Brasil Ride: Jaqueline Mourão estreia na prova em dupla com canadense

HomeMountain bikeBrasil Ride

Brasil Ride: Jaqueline Mourão estreia na prova em dupla com canadense

Campeã brasileira vai correr a canadense Cindy Montambault; disputa feminina tem recorde de inscritas e é promessa de disputas acirradas

Jaqueline Mourão e Cindy Montambault em ação – foto de Armin Kustenbruck/EGO-Promotion

Do Bikemagazine
Fotos de Fabio Piva

A nona edição da ultramaratona Brasil Ride promete ser a mais acirrada da história na categoria feminina. As mulheres vão brigar pela posse da camisa laranja (campeã geral) e da camisa azul (melhor dupla das Américas). A prova com sete etapas começa neste domingo (21 de outubro), em Arraial d’Ajuda, na Bahia, e termina no domingo, 28 de outubro, com a participação de 540 atletas do mundo inteiro. Durante sete dias, os participantes têm pela frente cerca de 600km e quase 11 mil metros de altimetria acumulada.

Este ano a categoria feminina tem recorde de inscritas, com 65 atletas no total. São 18 duplas confirmadas na elite feminina (em 2017 foram 12 duplas) e 29 na categoria mista. A camisa laranja garante 120 pontos no ranking mundial e olímpico.

A Brasil Ride juntará em seu pelotão 18 dos 30 títulos brasileiros do cross country olímpico (XCO) feminino na história do País, entre 1989 e 2018. Jaqueline Mourão, com cinco títulos, Raiza Goulão, com três, e Roberta Stopa, terão a companhia da maior vencedora do mountain bike nacional na modalidade XCO, Adriana Nascimento, campeã nove vezes, oito entre 1995 e 2002, e eneacampeã em 2007, que competirá na categoria corporativa.

Um dos destaques na briga pelo título certamente é a atual campeã brasileira, a mineira Jaqueline Mourão. Depois de quase 10 anos sem competir, Jaqueline retornou ao esporte em alto estilo e conquistou o título brasileiro de cross country na temporada 2018. A Brasil Ride é uma experiência inédita na carreira da ciclista de 42 anos que vai disputar a prova em dupla com a canadense Cindy Montambault (equipe Jacky & Cindy).

“Sempre acompanhei a ultramaratona, mas quando parei de competir, há dez anos, ela não existia. Vou com a Cindy, uma atleta canadense muito forte e uma pessoa bem legal. Será nossa segunda corrida juntas. O objetivo é somar pontos para crescer nos rankings internacionais e melhorar minha posição de largada nas próximas Copas do Mundo em 2019. Filosofia de aprendizado. Nunca competi tantos dias seguidos e temos que ser constantes e regulares. Escutar o corpo e respeitar os seus limites e de sua companheira também”, explica Jaqueline.

A corrida certamente será muito disputada e com muitas candidatas ao pódio. Assim, as atuais campeãs, a goiana Raiza Goulão e a francesa Margot Moschetti (PMRA Racing Team /CST Sandd American Eagle MTB Racing Team), não devem ter vida fácil na defesa da camisa laranja.

“Estou muito feliz pelo grande start list feminino, com o maior número de mulheres registrado até hoje. Isso só engrandece nosso esporte no País. A competição será uma caixa de surpresas, seja para profissionais ou amadores. Tem que respeitar o corpo e o percurso, além de se recuperar bem a cada etapa”, diz Raíza.

“Correr a Brasil Ride é sempre emocionante, com esse clima de fim de ano. Já competimos o Mundial e não temos mais a pressão das provas de cross country. O corpo relaxa um pouco e entramos numa fase de treinamentos de volume. Gosto muito de me preparar para a Brasil Ride e em seguida para a próxima temporada, podendo extravasar um pouco”, finaliza.

Além das duplas de Jaque e Raíza, a lista é grande das equipes que podem chegar ao pódio: a norueguesa Marianne Bergli e a zimbabuana Stacey Hyslop (Ciovita); a portuguesa Ilda Pereira e a espanhola Mayalen Noriega (Casa Myze Team); as norte-americanas Hanna Finchamp e Kaysee Armstrong (USA Adventure Girls); Roberta Stopa e Sabrina Gobbo (No Limits Team); Ana Luisa Panini e Karen Olimpio (Power Girls Kana); Viviane Favery e Marcella Toldi (Cannondale Brasil Women); as espanholas Sandra Santanyes e Anna Ramirez (Olympia/Esteve Team); entre outras.

OUTROS DESTAQUES
Atual campeã continental da África e também nacional do Zimbábue, Stacey Hyslop faz na Brasil Ride sua estreia em provas de estágios. Também será sua primeira competição ao lado da norueguesa Marianne.

“Esta será a minha primeira corrida de etapas em longas distâncias, algo novo para mim. Marianne e eu vamos para o Brasil e daremos o nosso melhor. Com relação às expectativas, veremos de acordo com as sensações e avaliaremos a competição dia a dia. A partir daí, eu acho que vai ser uma corrida muito estratégica”, destaca Stacey.

Adriana Nascimento vai competir na categoria corporativa

Dupla luso-espanhola afinada para a Brasil Ride – Diferente de algumas adversárias, que competirão juntas pela primeira vez na Brasil Ride, a portuguesa Ilda Pereira e a espanhola Mayalen Noriega têm a seu favor o fato de terem competido algumas corridas juntas em 2018.

“Para mim, a Brasil Ride é a concretização de um sonho. Há dois anos esperava a oportunidade para estar aqui no País. A expectativa é alta, porque vou competir com uma parceira fantástica. Mayalen e eu nos damos muito bem e já corremos várias provas de dupla. Estar no Brasil e fazer o que eu mais gosto é uma realização. Estou emocionada demais, porque sei que terei sensações diversas em um país especial para nós, portugueses, e estarei em cima da minha bicicleta e em uma paisagem espetacular”, diz Ilda.

A prova terá programação ao vivo durante oito dias na fan page oficial www.facebook.com/BRASILRIDE.