Projeto inédito resgata a história do triathlon no Brasil

HomeTriathlon

Projeto inédito resgata a história do triathlon no Brasil

Ex-triatleta Michel Bögli lança podcast de entrevistas com protagonistas da modalidade no país

Endorfina, podcast sobre triathlon

Endorfina, podcast sobre triathlon

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

Uma iniciativa para resgatar e valorizar a história do triathlon brasileiro, idealizada pelo ex-triatleta profissional Michel  Bögli, o podcast Endörfina traz bate-papos com os protagonistas dessa história. Atletas e ex-atletas, profissionais e amadores, e pessoas que vivem o esporte, contam suas versões dos fatos que marcaram a trajetória deste esporte no Brasil, desde seu início em 1982.

O episódio de lançamento foi ao ar no dia 1º de junho com uma entrevista com a lenda viva do triathlon Fernanda Keller. A triatleta conta sobre o início de sua carreira e os fatos decisivos que a levaram a se tornar uma das melhores triatletas do mundo. Os próximos episódios trarão outros expoentes da modalidade.

“Quero que o Endörfina podcast contribua também com a evolução do esporte, promovendo a reflexão e discussão sobre os rumos do esporte nacional. Que ele seja um canal para reverberar a voz e opinião de pessoas movidas a endorfina”, diz  Bögli. O formato podcast promete flexibilidade ao ouvinte. “A ideia é que as pessoas possam curtir o Endörfina enquanto treinam, no carro ou em qualquer lugar usando um smartphone”, completa.

Apesar do foco inicial ser o triathlon, Bögli pretende ampliar o espectro do projeto para outras modalidades com as quais possui afinidade, como mountain bike, ciclismo, corrida e natação, envolvendo também treinadores, nutricionistas, médicos, psicólogos, organizadores de eventos e patrocinadores.

O projeto tem viés colaborativo, com espaço para a participação do público, que será convidado a enviar fotos que contam a história do triathlon com o objetivo de criar um robusto banco de imagens da modalidade desde sua chegada ao Brasil.

O Endörfina podcast terá episódios quinzenais, que podem ser acessados gratuitamente pelo site, no iTunes, Android, Stitcher ou via RSS. O projeto conta ainda com páginas nas redes sociais Instagram e Twitter.

Bögli na ultramaratona Race Across America

Bögli na ultramaratona Race Across America

Quem é Michel Bögli
Foi por meio do polo aquático que Michel Bögli teve contato com o esporte competitivo, ainda aos 13 anos de idade. Representou o Esporte Clube Pinheiros em São Paulo até os 18 anos, quando descobriu o triathlon. Entre 1988 e 1997 foram mais de 150 participações em provas e campeonatos nacionais e internacionais.

Integrou a primeira equipe paulista de triatletas profissionais (equipe Ocean Pacific) e representou grandes marcas ao longo de uma década, entre elas Pão de Açúcar, Nike e Reebok. Integrou a seleção brasileira em seis ocasiões e conquistou diversos títulos regionais e nacionais, além de duas participações no Mundial de Ironman do Havaí e uma no Ironman da Nova Zelândia. O ápice da sua carreira veio em 1996, com a vitória no Triathlon Internacional de Porto Seguro (BA).

Em 1997, as corridas de aventura davam seus primeiros passos no país e Michel resolveu entrar de cabeça na modalidade. Primeiro vieram as corridas curtas e, em 1998, seria lançada a Expedição Mata Atlântica (EMA), emblemática prova com duração de quatro dias. No ano seguinte, provas cada vez mais desafiadoras e outra dificílima edição da EMA.

Ao se mudar para Fortaleza no ano de 2001, Michel voltou a se concentrar no ciclismo de ultra distância, modalidade que experimentara desde 1994, quando integrou a primeira equipe brasileira a participar da Race Across America (RAAM), voltando também nos anos de 1995 e 1997. Na categoria duplas, Michel participou em 2001 novamente da RAAM, vencendo e estabelecendo um novo recorde para a travessia transcontinental norte americana. No mountain bike, participou da ultramaratonaCape Epic, de 2008 a 2011.

Michel foi idealizador do Desafio 24 Horas de ciclismo em Fortaleza (de 2002 a 2007) e organizador também de mais de 40 corridas de rua em diversas capitais. Foi diretor técnico das duas edições brasileiras do L’Étape by Le Tour de France e esteve à frente do programa de esportes para colaboradores do Grupo Pão de Açúcar por mais de 15 anos.

VEJA MAIS
http://endorfinabr.com/