Froome estreia na Austrália e, é claro, fala sobre motores em bikes

HomeCompetiçõesCiclismo

Froome estreia na Austrália e, é claro, fala sobre motores em bikes

Segundo o bicampeão do Tour, suas bikes foram desmontadas pelo menos "uma dúzia de vezes"

Froome posa com ciclistas que vão estar na disputa da prova Herald Sun Tour

Froome posa com ciclistas que vão estar na disputa da prova Herald Sun Tour Foto: Sky

Do Bikemagazine
Foto de divulgação

Chris Froome (Sky) estreia a temporada nesta semana, na competição Herald Sun Tour, de 3 a 7 de fevereiro, na Austrália. Para Froome, o ano de 2016 terá dois objetivos: o tricampeonato do Tour de France e os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro.

Froome retorna às competições após longo período, desde que abandonou a Volta a Espanha após uma queda. “São quase cinco meses desde minha última prova, portanto, nem sei o que esperar”, disse o ciclista à imprensa australiana.

“A minha preparação está indo bem, passei uns dias em Adelaide com alguns dos ciclistas que estavam no Tour Down Under”, contou, citando entre suas companhias o sprintista australiano Caleb Ewan (Orica-GreenEdge), um dos mais promissores da nova geração, e que faturou duas vitórias na competição. “Esta semana será um bom teste para ver como estou e, também, para ver alguns de meus adversários e os novatos.”

Peter Kennaugh, que venceu no domingo a disputa da prova Cadel Evans Great Ocean Road Race, além de Sebastián Henao, Salvatore Puccio, Luke Rowe e Ian Boswell estarão com Froome na disputa.

A prova Herald Sun Tour terá 16 equipes, sendo três do World Tour (Sky, Trek-Segafredo e Orica-GreenEdge), além das Pro continentais Drapac, UnitedHealthcare, Novo Nordisk, Nippo-Vini Fantini, One Pro Cycling e os times continentais.

Com tanta polêmica envolvendo a descoberta do motor escondido na bike no Mundial de Ciclocross (leia mais aqui), é claro que Froome teve de falar sobre o assunto. Segundo ele, suas bikes foram desmontadas e vistoriadas pelo menos “umas 12 vezes” no último ano. “Nos últimos anos os rumores sobre o doping eletrônico aumentaram e a UCI levou o assunto a sério.”

“Tudo o que posso fazer é esperar e torcer para que as autoridades implementem mais e mais controles, aleatórios em todo o ciclismo, no World Tour sim, mas também no mountain bike. É o único caminho a seguir”, completou.

LEIA TAMBÉM
Chris Froome reconhece percurso olímpico: “Vai ser duro”
Imagina sair pra pedalar e dar de cara com o Chris Froome?