A lista das resoluções de Ano Novo dos ciclistas

HomeTreino

A lista das resoluções de Ano Novo dos ciclistas

Momento é ideal para refletir sobre o que fizemos sobre a bike no ano que termina e o que podemos, ou precisamos, melhorar para o próximo

Fim de ano é época de refletir sobre o que fizemos sobre a bike e o que podemos melhorar

Gabriel Vargas / Especial para o Bikemagazine
Foto de divulgação

Estamos fechando os últimos quilômetros de treinos de 2018, que para muitos já são os primeiros de 2019, e esse é o momento em que precisamos refletir sobre o que fizemos sobre a bike nesse ano que passou e o que podemos, ou precisamos, melhorar para o próximo.

Como queremos sempre melhorar, incrementar e evoluir, deixo a sugestão de uma lista de metas para o ano que virá, que certamente terão um impacto positivo na rotina de treinos.

Consolidar uma rotina de treinamento: consistência é vital para o sucesso no esporte. Não importa se sua semana é composta por seis, oito, doze ou vinte horas de treino – é importante manter a regularidade e evitar perder sessões e até perder semanas inteiras.

Melhorar a alimentação: seja pré, pós ou durante os treinos, procure avaliar se é possível avançar nesse aspecto. Sempre recomendo a orientação de um profissional da área da Nutrição que entenda das demandas do esporte. Mas boas leituras e bastante pesquisa já irão revelar muitas informações básicas.

Passar por um bike-fit: quanto mais aprendo sobre os pequenos detalhes da nossa interação física com a bicicleta, mais percebo como pequenos detalhes podem ter grandes consequências na performance e no conforto. Aproveite o início do ano para marcar aquele bike-fit que você está planejando há tempos. Se já fez há muito tempo, considere refazer!

Alongar: uma musculatura alongada tem menor risco de sofrer com lesões e problemas futuros, além de ajudar a manter uma posição mais eficiente e relaxada na bike sem perder o conforto. Considere incluir três sessões semanais de vinte a trinta minutos, pelo menos.

Manter o equipamento em dia: Assim como ter a casa ou escritório arrumados e limpos ajuda no nosso humor e produtividade, ter o equipamento limpo e regulado ajuda a tornar os quilômetros mais agradáveis e seguros. Crie o hábito de fazer uma lavagem e check-up regularmente, seja por um mecânico ou por você mesmo.

Aprender e entender mais: O esporte que amamos não envolve apenas vestir sapatilhas, subir na bike e pedalar. Envolve também conhecer um ao menos um pouco de manutenção e funcionamento da bicicleta, da história do esporte, das notícias do mundo das competições, das novidades do mercado, as gírias e outros aspectos particulares da cultura de cada modalidade. Conhecimento nunca é demais e nos ajuda a ser ciclistas mais completos em um sentido amplo.

Sair da zona de conforto: Que tal experimentar distâncias que você nunca alcançou, novas trilhas e estradas e até sair para pedalar com gente que você nunca acompanhou? A bicicleta está muito relacionada com a liberdade e a descoberta. Isso nos leva à próxima meta…

Cortar as desculpas pela raiz: ninguém gosta de ouvir as famosas frases que começam com “mas é que […]” e “estou só […]”. Sabemos que há os treinos fortes e os treinos leves, os dias bons e os dias ruins, as manhãs de sol e as manhãs de chuva. E claro, aqueles que estão em melhor condicionamento e os que nem tanto. Mas mesmo assim, encare sempre os convites para treinar, as trilhas e as estradas com confiança e deixe as pernas falarem por si.

Competir: competições não são um bicho de sete cabeças. Sempre digo que as provas, de qualquer tipo, são como um festival em que você encontra dezenas, talvez centenas de pessoas que compartilham essa mesma paixão que você. Seja para disputar com os outros ou apenas para superar a si mesmo, considere prestigiar os eventos esportivos que, afinal de contas, são feitos para você.

Registrar os treinos: se você ainda não o faz, crie o hábito de registrar suas atividades. O Strava é uma das ferramentas mais óbvias, mas o bom e velho diário de papel também vale. Anote a distância percorrida, o tempo, percurso e as sensações/observações. No fim de cada semana e mês, anote os totais de distância e tempo. Além de servir como referência futura, isso ajuda a manter a consistência que já mencionei anteriormente.

Buscar orientação para os treinos: Seja qual for a modalidade, nível e ambição, há muitos ciclistas que podem se beneficiar da orientação profissional para o treinos. Há muitos coaches, consultorias e assessorias que oferecem diferentes tipos de acompanhamento, assistências e outros serviços. Como coach/treinador, eu e muitos colegas ajudamos inúmeros ciclistas comuns a cumprirem metas como essas acima e muitas outras!

Obrigado a todos e um excelente 2019!

Gabriel Vargas – Treinamento em ciclismo
www.gabrielvargas.com.br
Gabriel Vargas tem o apoio de Pro Road Cycling Jerseys