Mais um: Gran Fondo Itália – Rio de Janeiro é cancelado

HomeÚltimo KM

Mais um: Gran Fondo Itália – Rio de Janeiro é cancelado

Organização aponta “questões burocráticas”, mas Federação de Ciclismo do Rio acusa desorganização e diz que vai entrar na Justiça

Pelotão na Copa Light de Ciclismo na Enseada do Botafogo, no Rio Foto: Marcio Rodrigues / Mpix Produções

Copa Light de Ciclismo na Enseada do Botafogo, no Rio Foto: Marcio Rodrigues / Mpix Produções

Do Bikemagazine
Foto de divulgação

Mais um granfondo frustrado. Dessa vez foi o Gran Fondo Itália – Rio de Janeiro, que seria realizado neste final de semana (15 e 16 de novembro), e foi cancelado em cima da hora. No início do mês o Gran Fondo de Verão, no litoral paulista, também foi cancelado veja aqui

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do evento não foi localizada para comentar o caso. Mas, pelas redes sociais, foi possível acompanhar o desenrolar dos fatos. Já na entrega dos kits alguns ciclistas postaram os primeiros problemas com desorganização. Algumas horas depois foi divulgado um comunicado no site do evento de que o evento havia sido “adiado” por “questões burocráticas”.

Há muitas especulações sobre o que realmente teria ocorrido. A Fecierj, federação de ciclismo do Rio, na figura de seu presidente, Claudio Santos, acusa a desorganização e informa que o caso deverá ir para a Justiça. “Vamos entrar com uma ação conjunta contra os péssimos organizadores dessa bagunça, para que outros aproveitadores não desembarquem em nosso país achando que isso aqui é terra de ninguém”, escreveu Santos em relato com informações importantes no Facebook.

VEJA TRECHOS DO RELATO

“(…) tenho a obrigação de levar a verdade a todos.

Na véspera da Copa Light fui chamado pela prefeitura, mas não pude comparecer pois estava cuidando dos detalhes deste evento, que tenho acompanhado há sete anos. Fui informado posteriormente pelos amigos Julio Alfaya e André Gracindo que a prefeitura havia abraçado o Granfondo Itália, e que estavam extremamente receptivos, verdadeiramente dispostos a colaborar com os organizadores em tudo o que fizesse necessário.

Fui na reunião seguinte onde CET-RIO nos solicitou a parte técnica do evento, atendi pois sabia que era perfeitamente viável, seguro e tranquilo de realizar. Sabíamos que a prova seria tecnicamente perfeita, tínhamos apoio total da PRF, GPM (polícia militar) e CET, com 47 motos de apoio, todos os comissários FECIERJ e 78 staffs de apoio.

Infelizmente, eventos não são feitos somente da parte técnica. É preciso também uma produção que nos forneça a estrutura necessária. Agua gelada, frutas, entrega de kits, banheiros e estruturação de largada/chegada, só assim podemos proceder com a parte técnica do evento.

Na sexta-feira, os “organizadores” do referido evento demostraram total incompetência para gerir a produção do mesmo. Uma tremenda falta de respeito com os atletas, dirigentes e com o ciclismo do Rio. Um despreparo que eu ainda não havia sequer escutado em provas anteriores.

Uma simples entrega chip/kit se transformou em caos, com uma estrutura ridícula e despreparo no atendimento ao público. Não estive lá, mas recebi dezenas de ligações, resumindo os organizadores transformaram uma tenda em um circo, não respeitaram nem mesmo a si próprios.

A prefeitura tomou ciência do ocorrido, e temendo por tudo que ainda estava por acontecer, pois aquela era a primeira estrutura/serviço prestado pela organização (ainda teríamos mais oito montagens/ações), decidiu acertadamente pôr um fim a essa falta de respeito com os atletas inscritos.

Todos sabem dos meus problemas com o prefeito, e nunca economizei críticas a prefeitura do Rio pela falta de apoio ao ciclismo, mas não posso ser injusto nesse momento.

Desta vez, a prefeitura avançou demais e recebeu o ciclismo de braços abertos, primeiro se doando ao máximo para atender os italianos na realização do Granfondo, depois, preservando atletas inscritos de outros constrangimentos que certamente aconteceriam até o final do evento.

Sei o quanto é difícil controlar a nossa indignação, mas temos que estar juntos para reverter todo dano causado aos atletas. O primeiro passo será cancelar o pagamento efetuado com os cartões de crédito, em seguida pedir o estorno comprovando que o serviço não foi realizado.

Em tempo, vamos entrar com uma ação conjunta contra os péssimos organizadores dessa bagunça, para que outros aproveitadores não desembarquem em nosso país achando que isso aqui é terra de ninguém. Estarei as ordens para somar ao lado de cada um dos prejudicados, no (21) 7804-2901 ou (21) 988701833. Meu e-mail, [email protected] deve ser utilizado (…)  temos pressa para punir os culpados nesta total falta de respeito.

Atenciosamente Cláudio Santos”

No site do evento a organizadora informa que os atletas serão contatados a partir desta segunda-feira (17 de novembro) por e-mail com “instruções necessárias”.