UCI proíbe uso do analgésico tramadol a partir de março

HomeCiclismo

UCI proíbe uso do analgésico tramadol a partir de março

Medicamento usado para aliviar a dor é muito usado por ciclistas, segundo a Agência Mundial Antidoping

Analgésico entra na lista de proibidos da UCI a partir de março

Do Bikemagazine
Foto de divulgação

A UCI (União Ciclística Internacional) informa em comunicado que, a partir de 1º de março de 2019, o tramadol estará proibido em todas as competições de ciclismo. O analgésico, da categoria dos opioides sintéticos, é muito usado pelos atletas para combater a dor e foi detectado em 4,4% de todas as amostras coletadas no ciclismo em 2017.

De acordo com monitoramento da Agência Mundial Antidoping (AMA), em 2017, 68% de todas as amostras de urina examinadas em 35 esportes olímpicos que apontaram a presença do medicamento eram de ciclistas.

A partir de 1º de março todos os ciclistas que disputarem provas nacionais ou internacionais poderão ser escolhidos para a coleta de sangue. As equipes com registro UCI também podem ser punidas. O ciclista que testar positivo poderá ser penalizado e desclassificado e pagar multa entre 1.000 a 5.000 francos suíços. Uma segunda infração será penalizada com suspensão de cinco meses. Caso dois ciclistas de uma mesma equipe com registro UCI sejam pegos no exame, a equipe será multada e os atletas e a equipe serão suspensos por até 12 meses.

A UCI destaca que resolveu proibir a remédio para preservar a saúde e a segurança dos ciclistas. O tramadol pode provocar efeitos colaterais como náusea, sonolência e falta de concentração, além de apresentar um grau de dependência gradual. 

Em 2017, o ciclista britânico Josh Edmondson, da equipe Sky, disse em entrevista à BBC que sofria de depressão severa depois de usar tramadol de forma independente. Um ano antes, Jonathan Tiernan-Locke, que também estava na Sky, afirmou à imprensa que o remédio foi oferecido a ele durante a disputa do Campeonato Mundial, quando representava a seleção britânica na disputa na Holanda.