Iniciante em competições? O que fazer até o momento da largada

HomeTreino com Gabriel Vargas

Iniciante em competições? O que fazer até o momento da largada

Confira a lista do que fazer antes da primeira corrida elaborada pelo treinador Gabriel Vargas e saiba aproveitar as oportunidades e o treinamento

Ciclistas aguardam largada do Desafio Tour do Rio em Paraty (RJ) Foto: Ivo Gonzalez

Ciclistas aguardam largada do Desafio Tour do Rio em Paraty (RJ) Foto: Ivo Gonzalez

Gabriel Vargas / Especial para o Bikemagazine
Fotos de divulgação

Olá leitores do Bikemagazine,

O momento máximo do esporte é a competição. É quando os praticantes, reunidos, colocam à prova tudo aquilo para o qual se prepararam. Engana-se quem acredita, muitas vezes sem jamais ter experimentado, que as provas são um show de horrores apenas para os mais abençoados atleticamente, ou arenas para gladiadores destruírem uns aos outros, ou mesmo oportunidade para ser largado aos urubus. Não é brincadeira – há quem pense assim!

De fato, a maioria das competições é formada por uma pequena parte de atletas de ponta e uma enorme massa de pessoas que estão lá pelo desafio puro e simples, pela superação e pelo enorme festival do esporte que uma competição – e o melhor de tudo, no qual você pode não apenas ver seus ídolos em ação, mas também participar junto deles! Mesmo que você faça parte do clube dos supercompetitivos, eu recomendo experimentar – é uma grande experiência, geralmente são ótimos eventos e, independente de resultados, um desafio ou outro sempre cai bem.

Antes da largada Foto: Ivo Gonzalez

Confira detalhes e estratégias para antes da largada Foto: Ivo Gonzalez

Quem vai começar a competir, seja no mountain bike, no ciclismo de estrada ou em outras modalidades, corre o risco de cometer os mesmos pequenos deslizes que (quase) todos os iniciantes cometem. O leitor pode acreditar: o que acontece entre a largada e a chegada é só uma parte do desafio. Para ajudar aqueles que vão começar – e mesmo os que já começaram – deixo uma série de dicas sobre detalhes e estratégias que irão ajudar o atleta a focar suas atenções energias na parte que interessa, que é a disputa com os outros e com si próprio.

Como temos uma razoável variedade de provas no Brasil, as dicas são bem gerais e devem atender a várias situações. Mas lembrem-se que a rotina ao redor de um badalado granfondo na capital é muito diferente de uma prova regional de XCO no interior; ou que as preocupações que você terá ao participar de um evento na sua própria cidade também são muito diferentes daquelas que você terá caso haja uma viagem e estadia envolvida, se você estará sozinho ou acompanhado, se a prova terá apoio ou se você precisará ser autossuficiente etc. Fique ligado.

Véspera do evento
A tal “véspera” do evento começa alguns dias antes. É fundamental usar a semana anterior para revisar e testar a bike. No dia anterior à prova ou viagem, organize os pertences e itens que serão levados e confira tudo. E confira novamente. Casos comuns de esquecimento: deixar as sapatilhas ou o capacete em casa (ou ambos), colocar a bike no suporte do carro e esquecer as blocagens na garagem, não carregar as baterias do Garmin e câmbios eletrônicos, esquecer de fazer a inscrição, não levar itens de higiene pessoal e roupas extras etc.

Verifique com bastante atenção as questões relacionadas à retirada dos kits e congressos técnicos, que podem ser obrigatórios na véspera. Se for pedir para alguém retirar o kit por você, tenha certeza de que a autorização foi entregue dentro das normas de cada evento. Procure sempre informações direto com a organização.

O ideal é que o dia anterior seja dedicado a bastante hidratação e alimentação leve e de acordo com as estratégias nutricionais de cada um. Dois elementos críticos costumam aparecer: a viagem e a ansiedade. É comum viajar no dia anterior para provas distantes, o que envolve muitas horas com as pernas imóveis no veículo, exposição prolongada ao ar seco do ar-condicionado e, claro, os perigosos lanches de beira de estrada. Some isso à ansiedade e está pronta a receita para um desastre. Aliás véspera de uma prova é um péssimo momento para comer coisas diferentes. Competição no litoral? Deixe os frutos do mar para depois.

É perfeitamente normal ter alguma dificuldade para dormir na véspera. Até mesmo atletas experientes costumam perceber alguma ansiedade. Deitamos a cabeça no travesseiro e começamos a visualizar o percurso, os adversários, repassar a estratégia. O próximo e inevitável passo é começar a vislumbrar aquilo que não podemos prever, e aí é que está o grande problema.

Mesmo que seja um pensamento positivo, como imaginar que está andando forte e disputando a prova, já é mais do que suficiente para uma descarga de adrenalina, coração acelerado e mãos suando. Isso bem no momento em que o atleta deveria relaxar e descansar. Se os pensamentos forem negativos, então, a situação é ainda pior. Recomendo focar os pensamentos em assuntos menos eletrizantes – uma estratégia é pensar em imagens estáticas do percurso e do seu equipamento. Pensamentos “em movimento” tendem a ativar as reações fisiológicas do corpo mencionadas acima.

