Jakobsen levou 130 pontos e ficou só com um dente, conta Lefevere

HomeCompetiçõesCiclismo

Jakobsen levou 130 pontos e ficou só com um dente, conta Lefevere

Manager da QuickStep visita ciclista holandês que sofreu uma forte queda na abertura do Tour da Polônia ao ser fechado no sprint

Lefevere visitou Jakobsen e falou para a TV

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O ciclista holandês Fabio Jakobsen terá “longos meses de recuperação pela frente”, disse o manager da equipe Deceuninck-QuickStep, Patrick Lefevere, que o visitou e saiu chocado. “Ele está cheio de cicatrizes no rosto, levou 130 pontos. Só ficou com um dente, perdeu todos os outros. O acidente afetou suas cordas vocais, que ficaram paralisadas. E ele está sem paladar. A abertura que fizeram na garganta para ele respirar já está fechada”, contou Lefevere em entrevista para a VTM Nieuws.

Jakobsen sofreu uma queda gravíssima no sprint final da etapa inicial do Tour da Polônia, no dia 5 de agosto. Leia aqui

Momento da queda na chegada da etapa de abertura do Tour da Polônia

Lefevere disse ainda que as equipes profissionais abriram um canal de comunicação para tomar medidas sérias em nome da segurança dos ciclistas e vão propor novos protocolos. O dirigente acredita que mudanças já serão implementadas no Tour de France 2020, que começa neste sábado (29 de agosto).

Jakobsen, de 23 anos, que ficou em coma induzido e passou por várias cirurgias na Polônia, foi levado para casa, na Holanda, e divulgou uma mensagem aos amigos e fãs. “Quero que todos saibam que estou agradecido por continuar vivo. Todas as mensagens e palavras de apoio que recebei me deram uma força tremenda. Passo a passo, eu posso olhar lentamente para o futuro e vou lutar pela minha recuperação.”

“Passo a passo poderei começar a viver de forma mais independente. Agora estou em casa, onde posso continuar o tratamento. Tenho de descansar muito nos próximos meses por causa de uma contusão severa. Nas próximas semanas e meses, vou passar por múltiplas cirurgias e tratamento para corrigir as lesões faciais”, declarou Jakobsen, sem nunca mencionar o nome do compatriota Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma), que o empurrou para as barreiras na disputa do sprint e foi suspenso pela UCI.

O holandês ainda agradeceu aos profissionais de saúde que o trataram em Katowice, logo após a queda. “Estive uma semana na unidade de cuidados intensivos do hospital. Sou muito grato a todos.”

Além de Jakobsen, a equipe também teve que enfrentar a perda de Remco Evenepoel para o restante da temporada depois que o ciclista teve uma queda violenta na descida do Muro di Sormano durante a clássica Il Lombardia. “O Remco Evenepoel também sofreu uma queda brutal, mas a situação do Jakobsen é muito mais grave. A nossa equipe podia ter passado por dois funerais em dez dias”, afirmou Lefevere.