Tour da Polônia começa com grave queda na chegada

HomeCompetiçõesCiclismo

Tour da Polônia começa com grave queda na chegada

Movimento irregular de Dylan Groenewegen na linha do sprint derruba Fabio Jakobsen e atinge outros ciclistas; Groenewegen foi desclassificado e Jakobsen levado ao hospital

Largada do Tour da Polônia 2020

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O Tour da Polônia começou nesta quarta-feira (5 de agosto) com pequenas quedas no complicado circuito final em Katowice, mas um grave acidente na chegada foi chocante e está provocando polêmica.

Em alta velocidade, os holandeses Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) e Fabio Jakobsen (Deceuninck-QuickStep) duelavam nos metros finais do trajeto em descida e estavam próximos da meta. Groenewegen fez um movimento irregular na linha do sprint para a direita e Jakobsen acabou batendo nas barreiras de proteção. O ciclista da Jumbo-Visma cruzou a linha, caiu e provocou outras quedas, atingindo, inclusive, um dos comissários.

Jakobsen e Groenewegen na chegada

Queda de Dylan Groenewegen

O organização confirmou que Groenewegen foi desclassificado e Jakobsen imediatamente levado ao hospital. A equipe Deceuninck-QuickStep ainda não informou oficialmente o estado do ciclista, mas, segundo declaração do porta-voz Tomasz Świerkot, do Hospital Provincial No. 5 em Sosnowiec, para o qual foi levado, em entrevista à TV polonesa, ele “está sendo operado por uma equipe de ortopedistas e cirurgiões. O estado é difícil, temos que esperar.” Diversos ciclistas estão postando mensagens de apoio a Jakobsen nas redes sociais.

Outros atletas também tiveram que passar por atendimento médico, como Marc Sarreau (Groupama-FDJ), que sofreu fraturas e está fora da competição. 

O Tour da Polônia, em cinco etapas, começou com uma homenagem ao ciclista Bjorg Lambrecht, que tragicamente caiu e morreu há exatamente um ano nesta mesma competição. Lambrecht, que tinha de 22 anos e integrava a equipe Lotto-Soudal, estava em seu segundo ano como profissional, era uma grande promessa do esporte e foi o melhor jovem da Criterium du Dauphine de 2019 (relembre aqui).

Na etapa de abertura, as equipes Deceuninck-QuickStep e Jumbo-Visma, além da Bora-Hansgrohe, controlaram a disputa para levar Jakobsen, Groenewegen e Pascal Ackermann (Bora-Hansgrohe) para a chegada. A 29 quilômetros da meta, um acidente derrubou Wilco Kelderman (Team Sunweb) e John Degenkolb (Lotto-Soudal), entre outros, mas tudo parecia relativamente bem. Na última volta em torno de Katowice, a Trek-Segafredo, a CCC e a Ineos buscavam controlar. Faltando 7 km, Sebastian Molano (UAE Emirates) caiu. Outros acidentes continuaram até o quilômetro final e o sprint foi confuso, com Ackermann, Groenewegen e Jakobsen.

A organização da prova ainda não divulgou como ficarão as classificações.

A equipe Jumbo-Visma divulgou a seguinte declaração sobre o acidente: “Nossos pensamentos se voltam para Fabio Jakobsen e para as outras pessoas envolvidas no terrível acidente de hoje no Tour da Polônia. Falhas como essas não devem acontecer. Oferecemos nossas sinceras desculpas e discutiremos internamente o que aconteceu antes que possamos fazer qualquer declaração adicional”.

Em nota, a UCI (União Ciclística Internacional), disse: “A UCI condena veementemente o comportamento perigoso do ciclista Dylan Groenewegen (Jumbo-Wisma), que jogou Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quickstep) para as barreiras a poucos metros do final, causando um acidente coletivo no final da primeira etapa do Tour da Polônia. Groenewegen foi desclassificado da prova pelo painel dos comissários. A UCI, que considera o comportamento inaceitável, remeteu imediatamente a questão à Comissão Disciplinar para solicitar a imposição de sanções proporcionais à gravidade dos fatos. Nossa Federação está de todo coração com os ciclistas afetados.”

VEJA VÍDEO