Avaliação: lubrificante Interflon Lube TF

HomeOficinaManutenção

Avaliação: lubrificante Interflon Lube TF

Confira o teste do óleo lubrificante específico para bicicletas da empresa holandesa Interflon, à base de óleo mineral, do tipo “seco”

A marca holandesa foi uma das pioneiras a usar Teflon em sua composição

Do Bikemagazine
Texto e fotos de Gabriel Vargas

Nossa experiência com o Interflon Lube TF atendeu às expectativas e, após os testes, rendeu uma avaliação favorável ao produto. É um lubrificante à base de óleo mineral, do tipo “seco”, que deixa uma película não pegajosa se aplicado de maneira correta. Segundo o fabricante, Lube TF possui partículas ionizadas que aderem e penetram no metal da corrente, preenchendo a textura microscópica característica de qualquer liga metálica, o que o diferencia de lubrificantes minerais comuns.

A Interflon foi fundada na Holanda em 1980 e é pioneira no uso do Teflon como lubrificante. A marca está presente em mais de 50 países e entre seus 135 mil clientes estão renomadas empresas automobilísticas, siderúrgicas, petroquímicas, alimentícias e mineradoras.

Como veremos na avaliação, a performance do lubrificante depende amplamente das condições de uso, cuidados na aplicação e reaplicação e necessidades específicas na manutenção e limpeza da bike. Em nossos testes, o Lube TF substituiu desde lubrificantes minerais similares, de marcas de alto padrão, a lubrificantes de cera de alta qualidade e lubrificantes minerais de uso geral e de menor qualidade.

Até o momento da publicação desta avaliação, não fomos informados do preço sugerido ao consumidor, mas uma breve pesquisa mostra que o frasco de 30ml custa aproximadamente R$ 40, enquanto que o frasco de 120ml (voltado para uso em oficinas) custa entre R$ 100 e R$120.

O produto está disponível em frascos de 30ml (foto) e de 120ml

Na estrada
Após alguns anos utilizando exclusivamente lubrificantes de cera, esperávamos o típico acúmulo de sujeira de um óleo mineral, com resíduos pretos e grudentos por toda parte. Porém, se aplicado de maneira correta, o resultado é muito melhor que o esperado. Como sempre faço ao utilizar um novo lubrificante, tive o cuidado de remover todo e qualquer traço de lubrificantes anteriores (deixando a corrente de molho em Thinner por 8 horas e deixando secar por mais algumas horas). Em seguida, apliquei o lubrificante, girei um pouco na rua para que o movimento e a carga aplicada na corrente expulsasse o excesso de óleo, e em seguida removi o máximo possível do lubrificante que ficou exposto na superfície da corrente, com um pano limpo.

Esse cuidado permitiu que a transmissão ficasse agradavelmente macia e com trocas suaves e silenciosas, sem reter muita sujeira. A sensação de baixa fricção na relação é bastante evidente e nem mesmo o suave ruído que ouço quando aplico lubrificantes de cera (mesmo que tudo esteja limpíssimo e bem regulado) desapareceu. A durabilidade é adequada para um óleo mineral. Durante os testes, senti a necessidade de reaplicar (após limpar a superfície da corrente com um pano) aproximadamente a cada 500km, embora pudesse tranquilamente manter por mais tempo. Durante os testes, o clima era majoritariamente seco, com garoa leve em duas ocasiões.

Como esperado, com o passar do tempo a relação começa a ficar suja, deixando marcas ao passar o dedo na corrente e deixando também o cassete todo preto. Isso é inevitável e acontece com qualquer lubrificante mineral, como os Finish Line e Muc-Off, e acontece até mesmo com os lubrificantes de cera, embora em menor grau.

Embora a sensação de maciez e baixa fricção na transmissão sejam muito positivas, pessoalmente ainda utilizarei o lubrificante de cera à base de água (Squirt). Por morar em apartamento, a dificuldade de limpar completamente a relação e lidar com os resíduos no processo de limpeza do óleo mineral são fatores importantes. 

Mountain bike e uso urbano
Para a avaliação em outros cenários, repassei algumas amostras do Interflon Lube TF a pessoas que poderiam utilizá-lo em trilhas, estrada de terra e também a alguém que utiliza a bike como meio de transporte em ambiente urbano.

No mountain bike, as sensações relatadas são exatamente as mesmas do teste com a bike de estrada: corrente macia e trocas suaves e silenciosas, com a impressão de baixa fricção no sistema. Porém, nesse cenário, os cuidados com a aplicação são ainda mais críticos. É vital que o excesso de lubrificante seja cuidadosamente eliminado da superfície da corrente após a aplicação, caso contrário haverá bastante acúmulo de sujeira. Novamente, nada muito diferente dos outros melhores lubrificantes minerais do mercado.

No uso urbano, nosso avaliador colocou o lubrificante sob as condições mais extremas, com bastante uso sob chuva, inclusive utilizando a bike inúmeras vezes após a chuva sem reaplicação. Nesse cenário, os cuidados com a aplicação não foram tão bem seguidos à risca. Assim como antes, foi relatado uma agradável sensação de corrente macia e silenciosa, com excelente durabilidade (dessa vez, comparado a lubrificantes minerais mais simples, como óleos de uso geral e óleos específicos para bike de marcas nacionais mais baratas). O acúmulo de sujeira não foi melhor que os demais lubrificantes, especialmente pela aplicação desleixada e irregular, muito comum de se observar nas bikes “pau pra toda obra”, como nesse caso.

Veredito
O Interflon Lube TF é um bom lubrificante, que atende às expectativas entre as melhores marcas e tem performance comparável, em nossa avaliação, a similares como Finish Line Dry e Muc-Off. Se aplicado corretamente e seguindo todos os cuidados, o acúmulo de sujeira é reduzido, mas inevitável ao passar dos quilômetros. A durabilidade na corrente é muito boa, novamente igual ou até mesmo superior aos concorrentes.

Meu agradecimento à oficina CycleStation, de Campinas, pela ajuda durante a avaliação do produto.

Mais informações:
Interflon do Brasil
Rua Carlos Pinto Alves 35 – Jd. Aeroporto (São Paulo)
(11) 5565-3600
www.interflon.com.br
www.calypsonet.com.br