Giraventura: o quadro de cromo-molibdênio no cicloturismo

HomeCicloturismo

Giraventura: o quadro de cromo-molibdênio no cicloturismo

Nos anos 1980, a liga cromo-molibdênio era largamente utilizada pela indústria ciclística, que a trocou por alumínio e posteriormente por carbono

O cicloturista Nestor Freire explica porque prefere as bikes de cromo-molibdênio

Por Nestor Freire/Especial para o Bikemagazine
Foto de divulgação

O que é aço? De uma maneira simples, é uma liga de ferro e carbono, de modo que esse último varie entre 0,008 a 2,11%; a porcentagem exata dependerá da sua utilização. Dentro desse composto, podem ser adicionados outros tipos de metais, como o cromo, que tornará a liga resistente à oxidação; é o famoso aço-inoxidável.

Entretanto, uma outra liga chamada de aço 4130, composta de ferro, carbono, cromo e molibdênio chama a atenção por suas características. Um composto desse tipo oferece geralmente a mesma resistência de uma outra peça de aço-carbono, com um detalhe: um terço do material a menos, comparado a uma liga sem molibdênio.
Há uma curiosidade sobre o elemento químico molibdênio de número atômico 42. Molybdos significa chumbo (metal pesado e completamente diferente) e a palavra possui origem grega; a explicação é que esse minério évisualmente parecido com chumbo e geralmente era confundido com esse elemento antes de sua descoberta no final do século 18.

Bem, voltando à liga 4130, ou cromoly como é popularmente chamado, ela é pode ser utilizada tanto na indústria aeronáutica, assim como para fabricar quadros de bicicleta. O benefício do seu uso é evidente, utilizando-se menos material para produção de uma determinada peça, a liga tornar-se-á mais leve e bem mais resistente. Então, por que a maioria das marcas optam por quadros de carbono ao invés de quadros de cromoly? Sem entrar no mérito do mercado, estamos falando de dois assuntos completamente diferentes, ou seja, bicicletas de competição e bicicletas de bikepacking.

Agora, vamos nos imaginar na seguinte situação: perdidos e com o quadro da bike danificado no meio de algum povoado em algum canto do mundo. Certamente, se você tiver enrascado em uma situação dessas, provavelmente encontrará algum soldador de fundo de quintal que poderá lhe ajudar; a tecnologia de fabricação do aço é dominada há milênios pela humanidade. Dessa forma, o quadro cromoly não oferece somente dureza e leveza, mas mais durabilidade e segurança dentro das necessidades específicas de uma viagem de bicicleta.

Tenho utilizado um quadro de cromoly no segundo septênio do Projeto Giraventura. Eu o escolhi a dedo, justamente pelos motivos acima. Tendo mais sete etapas anuais e um epílogo a cumprir dentro da proposta do projeto, estou mais seguro que meu equipamento chegará inteiro em 2027.

Nestor Freire é engenheiro mecânico formado pela FEFAAP, palestrante, ciclista e idealizador do Projeto Giraventura, que é uma proposta de reflexão filosófica baseada em jornadas de bicicleta pelo mundo.

Quer saber mais sobre o Projeto Giraventura? Acesse o site ou acompanhe pelo Instagram como são os preparativos para cada etapa e conheça um pouco mais dessa incrível jornada de bicicleta iniciada em 2013.

Website: www.giraventura.com.br
Instagram: @nestor_giraventura