Com novo caso de doping, Funvic está fora do Pan-Americano

HomeCompetiçõesCiclismo nacional

Com novo caso de doping, Funvic está fora do Pan-Americano

CBC suspende convocação dos atletas para a disputa em San Juan, na Argentina, após UCI confirmar suspensão provisória de Roberto Pinheiro

Roberto Pinheiro da Silva, o Betinho, no Campeonato Brasileiro de 2017

Do Bikemagazine
Foto de divulgação/Luis Claudio Antunes

Após a UCI (União Ciclística Internacional) confirmar que o ciclista Roberto Pinheiro da Silva, o Betinho, estava provisoriamente suspenso de qualquer competição oficial por suspeita de doping, no dia 6 de abril, a CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) cancelou a convocação dos atletas para a disputa dos Jogos Pan-Americanos, de 1º a 6 de maio em San Juan, na Argentina. Segundo comunicado, nenhum ciclista da Funvic vai participar da disputa com a camisa da seleção brasileira.

“Tendo em vista os recorrentes casos de doping envolvendo atletas da equipe brasileira Funvic/São José dos Campos, e estando esta Confederação empenhada em atuar preventivamente no combate ao doping, principalmente prevenindo o envolvimento de integrantes da seleção com qualquer tipo de vantagem ilícita, ficou decidido, por recomendação do Comitê de Integridade, da Organização Antidoping e da Comissão de Atletas da CBC, que nenhum(a) atleta da equipe Funvic/São José dos Campos poderá integrar a seleção brasileira no próximo Campeonato Pan-Americano de Ciclismo de Estrada 2018”, informa o documento.

Na lista dos convocados para o Pan estavam quatro ciclistas da Funvic para a Elite masculina: além de Betinho, que é o atual campeão brasileiro, foram convocados Caio Godoy, Magno Nazaret e Murilo Affonso. Na lista, a seleção do Brasil contava ainda com Cristian Egídio e Rafael Andriato, que integram a Equipe de Ribeirão Preto, e o ciclista Sub 23 Leonardo Finkler, atual campeão pan-americano na Junior.

No feminino, da equipe Funvic estavam convocadas Tatielle Valadares de Souza e Wellyda Rodrigues. Completavam a seleção das mulheres as ciclistas Ana Paula Polegatch e Thayna Lima (ambas Memorial), Clemilda Fernandes e Flávia Oliveira.

A equipe divulgou um comunicado oficial sobre o caso em sua página oficial. Veja aqui

A Funvic, que nesta temporada perdeu sua licença Pro Continental após dois anos, conta com uma série de casos envolvendo o doping de seus atletas. Em agosto de 2016, Kleber Ramos, que representou o Brasil na prova de estrada dos Jogos Rio-2016, foi notificado de que havia sido pego em exame antidoping em amostras coletadas em testes fora de competição em 31 de julho e 4 de agosto pelo uso de CERA. Em novembro do mesmo ano, os exames de João Marcelo Gaspar e do colombiano Ramiro Rincon realizados no dia 27 de julho, no prólogo da Volta a Portugal, também acusaram o uso de CERA, um agente estimulante com efeito semelhante ao do EPO.

Em março de 2017, um dia depois do término da Volta da Catalunha, na Espanha, a equipe Funvic foi surpreendida por um novo anúncio da UCI, que suspendeu os ciclistas Alex Diniz e Otávio Bulgarelli por violações das regras de doping. Em 2009, Diniz já havia sido suspenso depois de testar positivo por eritropoetina. O atleta competia na Funvic desde 2013 e deixou a equipe. Já Bulgarelli foi inocentado da acusação de manipulação de amostra de urina pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) em junho e continuou na equipe, mas como auxiliar técnico.

Em 2016 a Funvic cumpriu 55 dias de suspensão e em 2017 teria de cumprir mais 35 dias, mas com o resultado do processo de Bulgarelli a pena foi reduzida. Em julho do ano passado, porém, a equipe teve de recorrer à Justiça Desportiva para poder disputar a Volta de Guarulhos. Por causa da vigência da suspensão para provas internacionais, a CBC resolveu seguir a UCI e vetou a Funvic, que recorreu. No final, a Funvic conquistou o título de campeã com Murilo Affonso na classificação geral e na classificação por pontos, com Magno Nazaret na classificação de montanhas e a própria Funvic como a melhor equipe.

Em 2016, no primeiro ano na Pro Continental, a equipe disputou provas no Gabão, Espanha, Itália, Portugal, Malásia, Turquia e China. Em 2017, foi para a Volta da Catalunha, na Espanha, a Volta da Turquia e a Volta do Uruguai, entre outras, quando Magno Nazaret conquistou o título de campeão pela segunda vez na carreira. Nesta temporada, o ciclista faturou o título pela 3ª vez e se tornou o primeiro estrangeiro tricampeão.

Vale destacar que a atualização da UCI não informa quais substâncias foram encontradas no exame de Betinho nem quando os testes foram aplicados.

LEIA MAIS
Artigo: Precisamos falar sobre o doping

Reportagens sobre a equipe Funvic no Bikemagazine