Doping tira título de Cobo da Vuelta 2011, que deve ir para Froome

HomeCompetiçõesCiclismo

Doping tira título de Cobo da Vuelta 2011, que deve ir para Froome

Ciclista espanhol recebeu comunicado da UCI nesta quinta-feira, mas poderá recorrer; Froome recebeu a notícia no hospital, onde se recupera de queda na Criterium du Dauphine

Cobo e Froome no pódio da Vuelta de 2011

Do Bikemagazine
Foto de arquivo

A UCI (União Ciclística Internacional) confirmou nesta quinta-feira (13 de junho) que o ciclista espanhol Juan José Cobo terá seu título de campeão da Volta da Espanha de 2011 retirado por causa de doping. Chris Froome, que terminou a disputa em 2º lugar, deve herdar o título. Veja o comunicado da UCI aqui

Segundo a UCI, Cobo “cometeu violação da regra antidoping e fez uso de substância proibida nos anos 2009 e 2011 e que foi detectada no seu passaporte biológico”. O espanhol recebeu suspensão de três anos e terá direito a recorrer ao Tribunal Arbitral.

Froome, que tinha sido vice na Vuelta 2011, poderá ser anunciado o vencedor no final do processo. Vale lembrar que, em 2017, o ciclista venceu a disputa, mas passou por investigação depois de ter acusado positivo à substância salbutamol, um broncodilatador. Froome recebeu a notícia no hospital de Saint-Etienne, na França, onde passou por cirurgia após queda no reconhecimento do percurso do contrarrelógio da Criterium du Dauphine, nesta quarta-feira (leia mais aqui).

Foi na Vuelta de 2011 que Froome chamou atenção por sua forte performance e, um ano depois, foi escolhido como gregário de Bradley Wiggins no Tour de France. Wiggins venceu, mas Froome, mais uma vez, fez um excelente trabalho e acabou se tornando líder da equipe Sky na temporada seguinte, quando conquistou seu primeiro título do Tour de France, em 2013. 

Caso seja confirmado como vencedor, Froome passa a ter no seu currículo sete vitórias Grand Tour: quatro no Tour de France (2013, 2015, 2016 e 2017), duas na Vuelta (2011 e 2017) e uma no Giro d’Itália (2018).

O diretor da Volta a Espanha, Javier Guillén, manifestou o seu “respeito” pela decisão do tribunal antidoping da UCI, reiterando o seu “compromisso antidoping”. “Respeitamos a decisão, ainda que não seja uma boa notícia para o ciclismo. Em geral, prefiro que estas coisas sejam esclarecidas. O importante é que se mostre que estamos combatendo o doping”, disse.