Giro D’Itália: é hora de encarar a etapa rainha nas Dolomitas

HomeCompetiçõesGiro D'Itália

Giro D’Itália: é hora de encarar a etapa rainha nas Dolomitas

Os detalhes do percurso da etapa deste sábado, que terá ascensão total de 4.700 metros, seis passagens no alto de montanhas, duas delas de categoria 1, com paredes de até 19%

Altimetria da 14ª etapa, a etapa rainha do Giro 2016

Altimetria da 14ª etapa, a etapa rainha do Giro 2016

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O Giro D’Itália chegou nas montanhas Dolomitas e este é o momento dos favoritos ao pódio final em Turim despontarem na classificação geral. A Etapa Rainha, com 210km, será disputada neste sábado (21 de maio); a largada será na localidade de Farra D’Alpargo, na margem nordeste do lago Santa Croce.

No percurso até a chegada em Corvara (Alto Badia), local que recebe o Giro pela sexta vez em sua história, estão belas paisagens alpinas como a famosa formação Cortina d’Ampezzo.

Paso Giau, um dos desafios do percurso

Paso Giau, um dos desafios do percurso

O pelotão vai enfrentar uma ascensão total de 4.700 metros e nada menos do que seis passagens no alto de montanhas, duas delas de categoria 1.

Passo Sella

Estão no percurso o Passo Pordoi (km 94,7 – categoria 1 – 2.226 metros), Passo Sella (km 106 – categoria 2 – 2.200 metros), Passo Gardena (km 117,7 – categoria 3 – 2.12 metros), Passo Campolongo (km 132,8 – categoria 2 – 1.875 metros), Passo Giau (km 168,8 – categoria 1 – 2.236 metros) e Passo Valparola (km 190,6 – categoria 2 – 2.200 metros).

1passo-valparolaO trajeto percorre o Vale de Cordevole em rodovias bem pavimentadas até Arabba, onde o pelotão segue em direção ao Passo Pordoi, depois atravessa o Passo Sella e Passo Gardena. Neste trecho, não há alívio, é pura subida o tempo todo.

O próximo desafio é atravessar o Passo Campolongo (de 10 a 13%), depois o Passo Giau (a mais dura subida da etapa, com pendência média de 9%, mas com picos de até 12% nos quilômetros iniciais) e por último nesta sequência o Passo Valparola, já nos últimos 5 quilômetros da jornada.

Todas as subidas e descidas são sinuosas, com cotovelos em 180º, o que lá fora se chama de “hairpin” (grampo de cabelo em inglês). Há também várias passagens urbanas pelas pequenas vilas nas montanhas.

Os últimos cinco quilômetros são praticamente todos em subida. A estrada sobe o Muro Del Gatto (360 metros sobre o nível do mar, com gradientes de 13 a 19%) e então desce em direção à estrada que leva a Corvara e segue subindo novamente, mais leve, com gradientes entre 2 e 3%. A última curva está a 150 metros da chegada, numa estrada estreita, com 6 metros de largura, e com uma leve subida de 2-3% até a meta de chegada.

O último ciclista a vencer em Corvara foi o mexicano Julio Perez Cuapio, em 2002.

A série de vídeos The Col Collective, especializada em encarar subidas célebres, esteve em Passo Pordoi. Confira:
[youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=kjz_cTiKRq8″ width=”560″ height=”315″]

 

LEIA MAIS
Reportagens do Giro D’Itália no Bikemagazine