Avancini é 2º no cross country, mas vence na geral em Araxá

HomeCompetiçõesMountain bike

Avancini é 2º no cross country, mas vence na geral em Araxá

Última disputa teve de ser encurtada por causa das fortes chuvas; confira como ficou a classificação geral

Henrique Avancini na última prova da etapa da CIMTB em Araxá Foto: Bruno Fernandes/Nois Pedala

Avancini na prova de cross country olímpico Foto: Bruno Fernandes/Nois Pedala

Fotos de divulgação

A primeira etapa Copa Internacional de MTB em Araxá (MG) terminou entre chuvas e trovoadas na tarde deste domingo (8 de março). No acumulado geral, a vitória foi do bicampeão Henrique Avancini, que terminou a prova de cross country olímpico em 2º.

Chuva, acompanhada de raios, encurtou a última prova em Araxá Foto: Alvaro Perazzoli/Ag. Laborazoli

Chuva, acompanhada de raios, encurtou o XCO em Araxá Foto: Alvaro Perazzoli/Ag. Laborazoli

A definição dos campeões do SHC (Hors Class por estágios), prova inédita nas Américas, que oferece 160 pontos aos vencedores nos rankings internacionais, começou com sol, mas as condições climáticas mudaram drasticamente. A organização decidiu encerrar após três das seis voltas de 5,7 quilômetros e a vitória foi do eslovaco Michal Lami, que duelava com Henrique Avancini (Cannondale).

Michael lami: "Tive sorte de ganhar, porque o Avancini não esperava minha presença" Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

O eslovaco Michal Lami venceu a etapa Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

Michal Lami venceu por alguns décimos de segundos. “Largamos com sol e tempo bom. Porém, durante a corrida as condições mudaram e começou a chover forte. Os comissários optaram por encerrar a prova e foi uma grande surpresa para mim. Tive sorte de ganhar, porque o Avancini não esperava minha presença ali”, comemorou discretamente Michal Lami.

Mesmo perdendo a prova final por poucos metros, Henrique Avancini preferiu elogiar a decisão da organização de encerrar antes das seis voltas previstas. “Para mim as condições climáticas ruins não influenciaram no meu resultado como para outros atletas. O cancelamento foi inesperado para nós, porém muito prudente porque as condições eram extremas. E, principalmente, pelo risco de raios achei justo encerrar a competição”, avaliou Avancini.

“Apesar do Cocuzzi ter ido muito nos dois primeiros dias, eu tinha ciência que o Cross Country Olímpico, neste domingo, me favorecia. A diferença era pequena e imaginava que em seis voltas as coisas estariam a meu favor. O Michal estava a 16 segundos de mim, uma boa gordura para eu trabalhar”, relatou o atleta fluminense.

“Acreditava que viria muita chuva pela frente. E, apesar do encerramento repentino, fico muito feliz com o resultado. Competi quatro dias no Chipre e voltei para o Brasil para disputar a principal competição do País e fui bem. O apoio do público foi preponderante para mim”, completou Avancini, que somou 160 pontos neste domingo e já havia adicionado 120 pelo segundo lugar no Chipre.

Completaram as cinco primeiras colocações do pódio do cross country olímpico Rubens Valeriano (AOO Specialized), Frantisek Lami (Eslováquia) e José Roberto Gabriel (AOO Specialized). Na classificação geral, Avancini superou o eslovaco, Rubinho manteve-se na terceira posição e Luiz Henrique Cocuzzi e Lukas Kaufmann completaram na quarta e quinta colocações, respectivamente.

A mexicana Daniela Campuzano dominou Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

A mexicana Daniela Campuzano dominou Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

Daniela Campuzano manteve a rotina em Araxá. Como nas duas provas anteiores, a mexicana cruzou a linha de chegada em primeiro lugar. As mudanças vieram logo atrás. Érika Gramiscelli (Soul Cycles) cruzou em segundo lugar, à frente da argentina Agustina Apaza e de Raiza Goulão (AOO Specialized), terceira e quarta colocadas, respectivamente. Isabella Lacerda (LM/Shimano) terminou em quinto lugar.

