Flávia Oliveira é suspensa preventivamente por doping

HomeCompetiçõesCiclismo

Flávia Oliveira é suspensa preventivamente por doping

Exame feito no Brasileiro de Estrada, que a carioca venceu, apontou presença de higenamina, que está na lista das substâncias proibidas segundo a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD)

Flávia Oliveira encerrou com 8 minutos de vantagem a prova do Brasileiro de 2018

Do Bikemagazine
Foto de arquivo

A ciclista Flávia Oliveira está suspensa preventivamente, em decisão confirmada nesta sexta-feira (21 de dezembro) pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), com a justificativa de que a atleta testou positivo em um exame feito no dia 28 de junho, na decisão do Campeonato Brasileiro de Estrada, que ela venceu.

O exame acusou o uso de higenamina, composto químico que está na lista das substâncias proibidas. Veja aqui

A higenamina, proibida pela WADA (veja aqui) está presente em suplementos alimentares e é vendido livremente e sem controle, geralmente indicado para pré-treinos e que atua como queimador de gordura e termogênico. A presença do higenamine não comprova o uso de doping e Flávia Oliveira terá direito a se defender. A reportagem do Bikemagazine procurou a ciclista, mas não teve resposta até o momento.

A ciclista carioca de 37 anos, radicada nos Estados Unidos, ocupa atualmente o número 128 do ranking mundial, e é a brasileira mais bem colocada. Para se ter uma ideia, a segunda brasileira é Camila Oliveira, na 363ª posição. Na temporada, ela começou o ano na equipe belga Health Mate, mas depois, passou a disputar provas em outras equipes menores e, em agosto, com a camisa do time Jakroo Racing, quando foi vice-campeã da classificação geral da Volta a Guatemala.

Vale lembrar que, em 2017, a brasileira teve resultados expressivos nas Ardennes, com o 17º lugar na Amstel e o 10º lugar na Fleche Wallone, mas, no mês seguinte, teve uma fratura e e parou para se recuperar. Campeã de montanha do Giro D’Itália Feminino, o Giro Rosa, em 2015, Flávia Oliveira fez história ao ficar em 7º lugar na prova de estrada dos Jogos Rio-2016 ao terminar a 20 segundos da vencedora, a holandesa Anna van der Breggen.

LEIA MAIS
Artigo: Precisamos falar sobre o doping