Giro d’Italia 2020: Demare supera Sagan e conquista a 4ª vitória

HomeCompetiçõesGiro D'Itália

Giro d’Italia 2020: Demare supera Sagan e conquista a 4ª vitória

Velocista da Groupama-FDJ garantiu mais uma vitória e ampliou a vantagem sobre Sagan na classificação por pontos; Almeida mantém a liderança geral

Demare garantiu a quarta vitória neste Giro – Foto Massimo Paolone/LaPresse

Do Bikemagazine
Fotos La Presse

O francês Arnaud Demare (Groupama-FDJ) foi o mais rápido no sprint da 11ª etapa do Giro d’Italia nesta quarta-feira (14 de outubro). A etapa foi praticamente toda a beira-mar e sem grandes desafios altimétricos.

Demare fechou os 182km entre Porto Sait Elpidio e Rimini em 4h03min52s. No sprint, Demare superou o eslovaco Peter Sagan (Bora-Hansgrohe) e manteve a camisa roxa de líder da classificação por pontos. 

“Os novatos da equipe fizeram um enorme trabalho para trazer Sander Armée de volta ao pelotão. Meus três homens na ponta me deixaram na perfeita posição para sprintar e eu senti muita força em minhas pernas. Quando vim para o Giro eu não achava que ganharia quatro etapas. Tiro o chapéu para meus companheiros de equipe”, contou Demare, que ampliou a liderança na classificação por pontos e agora tem 220 pontos, contra 184 de Peter Sagan.

Na classificação geral, o português João Almeida mantém a liderança com 34 segundos sobre o holandês Wilco Kelderman (Sunweb) e 43 segundos sobre o espanhol Pello Bilbao (Bahrein-McLaren).

“A primeira parte da etapa foi tranquila, mas a chegada foi frenética, com muitas equipes que queriam ir para a ponto do pelotão. Amanhã é uma etapa muito ondulada e haverá alguns ataques, mas estamos preparados”, disse o dono da camisa rosa de líder geral e também dono da camisa branca, de líder geral entre os ciclistas jovens.

Almeida mantém 43 segundos de vantagem sobre Kelderman – Foto Massimo Paolone/LaPresse

Na classificação de montanhas, o português Ruben Guerreiro (EF Pro Cycling) segue na liderança, com 84 pontos, 8 a mais que o italiano Giovanni Visconti (Vini Zabu-KTM). A equipe britânica Ineos-Grenadiers lidera a classificação por equipes, com 12min32s de vantagem sobre os belgas da Deceuninck-Quickstep.

MELHORES MOMENTOS

TOP 5 DA ETAPA
1 Arnaud Demare (Fra) Groupama-FDJ – 4h03min52s
2 Peter Sagan (Evq) Bora-Hansgrohe – mt
3 Alvaro Jose Hodeg Chagui (Col) Deceuninck-Quickstep – mt
4 Simone Consonni (Ita) Cofidis – mt
5 Rick Zabel (Ale) Israel Start-Up Nation – mt

TOP 10 DA GERAL
1 João Almeida (Por) Deceuninck-Quickstep 43h41min57s
2 Wilco Kelderman (Hol) Team Sunweb – a 34s
3 Pello Bilbao (Esp) Bahrain McLaren – a 43s
4 Domenico Pozzovivo (Ita) NTT Pro Cycling – a 57s
5 Vincenzo Nibali (Ita) Trek-Segafredo – a 1:01
6 Patrick Konrad (Aut) Bora-Hansgrohe – a 1:15
7 Jai Hindley (Aus) Team Sunweb – a 1:19
8 Rafal Majka (Pol) Bora-Hansgrohe – a 1:21
9 Fausto Masnada (Ita) CCC Team – a 1:36
10 Hermann Pernsteiner (Aut) Bahrain McLaren – a 1:52

A etapa teve 182km entre Porto Sait Elpidio e Rimini – Foto Fabio Ferrari/LaPresse

PRÓXIMA ETAPA
A 12ª etapa terá 204km em um percurso ondulado, com cinco prêmios de montanha, e subidas que somadas acumulam 3.800 metros de ganho vertical e que podem trazer surpresas aos candidatos ao pódio da classificação geral. A largada e chegada serão em Cesenatico, cidade-natal de Marco Pantani. A jornada homenageia o 50º aniversário do Gran Fondo Nove Colli, corrida que será no mesmo percurso da corrida, com largada às 6h da manhã, com passagem pelas nove colinas na região Romagna.

Há a subida da quarta categoria para Ciola, seguida pela subida da terceira categoria para Barbotto, com uma média de inclinação de 8,4% em um trecho de 4,5 quilômetros, mas há ainda uma rampa final em direção ao topo, com um trecho a 14%. A descida do Barbotto leva imediatamente a uma subida curta, mas, mais uma vez, íngreme, até Montetiffi, que antecede uma subida mais longa para Perticara, outra subida de terceira categoria.

Depois de uma descida rápida há a escalada mais longa e mais alta do dia, até Madonna di Pugliano, de terceira categoria. Ainda há mais duas subidas no caminho, a última de quarta categoria em San Giovanni in Galilea. A partir deste ponto faltam 30 quilômetros até a meta.

AS ETAPAS
Etapa 1 – 3 de outubro – Monreale – Palermo – 15,1 km Contrarrelógio individual
Etapa 2 – 4 de outubro – Alcamo – Agrigento – 149 km
Etapa 3 – 5 de outubro – Enna – Etna (Linguaglossa Piano Provenzana) – 150 km
Etapa 4 – 6 de outubro – Catania – Villafranca Tirrena – 140 km
Etapa 5 – 7 de outubro – Mileto – Camigliatello Silano – 225 km
Etapa 6 – 8 de outubro – Castrovillari – Matera – 188 km
Etapa 7 – 9 de outubro – Matera – Brindisi – 143 km
Etapa 8 – 10 de outubro – Giovinazzo – Vieste (Gargano) – 200 km
Etapa 9 – 11 de outubro – San Salvo – Roccaraso (Aremogna) – 208 km
12 de outubro – Descanso
Etapa 10 – 13 de outubro – Lanciano – Tortoreto – 177 km
Etapa 11 – 14 de outubro – Porto Sant’Elpidio – Rimini – 182 km
Etapa 12 – 15 de outubro – Cesenatico – Cesenatico – 204 km
Etapa 13 – 16 de outubro – Cervia – Monselice – 192 km
Etapa 14 – 17 de outubro – Conegliano – Valdobbiadene – Contrarrelógio individual 34,1 km
Etapa 15 – 18 de outubro – Base Aerea Rivolto (Frecce Tricolori) – Piancavallo – 185 km
19 de outubro – Descanso
Etapa 16 – 20 de outubro – Udine – San Daniele del Friuli – 229 km
Etapa 17 – 21 de outubro – Bassano del Grappa – Madonna di Campiglio – 203 km
Etapa 18 – 22 de outubro – Pinzolo – Laghi di Cancano (Parco Nazionale dello Stelvio) – 207 km
Etapa 19 – 23 de outubro – Morbegno – Asti – 253 km
Etapa 20 – 24 de outubro – Alba – Sestriere – 198 km
Etapa 21 – 25 de outubro – Cernusco sul Naviglio – Milão – Contrarrelógio – 15,7 km

LEIA MAIS
Giro d’Itália no Bikemagazine