Orica passa a se chamar Mitchelton-Scott e confirma Chaves no Giro

HomeCompetiçõesCiclismo

Orica passa a se chamar Mitchelton-Scott e confirma Chaves no Giro

Equipe australiana divulga que Caleb Ewan fará sua estreia no Tour de France e as provas dos irmãos Yates; confira as novidades para a temporada 2018

Novo uniforme da equipe australiana

Do Bikemagazine
Foto de divulgação

Em 2018, a Orica passa a se chamar Mitchelton-Scott, com a chegada de novo patrocinador, um fabricante australiano de vinhos, chocolates e do ramo da hotelaria, e o uniforme será preto e amarelo. Na apresentação da equipe comandada por Matt White muito se falou sobre a programação de seus principais nomes para o ano que vem.

Entre as informações confirmadas estão de que o colombiano Esteban Chaves vai disputar o Giro e a Vuelta na próxima temporada, enquanto Adam Yates voltará ao Tour de France, onde foi quarto em 2016, e o sprintista Caleb Ewan fará sua estreia no Tour de France.

O colombiano Esteban Chaves com a maglia rosa em 2016

Após uma temporada para ser esquecida, com um difícil Tour de France e o 11º lugar na Espanha, Chaves, de 27 anos, corre novamente o Giro e a Vuelta. Vale lembrar que, em 2016, o colombiano foi 2º na Itália e 3º na Espanha. No comunicado à imprensa, a Michelton-Scott (ex-Orica-Scott) confirma que Chaves fará uma programação semelhante a de 2016 depois de uma “temporada dura, afetada por lesões e uma tragédia pessoal (a morte de sua amiga e treinadora Diana Casas, em julho)”.

Os gêmeos britânicos Adam e Simon Yates também estão garantidos nas provas Grand Tour. Simon, que em 2017 foi o melhor jovem do Tour de France, vai dividir as atenções do Giro com seu colega Chaves. Já Adam está programado para o Tour de France, onde foi 4º colocado em 2016.

O australiano Caleb Ewan também está confirmado no Tour de France, que disputará pela primeira vez. “Nós achamos que ele está pronto. Venceu no Giro (uma etapa em 2017) e na Vuelta (uma etapa em 2015), então é uma progressão natural. É um processo calculado com três anos de desenvolvimento para chegar a um nível onde o ciclista se sente capaz de fazê-lo. Ele tem 23 anos e já tem experiência, seu programa de 2018 o levará ao Tour de France, onde haverá potencialmente seis sprints nas primeiras nove etapas”, diz Matt White no comunicado.

LEIA MAIS
Notícias sobre o Giro D’Itália no Bikemagazine