Com o grande desempenho deste domingo, Erika ultrapassou Raiza para garantir o vice-campeonato geral da 20ª Copa Internacional Levorin de MTB. O título ficou com a mexicana Daniela. Raiza e a argentina Agustina Apaza terminaram na terceira e quarta posições, respectivamente, na somatória de tempo dos três dias de disputa. Isabella Lacerda foi a quinta colocada.

Erika Gramiscelli conquistou a 2ª colocação na última prova Foto: Alvaro Perazzoli/Ag. Laborazoli

Erika Gramiscelli conquistou a 2ª colocação na última prova Foto: Alvaro Perazzoli/Ag. Laborazoli

Raiza Goulão foi a 3ª colocada Foto>: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

Raiza Goulão foi a 3ª colocada Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

“Foi um corrida emocionante, especialmente por causa da chuva. Me diverti muito e gostaria de ter dado mais uma volta, mas a decisão da organização foi boa em função da segurança. Estou muito feliz com o resultado e motivada para o restante da temporada”, disse a campeã Daniela, que revelou adorar correr debaixo de chuva, especialmente quando não faz frio, como em Araxá.

Na briga direta por uma vaga na delegacão brasileira que disputará os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, Erika comemorou muito os pontos conquistados em Araxá. “Disputamos um evento extraordinário e que merecia mesmo essa pontuação, a maior da América Latina. Para nós, que estamos disputando uma seletiva olímpica, é muito importante contar com uma prova deste porte no nosso País”, afirmou. “Estou feliz demais com esse resultado, com meu crescimento ao longo da competição. Estou de equipe nova, equipamento novo e expectativas novas. Vou me preparar para o Pan e seguir no projeto olímpico”, completou.

Erika classificou a prova final do CIMTB como “maravilhosa” e disse que a chuva não complicou sua prova, pelo contrário. “A hora que começou a chover foi sensacional. Tenho uma técnica distinta das adversárias e consegui mostrar isso. Vinha na quinta posição, na estratégia e ataquei na hora certa. Quando vi o tempo fechar vi que era a hora de mostrar o verdadeiro mountain bike”, explicou a atleta, que está no circuito nacional e internacional há 16 anos e compete em Araxá desde a primeira edição da prova.

Luiz Henrique Cocuzzi foi a supresa dao campeonato Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

Luiz Henrique Cocuzzi foi a supresa dao campeonato Foto: Rodrigo Zaim/Ag. Laborazoli

Luiz Henrique Cocuzzi (Scott/Shimano/Lar) foi a maior surpresa da 20ª edição da Copa Internacional Levorin de MTB, depois de conquistar suas duas primeiras vitórias na elite e de terminar em quarto lugar na classificação geral. O que a maior parte do público que torceu pelo atleta de 21 anos não conhece, é a bela história que envolve sua família. Muito da força nas pernas do biker vem do fato de ele nunca competir só. Em todas as provas, seus pais e boa parte dos 28 irmãos adotivos o acompanham para incentivá-lo a cada pedalada. “Sem dúvida, a presença deles me dá um gás a mais”, garantiu o ciclista.

Os pais de Cocuzzi, Ricardo e Selma, não fugiram à regra e levaram 11 filhos adotivos para competir em Araxá e, de quebra, apoiar o atleta de elite da família. Na casa em Parelheiros, no extremo da zona sul de São Paulo, onde funciona o Lar Nossa Senhora Aparecida, os demais 17 irmãos ficaram na torcida à distância. “Começamos com a adoção no ano que o Luiz Henrique nasceu, em 1993. Oficializamos a instituição em 1995 e até hoje já recebemos 350 crianças”, contou Selma.

Além do calor da família, outro segredo de Cocuzzi está no quintal de casa, onde o pai construiu uma pista de mountain bike de 4,5 km. “O tipo de terreno, com muito morro e terra favorece. Começou com 100 metros de pista construídos pelo meu marido,” contou Selam. A equipe familiar de Luiz Henrique conta com apoios importantes, como da Shimano e Scott, e também conseguiu autorização para captar R$ 300 mil com a Lei de Incentivo ao Esporte. “Já conseguimos R$ 150 mil e estamos na luta para arrecadar o valor total, caso contrário não poderemos mexer em nada”, completou Selma.

