UCI anuncia 3 novas etapas de XCE com prova em São Paulo em novembro

HomeMais competiçõesAgenda

UCI anuncia 3 novas etapas de XCE com prova em São Paulo em novembro

Campeonato terá oito etapas com início no dia 3 de junho nos Estados Unidos

As disputas são feitas em baterias eliminatórias de quatro atletas

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A UCI anunciou o calendário 2018 da Copa do Mundo de XCE Sprint Eliminator. Este ano o campeonato terá oito etapas e a estreia de três novas etapas: Graz (Áustria), Bangkok (Tailândia) e São Paulo, que encerra o campeonato no dia 24 de novembro. A temporada começa em Columbus, no estado norte-americano da Geórgia no dia 3 de junho.

A modalidade criada em 2010 na Alemanha consiste provas curtas de cross country Sprint Eliminador são realizadas em pistas com metragem entre 500 e mil metros e exigem muita explosão muscular dos atletas, que enfrentam obstáculos diversos no percurso.

As provas são disputadas em baterias com quatro atletas, os dois primeiros se classificam para a próxima fase, os demais são eliminados. A primeira copa de XCE foi em abril de 2012, no famoso circuito de Houffalize, na Bélgica e o campeão foi o norte-americano Brian Lopes e a britânica Annie Last. No mesmo ano foi realizado o primeiro campeonato mundial da modalidade em Saalfelden, na Áustria, e o título ficou com o suíço Ralph Naef.

ETAPAS
Columbus – Estados Unidos – 3 de junho
Volterra – Itália – 16 de junho
Graz – Áustria – 28 de julho
Apeldoorn – Holanda – 2 de setembro
Wintenberg – Alemanha – 16 de setembro
Antuérpia – Bélgica – 23 de setembro
Bangkok – Tailândia – 28 de outubro
São Paulo – Brasil – 24 de novembro

Pista tem entre 500m e 1.000m com vários obstáculos

A confirmação da etapa em São Paulo foi recebida com entusiasmo por Henrique Avancini, ciclista da equipe de fábrica da Cannondale e que ocupa o quinto lugar no ranking mundial de cross country .

“É uma modalidade relativamente nova e que a UCI pecou um pouco no formato quando lançou. Agora está tentando reajustar a aplicação do Eliminator que é uma modalidade que traz a possibilidade de ter uma demonstração do mountain bike de uma maneira mais dinâmica e rápida com um toque urbano. Então, teoricamente é um formato que pode ser aplicável em qualquer grande cidade e em qualquer centro urbano”, explicou.

Para Avancini, ter uma Copa do Mundo de Eliminator no Brasil é uma oportunidade para o crescimento do esporte e para atletas.

“É um grande passo para o desenvolvimento do Eliminator a nível global, também para o Brasil e atletas. Uma nova possibilidade e um novo formato de desenvolvermos novos competidores. Talvez o atleta que não seja resistente para o Cross Country Olímpico (XCO) ou para uma Maratona, consiga desempenhar bem em uma prova mais explosiva e de velocidade como é o Eliminator. Isso é uma coisa que já vem acontecendo na Europa; alguns atletas que não conseguiam se consolidar profissionalmente no XCO ou em provas mais longas, agora têm mais uma possibilidade de se desenvolverem esportivamente através do Eliminator. Acredito que amplie mais o leque para que novos atletas se desenvolvam e que o esporte tenha cada vez mais alcance”, concluiu.

Experiente e com três Olimpíadas no currículo, o mineiro Rubens Donizete Valeriano diz que uma Copa do Mundo de XCE é um passo que está de acordo com a evolução do esporte no país.

“A evolução do mtb no Brasil está cada ano maior e um exemplo disso é o Henrique Avancini. Fazendo um trabalho a longo prazo, ele conquistou um resultado histórico no Mundial. Ele sempre pensou no mountain bike como um todo e em Londres ajudou o Brasil a conquistar a vaga nos Jogos Olímpicos. É disso que o esporte precisa, de parcerias. Pensando por este lado, é muito importante as marcas apoiarem atletas”, explicou.

VÍDEO:
[youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=7Ar61GaHkhY&feature=youtu.be” width=”560″ height=”315″]