Volta do Uruguai: as vitórias de Andriato, de Cristian Egídio e outros destaques

HomeCompetiçõesCiclismo sul-americano

Volta do Uruguai: as vitórias de Andriato, de Cristian Egídio e outros destaques

Competição em dez etapas termina neste domingo; confira os principais resultados na Funvic e da equipe de Ribeirão Preto na disputa após seis etapas

Andriato vence 6ª etapa no Uruguai 

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/Bike76

Os brasileiros se destacam na 75ª edição Volta do Uruguai, que termina neste domingo de Páscoa (1º de abril) na capital Montevidéu. A corrida de 1.600 quilômetros divididos em 10 etapas, contou com 19 equipes uruguaias e 7 estrangeiras, entre elas duas brasileiras, a Funvic e a Ribeirão Preto. A prova tem a chancela da UCI e vai contar pontos para o ranking America Tour.

Funvic vence contrarrelógio por equipes

Na abertura da competição, em Paloma, Murilo Affonso, da Funvic, foi o melhor brasileiro depois de rodar com a fuga e fechar em oitavo lugar, a 21 segundos do campeão do dia, o argentino Adrian Richeze, da Virgen de Fátima. O segundo lugar ficou com Matias Presa, da Cerro Largo e o terceiro foi para Richard Mascarañas, da San Antonio-Florida.

No segundo dia, com duas etapas, a Funvic venceu a crono por equipes de 25,3 km entre La Paloma e Rocha. Com Magno Nazaret, Caio Godoy, André Gohr, Murilo Affonso, Flávio Santos e Roberto Silva, o time marcou o tempo de 28min35seg22, 57 segundos mais rápida que a argentina Virgem de Fátima, segunda colocada. O terceiro lugar foi para a SEP, também da Argentina, a 1min22s. Já a equipe de Ribeirão Preto terminou em quinto lugar, a 2min02.

Caio Godoy, da Funvic

Na parte da tarde, na etapa de estrada, com 122 km entre Rocha e Piriápolis, Caio Godoy estava na fuga e se manteve até o final. Até cruzar a linha de chegada no Mirante de Santo Antônio, os ciclistas enfrentaram 3 km de subida. No topo, quem levou a melhor foi o argentino Juan Dotti, da SEP (Argentina), que cruzou a linha com 2h50min05. Godoy foi o quinto, a 3 segundos. Com o resultado, o brasileiro subiu para quarta colocação na geral, a 7 segundos do líder Juan Dotti.

Cristian Egídio, da equipe de Ribeirão Preto

Na 3ª etapa teve dobradinha brasileira, com Cristian Egídio e Rodrigo Melo, ambos de Ribeirão Preto, que saíram em uma fuga que chegou a abrir 5min40. Eles chegaram sozinhos em Rosário, com Cristian Egídio em primeiro, completando os 188,5 km em 4h297 min33 e uma média 42,959 km/h. Rodrigo Melo ficou com o segundo lugar.

No quarto dia, o argentino Hector Lucero, da equipe de Pocito (Argentina), cruzou em primeiro, numa disputa acirrada com o venezuelano Xavier Quevedo, da Bandes. Rafael Andriato, da equipe de Ribeirão Preto, foi o melhor brasileiro, terminando a prova em sétimo lugar, no mesmo tempo do campeão da etapa.

Na quinta etapa, com 164,1 km, o argentino Ricardo Escuela, da equipe Virgem de Fátima, que dividia o segundo lugar na geral com Federico Moreira, a 3 segundos do lugar, caiu e abandonou. Na chegada, Hector Aguilar, da Amanecer, conquistou primeira vitória nesta edição da competição, cruzando a linha com o tempo de 4h1139, e Andriato foi novamente o melhor brasileiro, em quarto lugar. Na geral, com o abandono de Escuela, Caio Godoy subiu uma posição e passou a ocupar o 3º lugar, a 7 segundos do líder, o argentino Juan Dotti.

Ribeirão Preto comemora resultado da 6ª etapa

Na sexta etapa Rafael Andriato finalmente conseguiu ao faturar a vitória com o tempo de 5h05min03. O segundo lugar ficou com Matias Presa (Cerro Largo) e o terceiro foi para Mauro Richeze, da argentina Virgem de Fátima. Na classificação geral, Dotti continua como líder geral e o melhor brasileiro continua sendo Caio Godoy, em terceiro lugar, a 7 segundos. Na classificação por equipes, Ribeirão Preto lidera.

Resultados completos aqui

AS ETAPAS
1 – Atlântida – Castillos – 201km
2A – (Crono) La Paloma – Rocha – 28km
2B – Rocha – Piriápolis – 122km
3 – Soca – Rosário – 187km
4 – Cardona – Merdeces – 165km
5 – Young – Durazno – 164km
6 – Durazno – Tacuarembó – 197km
7 – Tacuarembó – Las Toscas de Caraguatá – 114km
8A – (Crono) Melo – Melo – 23km
8B – Melo – Treinta y Tres – 105km
9 – Treinta y Tres – Minas – 165km
10 – Minas – Montevidéu – 130km

Mais informações no site www.federacionciclistauruguaya.com.uy