Tirreno-Adriático começa quarta-feira, com Sagan, Van der Poel e Pogacar

HomeCiclismo

Tirreno-Adriático começa quarta-feira, com Sagan, Van der Poel e Pogacar

Corrida em sete etapas terá três etapas com mais de 200 km; confira o percurso, os favoritos e mais informações

Corrida Tirreno-Adriático, a corrida entre dois mares, começa nesta quarta-feira

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/LaPresse

A Tirreno-Adriático 2021 começa nesta quarta-feira (10 de março) e terá sete etapas, incluindo um contrarrelógio individual no último dia e uma chegada ao alto em Prati di Tivo. A corrida, que completa 56 edições, cruza novamente a Itália partindo da costa do Mar Tirreno para o Adriático, da Toscana a Marche, passando pelas regiões de Umbria e Abruzzo. Pelo segundo ano consecutivo, não há contrarrelógio por equipes.

O percurso de 1.109 km conta com três etapas com mais de 200 km, que geralmente são aproveitadas por aqueles em busca da preparação para a Milão-San Remo, a primeira das cinco Clássicas Monumento, que será dia 20 de março.

 

O trajeto passa por regiões atualmente em zona vermelha por causa da pandemia Covid-19, mas a organizadora RCS, a mesma do Giro d’Italia, garante que as regras para manter a segurança dos ciclistas foram endurecidas e recebeu sinal verde para seguir com a prova.

A Tirreno-Adriático terminará mais uma vez com um contrarrelógio na orla marítima de San Benedetto del Tronto. Vale lembrar que o atual campeão mundial de crono, o italiano Filippo Ganna (Ineos Grenadiers) venceu a etapa no ano passado e está confirmado na disputa deste ano.

Pelotão na Tirreno-Adriático de 2020

Competidores
Simon Yates (Team BikeExchange), vencedor de 2020, vai defender o título. No pelotão estarão Peter Sagan (Bora-Hansgrohe), que estreia a temporada depois de se recuperar da Covid-19, além de Nairo Quintana (Arkéa-Samsic), Vincenzo Nibali e seu companheiro de equipe Trek-Segafredo Giulio Ciccone, o vencedor do Tour de France Tadej Pogacar (UAE Emirates), Jakob Fuglsang (Astana), Mikel Landa (Bahrain Victorious) , João Almeida (Deceuninck-QuickStep), Egan Bernal (Ineos Grenadiers), Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) e Romain Bardet (Team DSM).

Wout van Aert (Jumbo-Visma) estará na disputa pela primeira vez e reencontra seu adversário habitual Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix), que acaba de vencer a Strade Bianche. Quem também está confirmado é o campeão mundial de estrada Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep).

Entre os sprintistas estarão Fernando Gaviria (UAE Emirates), Niccolò Bonifazio (Total Direct Énergie), Matteo Moschetti (Trek-Segafredo), Caleb Ewan (Lotto Soudal), Álvaro Hodeg (Deceuninck-QuickStep) e Elia Viviani (Cofidis).

A Ineos Grenadiers montou um time forte, com Geraint Thomas e Egan Bernal, mais Pavel Sivakov, Dani Martínez e Michał Kwiatkowski, além de Ganna.

VEJA PERCURSO

Percurso
Pelo segundo ano consecutivo, a corrida começa com uma etapa plana e rápida de 156 km ao redor de Lido di Camaiore. A primeira metade do percurso sobe a Pitoro, escalada do antigo GP di Camaiore, mas os 86 km finais cobrem um circuito de quatro curvas. A chegada é à beira-mar.

A 2ª etapa tem 202 km e segue para o interior da Toscana, com passagem por Volterra, entre vinhedos e oliveiras. Não há estradas de terra na passagem pela área de Siena, que recebe a Strade Bianche, mas há a subida ao Poggio alla Croce, com um quilômetro final tortuoso e 5,4% de inclinação.

A 3ª etapa segue até para Gualdo Tadino e terá 219 km, com uma chegada para velocistas apesar de uma subida de 3% para a linha de chegada e curva fechada à esquerda a um quilômetro do final.

A 4ª etapa promete ser crucial, com um dia curto, mas intenso, através dos Apeninos, de Terni até a estação de esqui de Prati di Tivo. A etapa de 156 km inclui as escaladas da Forca di Arrone, Sella di Corno e Passo Capannelle, cada uma aumentando a altitude antes de uma longa descida. Em seguida chega a base para a escalada final para Prati di Tivo, a 1.450 metros. A subida de 14,5 km possui 22 curvas fechadas e uma inclinação média de 7%, com máxima de 12%.

A 5ª etapa começa com um trecho de 100 km ao longo da costa do Adriático, mas termina com quatro voltas em um difícil circuito de 23 km em torno de Castelfidardo, com uma sucessão de três subidas íngremes. O quilômetro final é duríssimo, com 14,9% de inclinação.

A 6ª e penúltima etapa é plana, de Castelraimondo até o resort Lido di Fermo, com um circuito de chegada de 11 km com quatro passagens. A corrida termina em San Benedetto del Tronto, no tradicional contrarrelógio final, com 10,1 km.

AS ETAPAS
Etapa 1 – 10 de março – Lido di Camaiore – Lido di Camaiore – 156 km
Etapa 2 – 11 de março – Camaiore – Chiusdino – 202 km
Etapa 3 – 12 de março – Monticiano – Gualdo Tadino – 219 km
Etapa 4 – 13 de março – Terni – Prati di Tivo – 148 km
Etapa 5 – 14 de março – Castellalto – Catelfidardo – 205 km
Etapa 6 – 15 de março – Castelraimondo – Lido di Fermo – 169 km
Etapa 7 – San Benedetto del Tronto (CRI) – 10.1km

LEIA MAIS
Tirreno-Adriático no Bikemagazine
Site oficial