Startup Vela Bikes capta R$ 500 mil por meio de empréstimo coletivo

HomeMercado

Startup Vela Bikes capta R$ 500 mil por meio de empréstimo coletivo

Empresa é focada em bicicletas elétricas para mobilidade urbana; valor será aplicado em expansão

Empresa fundada em São Paulo produz bicicletas com foco na mobilidade urbana

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A startup Vela Bikes, que produz bicicletas elétricas com foco na mobilidade urbana anunciou o aporte de R$ 500 mil. A empresa foi selecionada por seu impacto positivo na sociedade e será utilizado para aumentar o fluxo produtivo da empresa. O Bikemagazine teve a oportunidade de avaliar o modelo Vela S, a e-bike mais leve do Brasil (veja reportagem), com menos de 20kg e preços a partir de R$ 4.890.

A Vela é uma startup brasileira de bicicletas elétricas com desenvolvimento e equipe 100% nacional. Fundada em 2012 pelo engenheiro e empreendedor, Victor Hugo Cruz, 29 anos, o projeto desenvolve modelos de bikes e acessórios que harmonizam simplicidade à tecnologia de ponta, de forma a viabilizar uma solução de alta performance, econômica e sustentável para os problemas de mobilidade urbana. A empresa conta com uma fábrica em São Paulo, quatro lojas no modelo pocketshop (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba), além de um e-commerce que comercializa as bicicletas diretamente ao consumidor final.

A captação foi por meio de um empréstimo coletivo realizado via Rede Dinheiro Consciência, plataforma que conecta diretamente investidores a negócios de impacto socioambiental positivo. A RDC analisou 34 projetos e a Vela foi uma das três empresas aprovadas.

De acordo com o fundador e CEO da Vela Bikes, Victor Hugo Cruz, é uma honra entre os empreendimentos escolhidos pela instituição.

Victor Hugo Cruz, fundador da Vela Bikes

“Trata-se de um grupo de pessoas determinadas a encontrar meios e maneiras de se viver com mais qualidade e eficiência. A sensibilização para o potencial da bicicleta elétrica da Vela como um veículo prático, sustentável, saudável e que pode ser o principal meio de transporte, sem dúvida, é muito gratificante”.

Quanto aos planos para o aporte, Victor afirma que o investimento será aplicado no fluxo produtivo da empresa, com foco em atender a demanda em franca expansão.

“Vamos investir em estoque, capital de giro e operação. Só este ano inauguramos pocketshops em Curitiba, Rio de Janeiro e Brasília e ampliamos nossa fábrica, cujo potencial de produção saltou de 60 para 500 bikes por mês. Então esse capital vem para nos ajudar a sustentar esse crescimento”, explica.

A captação da Vela é mais um fruto da tendência de empresas e investidores buscarem alternativas menos burocráticas para acessar capital e mais rentáveis. A captação por meio de empréstimos, conhecida como Peer to Peer Lending é uma das opções que vem ganhando força no mercado, já que se mostra benéfica tanto para o investidor como para a empresa.

Resumidamente, comparadas às taxas do mercado tradicional, quem investe recebe juros maiores, mas quem pega emprestado, paga juros menores. Há também as taxas das empresas envolvidas na intermediação – no caso, RDC – mas ainda assim a proposta é mais vantajosa para todos. A título de exemplo, quem investiu por empréstimo na Vela, deve receber uma taxa de juros de 198% do CDI. As maiores taxas do mercado não passam de 130%.