum e Sonya Looney, ambas do time Notubes/Ergon, completaram o pódio com o segundo e terceiro lugares, respectivamente.

A melhor brasileira foi Isabella Lacerda, atual campeã brasileira de mountain bike cross country que participa pela 1ª vez na Brasil Ride. “Esta é a minha modalidade, então acabei conseguindo andar melhor. A etapa de ontem (de Maratona) foi dura mas hoje consegui andar muito bem. Aqui é muito técnico, então acaba sendo uma preparação muito boa para os Jogos Olímpicos porque o nível técnico aqui é bem parecido com o que se tem no Mundial e na Copa do Mundo. Estou curtindo bastante o Brasil Ride, apesar de estar sendo bastante sofrido. Vai valer a pena esses pontos e no final vai ser de grande importância,” relata Lacerda.

A etapa de XCO é a única da Brasil Ride na qual as duplas não precisam cruzar juntas.

Site oficial da Brasil Ride