Trajeto da Paris-Roubaix passa no teste de aprovação dos pavés

HomeCompetiçõesCiclismo

Trajeto da Paris-Roubaix passa no teste de aprovação dos pavés

Com as chuvas e o inverno rigoroso 19.440 novos paralelepípedos foram repostos na estrada que vai receber o pelotão da prestigiada clássica deste domingo

Passagem do pelotão por Arenberg

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O trajeto da Paris-Roubaix 2018, que será disputada neste domingo (8 de abril), foi percorrido nesta terça-feira (3 de abril) pelos organizadores Christian Prudhomme e Thierry Gouvenou. O foco estava na situação dos 29 setores de paralelepídos, os setores em pavés, todos devidamente nomeados, muitos deles restaurados para a ocasião, como é tradição. Com o inverno rigoroso de meses atrás e o frio e a chuva das semanas anteriores a preocupação com a segurança do pelotão é grande.

Conhecida como a “Inferno do Norte”, a 116ª edição da corrida vai percorrer 257 km, com 29 setores de pavés, que somam 54,5 km para pedalar em paralelepípedos (em 2017 foram 55 km e a média das dez últimas edições é de 52,58 km). O retorno do trecho Saint-Python é uma das novidades e, pouco depois, o pelotão enfrentará pela primeira vez o trecho Saint-Vaast, com 1.500 metros.

Paris-Roubaix 2018 terá 257 km e 29 setores de pavés

Reconhecimento do trecho em Arenberg

Permanecem no trajeto trechos icônicos, como o Trouée d’Arenberg, o setor de Mons-en-Pévèle e, finalmente, o Carrefour de l’Arbre, com o Velódromo Roubaix logo ali, para receber a chegada. Nesta edição, o pelotão vai passar pelo Memorial do Armistício, que encerrou a Primeira Guerra Mundial após ser assinado em 11 de novembro de 1918.

Os trechos classificados com cinco estrelas são o Trouée d’Arenberg (Km 162), Mons-en-Pévèle (Km 208,5) e o Carrefour de l’Arbre (Km 240). O Trouée d’Arenberg, vale destacar, vai celebrar no domingo seu 50º aniversário na prova. A estreia foi em 1968, com vitória de Eddy Merckx.

Trabalho de restauração do pavimento é feito por voluntários

Alguns trechos passaram por reforma após as chuvas do início de fevereiro

Ao longo da história, os organizadores de Paris-Roubaix tiveram a preocupação de descobrir e preservar as estradas em pavés, a grande atração da corrida, além, é claro, dos ciclistas e da multidão que toma as estradas e deixa tudo ainda mais emocionante.

As comunidades locais participam ativamente da restauração e manutenção dos pavimentos e, antes da corrida, pedras são trocadas – e contadas. Nesta edição, foram 19.440 novos paralelepípedos para encaixar, o que mobilizou mais de 600 voluntários. 

TRAILER

 

LEIA MAIS
Reportagens sobre a Paris-Roubaix no Bikemagazine

OS 29 SETORES DA PARIS-ROUBAIX
29
 : Troisvilles (km 93,5 – 2,2 km) ***
28 : Briastre (km 100 – 3 km) ***
27 : Saint-Python (km 109 – 1,5 km) ***
26 : Quiévy (km 111,5 – 3,7 km) ****
25 : Saint-Vaast (km 119 – 1,5 km) ***
24 : Verchain-Maugré (km 130 – 1,2 km) **
23 : Quérénaing (km 134,5 – 1,6 km) ***
22 : Maing (km 137,5 – 2,5 km) ***
21 : Monchaux-sur-Ecaillon (km 140,5 – 1,6 km) ***
20 : Haveluy (km 153,5 – 2,5 km) ****
19 : Trouée d’Arenberg (km 162 – 2,4 km) *****
18 : Hélesmes (km 168 – 1,6 km) ***
17 : Wandignies (km 174,5 – 3,7 km) ****
16 : Brillon (km 182 – 2,4 km) ***
15 : Sars-et-Rosières (km 185,5 – 2,4 km) ****
14 : Beuvry-la-forêt (km 189 – 1,4 km) ***
13 : Orchies (km 197 – 1,7 km) ***
12 : Bersée (km 203 – 2,7 km) ****
11 : Mons-en-Pévèle (km 208,5 – 3 km) *****
10 : Avelin (km 214,5 – 0,7 km) **
9 : Ennevelin (km 218 – 1,4 km) ***
: Templeuve – L’Epinette (km 223,5 – 0,2 km) *
: Templeuve – Moulin-de-Vertain (km 224 – 0,5 km) **
7 : Cysoing (km 230,5 – 1,3 km) ***
6 : Bourghelles (km 233 – 1,1 km) ***
5 : Camphin-en-Pévèle (km 237,5 – 1,8 km) ****
: Carrefour de l’Arbre (km 240 – 2,1 km) *****
3 : Gruson (km 242,5 – 1,1 km) **
: Hem (km 249 – 1,4 km) ***
1 : Roubaix (km 256 – 0,3 km) *

 

O NOVO SETOR EM VÍDEO