Dicas para pedalar e se divertir em tempos de chuva

HomeTreino

Dicas para pedalar e se divertir em tempos de chuva

Confira quais equipamentos de segurança são essenciais para uma pedalada segura e como conservar a bike durante a temporada chuvosa de Verão

Confira dicas de segurança para pedalar em dias chuvosos

Confira dicas de segurança para pedalar em dias chuvosos

Do Bikemagazine
Foto de divulgação

Verão é tempo de chuva pelo Brasil e, até o mês de março, é bom se prevenir e aprender alguns macetes para pedalar na estação mais chuvosa do ano.

A primeira dica é só sair de bike se for realmente necessário. Até os profissionais do ciclismo adiam a pedalada para escapar da chuva, já que os riscos aumentam sensivelmente. Quem pedala por esporte pode opcionalmente ir fazer um treino de academia, uma aula de ciclismo indoor ou mesmo fazer uma boa aula de alongamentos. E aqueles que usam a bike como meio de transporte, podem usar o carro ou o transporte público.

Mas se a vontade ou a necessidade ditarem as regras, vale lembrar que os serviços de previsão do tempo melhoraram muito nos últimos anos e já conseguem antever com boa margem de precisão a probabilidade de chuva em determinado dia, em que período, a velocidade e o sentido do vento e até o índice de radiação UV.

Com esses dados é possível fazer um planejamento das pedaladas para os próximos cinco dias. Tente adequar os horários de seus treinos com os da chuva, que são mais freqüentes no final da tarde em grande parte do Brasil.

Mas é importante ter sempre em mente que, além do piso molhado e, portanto, mais escorregadio,na chuva a visibilidade é reduzida pelo spray produzido pelos veículos e também por conta dos vidros embaçados dos carros, que prejudicam a visão dos motoristas. Se realmente for pedalar, considere a possibilidade de vestir um colete de alta visibilidade, que normalmente são feitos em cores cítricas bem vibrantes. O uso de uma lanterna traseira do tipo pisca-pisca é recomendável e aumenta a visibilidade consideravelmente.

Dicas de segurança
As laterais das ruas e estradas concentram toda a sujeira trazida pela enxurrada como areia, lama, pedras, lixo, vidro, metais e outros objetos cortantes. Redobre a atenção.

Tome cuidado ao circular sobre as faixas pintadas no asfalto, pois elas se tornam escorregadias. Outro piso extremamente liso quando molhado são as tampas de bueiro, trilhos de trem e outras superfícies metálicas.

Evite passar dentro de poças d’água, pois elas podem encobrir um buraco bem profundo e causar sérios acidentes. Do mesmo modo, tome muito cuidado ao circular em regiões de baixadas próximas a rios e córregos, pois são propensas a inundações e enxurradas.

Se a pedalada for de mountain bike na zona rural, fique esperto com rios e córregos que transbordam e podem encobrir as pequenas pontes. Nesse caso, desça da bike e certifique-se que a travessia é segura.

Fique sempre atento ao estado das sapatas de freio e do aro, pois a chuva desgasta prematuramente essas peças. Nas bikes com freio a disco, certifique-se de que as pastilhas estão com uma boa espessura, do contrário você pode ficar sem freio em uma pedalada longa realizada na chuva.

Depois da chuva
É importante bater uma água na bicicleta ao chegar em casa para tirar a areia acumulada e a sujeira, especialmente nos aros, nos discos de freio e na relação. Se for uma mountain bike que pegou muito barro, é fundamental que a bike passe por uma revisão. O capacete, a sapatilha, a bermuda, as luvas devem ser colocados para secar tão logo seja possível.

Retirar o canote e virar a bike cabeça para baixo para que a água escorra é outra providência a ser tomada. A aplicação de lubrificantes do tipo WD-40 pode retardar o processo de oxidação, especialmente nos quadros de cromo. Nas bikes com quadro de cromo e alumínio, uma película de graxa no canote de selim vai proteger da oxidação e facilitar a retirada no futuro.

A corrente exige atenção especial. Aplique uma boa camada de um lubrificante para condições extremas e leve com você uma quantia suficiente para reaplicar durante a pedalada.

Os cabos devem ser revisados e lubrificados após uma longa pedalada na chuva, pois a oxidação leva ao endurecimento dos cabos prejudica o funcionamento.

Revise o estado das sapatas ou pastilhas de freio. Se estiverem baixas, o melhor é trocar para evitar ser surpreendido por um apagão nos freios no meio de uma prova ou de uma longa pedalada. Existem no mercado sapatas e pastilhas de freio especiais para chuva.