Preparação antes da largada Foto: Ivo Gonzalez

Foco no percurso e no equipamento para largar bem Foto: Ivo Gonzalez

Antes da largada
Tome o café da manhã com tranquilidade e, novamente, com bastante cuidado em relação ao que ingerir. A dica geral é evitar proteínas pesadas e caprichar nos carboidratos, mas isso dependerá da sua estratégia nutricional. Aproveite para encher as caramanholas e diluir o isotônico. Não perca uma oportunidade sequer de ir ao banheiro, nunca!

É melhor ir com antecedência para o local da prova para evitar surpresas e inconvenientes que só aumentam o stress e ansiedade. Não é raro ter dificuldades para encontrar um local para estacionar, ter dificuldades para encontrar a tenda de inscrição e retirada do kit, ter dificuldades para encontrar o banheiro e até para encontrar o local e horário da largada. Então é melhor ter tudo sob controle com calma e tempo de folga.

Monte a bike com calma e muita atenção. Ansiedade somada à presença de outras pessoas pode resultar em distrações catastróficas como, por exemplo, ajustar mal uma blocagem, esquecer de calibrar os pneus ou perder as caramanholas. São coisas que acontecem, portanto faça tudo com calma e revise cada item que está junto a você. Verifique se está com todos os itens de alimentação, todos os itens do kit (numeral da bike, dorsal, chip), óculos e luvas etc.

O tempo que existe entre chegar no local da prova e a largada é um das maiores armadilhas para os iniciantes, e aqui talvez estejam algumas das dicas mais importantes deste texto. É muito fácil se deixar levar pela atmosfera do local. Cena comum: o atleta ansioso indo pra lá e pra cá, primeiro em busca da tenda da organização, depois em busca de alguma ferramenta para ajustar algo; depois, vai assistir à chegada das categorias que largaram mais cedo, e nesse meio tempo aproveita para dar uma olhada nas tendas das empresas com produtos expostos. Um bom tempo conversando com conhecidos e vendo os ídolos passarem, e chega a hora da largada. Pronto, lá se foram  horas em pé, sob o sol, sem comer nada e sem se hidratar. Quando é dada a largada, antes mesmo de sair do lugar, o atleta já está esgotado, mal aquecido, hipoglicêmico, desidratado e com vontade de ir ao banheiro.

Esses momentos pré-prova devem ser totalmente dedicados à concentração, aquecimento e teste do equipamento, mantendo os níveis adequados de nutrição e hidratação.

Para facilitar, segue abaixo uma lista do que fazer

Montar a bike e organizar/vestir equipamentos, acessórios e vestuário;

Formalizar inscrição e alfinetar os dorsais e numerais, se for o caso;

Testar a bike. Verifique se nada foi danificado ou desalinhado no transporte. Verifique freios, câmbio, blocagens, pressão dos pneus;

Verifique o andamento do evento e sonde por atrasos e horários de largada. Inicie seu aquecimento entre 30 a 50 minutos antes da largada, a depender das suas características e características da prova. Quando mais curta, mais tempo deve ser dedicado ao aquecimento;

Procure uma sombra e (como dizem por aí) não fique em pé se puder apoiar-se em algo. Não fique apoiado se puder sentar. Não fique sentado se puder deitar. Poupe suas energias;

Enquanto isso, mantenha-se bem alimentado e hidratado. Uma boa dica é levar uma garrafa de água descartável extra e algum alimento prático e também facilmente descartável para ir “beliscando”. Banana, batata-doce, damasco, pãozinho e outras coisas do tipo são boas opções. Leve a mais para dividir com seus colegas/adversários;

Quando perceber que é o momento, inicie seu aquecimento. Seja sozinho ou acompanhado, procure estreitar seu foco nesse momento e perceber seu corpo e seu equipamento. Contemple tudo que será usado durante a prova: pedale sentado e em pé, leve e forte, faça algumas arrancadas, mexa todo o corpo, sinta-se solto e relaxado.

Mantenha sempre uma cadência bem solta e respire de forma profunda e controlada;

Vá ao banheiro uma última vez, mesmo que não esteja com tanta vontade assim;

Fique ao redor da área da largada. Posicione-se de acordo com suas ambições.

Ao alinhar para largar, procure descontrair mas ao mesmo tempo manter o foco. Sente-se no tubo superior do quadro (não fique em pé se puder sentar…), mantenha os ombros relaxados e observe os atletas ao seu redor.

Converse um pouco e deseje a eles uma boa prova. Revise seu suprimento de géis uma última vez para memorizar em que bolsos estão e livre-se do que for excedente.

Ao soar a sirene…
Daqui em diante, é hora de colocar em prática tudo aquilo que você treinou e preparou. Estratégias, controle do esforço e como obter um bom resultado é assunto para muitos outros textos. Apenas controle a afobação, saiba que não será fácil para ninguém, não desista tão fácil e, acima de tudo, divirta-se!

Até a próxima!

www.gabrielvargas.com.br
Gabriel Vargas tem o apoio de Pro Road Cycling Jerseys e Kali Protectives