Liège-Bastogne-Liège: Pogacar vence Alaphilippe no sprint

HomeCompetições

Liège-Bastogne-Liège: Pogacar vence Alaphilippe no sprint

Esloveno estava no grupo de cinco ciclistas que escapou na subida final e superou Alaphilippe na linha de chegada

Photo Finish da Liège-Bastogne-Liège

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/ASO

Aos 22 anos, o esloveno Tadej Pogacar (UAE Emirates) venceu neste domingo sua primeira clássica Monumento ao faturar a Liège-Bastogne-Liège, na Bélgica. Campeão do Tour de France de 2020, Pogacar cronometrou sua chegada perfeitamente e superou Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep) na linha.

David Gaudu (Groupama-FDJ) ficou em 3º na chegada disputada com cinco ciclistas: Alejandro Valverde (Movistar), que completou 41 anos neste domingo, ficou em 4º e Michael Woods (Israel Start-up Nation) foi o 5º.

 

Os cinco escaparam a 13 km da meta, na subida final da corrida de 259,1 km de percurso, que fechou o calendário de clássicas nas Ardennes, em Côte de Roche aux Faucons, e seguiram juntos até o último quilômetro.

Valverde, buscando sua quinta vitória na corrida para igualar o recorde de Eddy Merckx, abriu o sprint antes de Alaphilippe e acabou ficando para trás, enquanto Pogacar avançava.

Pogacar comemora sua primeira Monumento

“Amo essa corrida e vencer aqui contra esses nomes é incrível. Tive sorte no final, foi um bom vento para mim porque eu estava vindo por trás e coloquei mais velocidade. É inacreditável. Estou vivendo meu sonho de ciclismo”, disse o esloveno.

A vitória veio dias depois que Pogacar e sua equipe foram forçados a desistir da Flèche Wallonne (vencida por Alaphilippe) após dois integrantes do staff testarem positivo para Covid-19. “Ficamos muito desapontados por não estarmos na Flèche. Teria sido ótimo para nós, mas estávamos muito motivados e estamos muito felizes que hoje tenha sido assim ”, disse Pogacar, que confirmou que agora vai descansar e começar a preparação para o Tour de France.

Tomasz Marczynski e Loïc Vliegen escapados

A prova começou com uma fuga logo nos primeiros quilômetros, com Laurens Huys e Mathijs Paasschens (Bingoal Pauwels Sauces WB), Loïc Vliegen e Lorenzo Rota (Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux), Sergei Chernetski (Gazprom-Rusvelo), Tomasz Marczynski (Lotto Soudal) e Aaron Van Poucke (Sport Vlaanderen-Baloise), que chegaram a abrir 10min de vantagem.

Na frente do pelotão perseguidor, a UAE Emirates, Deceuninck e Jumbo-Visma começaram a acelerar o ritmo. A 90 km do final, a vantagem do grupo era de 5 minutos.

Luis León Sánchez (Astana-PremierTech) foi um dos primeiros a atacar, seguido pelo companheiro de equipe Omar Fraile e Luke Rowe (Ineos-Grenadiers). No Haute Levée, Philippe Gilbert (Lotto Soudal) avançou; Greg Van Avermaet (AG2R Citroën) foi o próximo a acelerar, mas a Jumbo-Visma reagiu.

Os ataques continuaram no Col du Rosier: Niklas Eg (Trek-Segafredo) e Rémy Rochas (Cofidis) aumentaram a pressão. Os companheiros de equipe de Alaphilippe marcaram os movimentos, mas mais uma vez Lotto Soudal e a Astana continuaram a reagir.

Pelotão no percurso da Monumento mais antiga da história do ciclismo, cuja estreia foi em 1892

Depois do Rosier, Mark Padun (Bahrain Victorious), Harm Vanhoucke (Lotto Soudal) e Mark Donovan (Team DSM) conseguiram escapar e rapidamente abriram uma vantagem de mais de um minuto.

Na subida a La Redoute, a Ineos, com Tao Geoghegan Hart, forçou o ritmo e dividiu o pelotão. Pogacar estava no grupo, mas o atual campeão Primoz Roglic e Alaphilippe não. Enquanto o grupo liderado pela Ineos avançava, Roglic conseguiu alcançar e ultrapassar. A Deceuninck, então, começou uma forte perseguição.

Na penúltima subida, no Côte des Forges, Geoghegan Hart acelerou com o companheiro de equipe Adam Yates. O grupo da frente diminuiu a velocidade e, ao mesmo tempo, Richard Carapaz, também Ineos, escapou. O equatoriano abriu uma lacuna de 20 segundos, descendo o Côte des Forges e liderou até o Côte de la Roche-aux-Faucons. James Knox, com Alaphilippe, encostou.

Davide Formolo (UAE Emirates) acelerou forte e Woods respondeu ao ataque. Restavam Pogacar, Alaphilippe, Gaudu e Valverde e os cinco seguiram juntos até o quilômetro final.

Na prova das mulheres, a vencedora foi a holandesa Demi Vollering, de 24 anos, companheira de equipe de Anna van der Breggen (Team SD Worx), campeã mundial e vencedora da corrida em 2017 e 2018. A também holandesa Annemiek van Vleuten (Movistar) ficou em 2º e a italiana Elisa Longo Borghini (Trek-Segafredo) foi a 3ª.

TOP 10
1 Tadej Pogacar (Slo) UAE Team Emirates 06:39:26
2 Julian Alaphilippe (Fra) Deceuninck-QuickStep m.t.
3 David Gaudu (Fra) Groupama-FDJ m.t.
4 Alejandro Valverde (Esp) Movistar Team m.t.
5 Michael Woods (Can) Israel Start-up Nation m.t.
6 Marc Hirschi (Sui) UAE Team Emirates 00:00:07
7 Tiesj Benoot (Bel) Team DSM m.t.
8 Bauke Mollema (Hol) Trek-Segafredo m.t.
9 Maximilian Schachmann (Ale) Bora-Hansgrohe 00:00:09
10 Matej Mohoric (Slo) Bahrain Victorious m.t.

ÚLTIMO KM

MELHORES MOMENTOS PROVA FEMININA

LEIA MAIS
Liege-Bastogne-Liege no Bikemagazine

Site oficial do evento