Rio 2016: cadê os paralelepípedos de Grumari? Asfaltaram…

HomeCompetiçõesRio 2016

Rio 2016: cadê os paralelepípedos de Grumari? Asfaltaram…

Às vésperas da prova olímpica do ciclismo, trecho de pavé em Grumari recebe asfalto fino, o que provocou muitas reações indignadas

Trecho asfaltado em Grumari

Trecho asfaltado em Grumari Foto: reprodução Facebook

Do Bikemagazine
Fotos: reprodução e de arquivo

Seriam 2 quilômetros de paralelepípedos, o que daria um charme de “clássica” à prova do ciclismo de estrada dos Jogos Rio 2016. Seriam? Às vésperas da disputa, o trecho de pavé da Estrada da Guanabara, via de acesso para a Praia de Grumari, entrou na “Operação Asfalto Liso” e foi asfaltado.

Muitos ciclistas passaram por ali para conferir a “novidade”. Um deles, o fotógrafo Daniel Kullock, relatou ao Bikemagazine que 30% dos paralelepípedos estão cobertos com um asfalto fino. “Estranho, porque a própria UCI (União Ciclística Internacional) tinha elogiado os pavés”, lembra. Kullock relata ainda que “onde antes havia um trecho de terra usado para estacionamento, com cerca de 1 metro de faixa, agora tem asfalto”.

Detalhe de como eram os paralelepípedos

Detalhe de como eram os paralelepípedos

Em janeiro do ano passado, quando o presidente da UCI, Brian Cookson, visitou o local, ele declarou que o ciclismo olímpico seria um “espetáculo fantástico” e destacou o trecho de paralelo, cujas pedras são desniveladas, pontiagudas e irregulares, “quase como em Roubaix”.

O trecho em questão começa após passagem pela praia de naturismo do Abricó, quando há uma serrinha sinuosa para a Praia de Grumari. O local, assim como outras vias à beira-mar, vai receber as provas de ciclismo de estrada e de contrarrelógio na primeira semana dos Jogos Olímpicos.

A mudança provocou indignação não só entre os fãs do ciclismo mas muito mais entre os frequentadores da praia, que fica no Parque Natural Municipal do Grumari, unidade de conservação do município com área de 8 quilômetros quadrados.

Trecho do percurso olímpico

Trecho do percurso olímpico visitado pelo Bikemagazine em fevereiro de 2016

O professor e ciclista Alexandre Lobato foi um dos primeiros a se indignar pelas redes sociais. “Não vou nem comentar que esse ato destruição e ganância acabou com a bucólica aparência que a estradinha de paralelepípedo conferia ao local. Também não preciso comentar que a UCI, órgão internacional que regula as competições de ciclismo, não pediu isso, ao contrário, até deu parecer que o trecho de paralelos tornaria a prova mais seletiva. Mas desde quando a prefeitura do RJ se preocupa com a opinião de quem entende ou da população interessada ou com o meio ambiente?”, escreveu.

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio informou que foi realizado o asfaltamento de 3 quilômetros de vias na região, desde o acesso a Grumari, mas que é temporário. Destacaram, porém, que os paralelepípedos serão mantidos em alguns trechos. Já a Secretaria Municipal do Meio Ambiente do Rio de Janeiro afirmou que o asfaltamento temporário foi autorizado e que, após os Jogos, as camadas de asfalto devem ser retiradas em um prazo de 60 dias.