Mais resultados da CIMTB Levorin
Além do terceiro e decisivo estágio do SHC, outras três baterias foram realizadas neste domingo. Na primeira os campeões foram Thiago Freitas Sousa (sub-15), Roger Renso Silva (sub-17), Kairo Gratão (segurança pública) e Jefferson Ricardo Spimpolo (PNE), Dilermando Fátima Melo (sub-50) e Ailton José dos Santos (over-60). Na segunda venceram: Paulo Sergio Borges de Freitas (sub-50), Silvio Otávio Neves Amorim (sub 45) e Marconi Ribeiro (sub-40). E, na terceira, chegaram na frente Gilberto César de Melo Filho (júnior), Nathanael Mendes Fonseca (sub-30) e Moisés Lourenço Silva Santos (sub-35).

Resultado final
Super Elite Masculino

1 – Henrique Avancini (Cannondale) – 1h45min12s777
2 – Michal Lami (Eslováquia) – a 16s366
3 – Rubinho Valeriano (AOO Specialized) – a 35s340
4 – Luiz Henrique Cocuzzi (Scott/Shimano/Lar) – a 50s597
5 – Lukas Kaufmann (Suíça/OCE Cannondale) – a 1min11s304
6 – David Serralheiro Rosa (Liberty Seguros/Movefree) – a 1min20s819
7 – Ricardo Pscheidt (Trek/Shimano) – a 1min30s195
8 – Frantisek Lami (Eslováquia) – a 1min41s295
9 – Sherman Paiva (Caloi) – a 1min50s402
10 – Guilherme Muller (LM/Shimano) – a 1min55s537

Sub 23

1 – Frantisek Lami (Eslováquia) – 54min13s721
2 – José Gabriel; Almeida (AOO/Specialized) – 54min14s817
3- Luiz Cocuzzi (Scott/Shimano/Lar) – 54min42s059

Super Elite Feminino

1 – Daniela Campuzano (México) – 2h02min54s822
2 – Érika Gramiscelli (Soul Cycles) – a 1min25s293
3 – Raiza Goulão (AOO Specialized) – a 1min55s314
4 – Agustina Apaza (Argentina) – a 2min01s567
5 – Isabella Lacerda (LM / Shimano) – a 4min30s099
6 – Alexandra Serrano (Equador) – a 6min40s730
7 – Roberta Stopa (X-Fusion / Damatta) – a 9min55s895
8 – Noelia Rodriguez (Argentina) – a 10min52s172
9 – Ines Gutierrez (Argentina) – a 13min19s999
10- Sofia Subtil (AOO/Specialized) – a 15min42s843

Sub 23

1 – Sofia Subtil (AOO/Specialized) – 1h17min12s588
2 – Danielle Moraes (Tripp Aventura/Alto Rendimento) – a 1 volta
3 – Ana Paula Azevedo (Scott/Shimano/Lar) – a 1 volta

Resultados do XCO deste domingo – Super Elite

Masculino
1 – Michal Lami (Eslováquia) – 53min42s639
2 – Henrique Avancini (Cannondale) – 53min42s703
3 – Rubinho Valeriano (AOO Specialized) – 54min13s132
4 – Frantisek Lami (Eslováquia) – 54min13s721
5 – Lukas Kaufmann (OCE Cannondale) – 54min14s604
6 – José Gabriel Marques (AOO Specialized) – 54min14s817
7 – Ricardo Pscheidt (Trek/Shimano) – 54min26s482
8 – David João Serralheiro Rosa (Liberty Seguros/Movefree) – 54min26s666
9 – José Alberto Merchán (Equador) – 54min30s977
10 – Luiz Henrique Cocuzzi (Scott/Shimano/Lar) – 54min42s059

Feminino
1 – Daniela Campuzano (México) – 1h06min57s940
2 – Érika Gramiscelli (Soul Cycles) – 1h07min14s506
3 – Agustina Apaza (Argentina) – 1h07min50s362
4 – Raiza Goulão (AOO Specialized) – 1h08min07s323
5 – Isabella Lacerda (LM / Shimano) – 1h09min25s448
6 – Alexandra Serrano (Equador) – 1h10min26s712
7 – Roberta Stopa (X-Fusion / Damatta) – 1h12min34s621
8 – Noelia Rodriguez (Argentina) – 1h12min41s038
9 – Ines Gutierrez (Argentina) – 1h14min51s013
10- Letícia Prieto (Corratec) – 1h15min20s056

Mais informações no site do evento