Tóquio: Brasil confirma Avancini, Cocuzzi e Jaqueline Mourão

HomeCompetições

Tóquio: Brasil confirma Avancini, Cocuzzi e Jaqueline Mourão

Avancini disputa 2º Jogos Olímpicos, Cocuzzi vai pela primeira vez e veterana Jaqueline, de 45 anos, estará em sua 3ª disputa, depois de Atenas e Pequim

Avancini na disputa em Nove Mesto

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC) confirmou Henrique Avancini, Luiz Henrique Cocuzzi e Jaqueline Mourão no MTB cross country olímpico nos Jogos de Tóquio. De acordo com o sistema de classificação da UCI (União Ciclística Internacional), o Brasil garantiu três vagas no MTB XCO, duas no masculino ao encerrar o ranking de nações na 4ª colocação e uma no feminino, que finalizou na 17ª posição.

Os rankings contaram os pontos da temporada 2020 e fecharam após a etapa da Copa do Mundo de MTB em Nove Meto, na República Tcheca.

A prova do cross country olímpico em Tóquio será nos dias 26 de julho (masculino) e 27 de julho (feminino).

 

O único com a vaga garantida era Henrique Avancini, de 32 anos, que vai disputar os Jogos Olímpicos pela segunda vez, depois da Rio-2016, quando encerrou na 23ª colocação.

Campeão brasileiro, integrante da equipe internacional Cannondale Factory Racing, Avancini começou a temporada 2021 como o número 1 do ranking mundial, mas caiu para a 4ª colocação após a atualização da UCI depois das duas etapas da Copa do Mundo, na Alemanha e na República Tcheca. Com vaga garantida em Tóquio, suas atenções estão voltadas para sua preparação.

“Os Jogos Olímpicos sempre vêm carregados de uma expectativa externa enorme. As pessoas esperam pelo melhor resultado possível, mas é importante entender que na cabeça do atleta essa expectativa é algo anterior, que vem de forma permanente. O processo olímpico é longo e é importante você competir em alto nível durante todo o período e competições que antecedem”, conta.

Luiz Cocuzzi na seleção brasileira na Copa do Mundo

A segunda vaga para o MTB brasileiro no masculino estava indefinida, com Guilherme Muller e Luiz Henrique Cocuzzi na disputa. Cocuzzi, de 27 anos, com sete títulos brasileiros e campeão pan-americano em 2018, foi o escolhido segundo o critério da CBC, que segue os mais bem pontuados no ranking e vai disputar os Jogos Olímpicos pela primeira vez.

Nas duas etapas da Copa do Mundo de 2021, Cocuzzi foi melhor que Muller. Na etapa de abertura, em Albstadt, na Alemanha, encerrou em 36º e Muller não terminou. Na segunda rodada, em Nove Mesto, ficou em 56º e Muller em 75º.

“Agora começo me preparar ainda mais com foco total neste momento que representa o nível máximo na carreira de qualquer atleta. Emoção e felicidade que não cabem no peito: depois de muita superação, suor e muito trabalho ao longo dos últimos anos, chego aonde eu sempre sonhei estar”, comemorou.

Jaqueline Mourão nos Pan-Americanos em 2019, quando conquistou a medalha de bronze

No feminino, a convocada foi a veterana Jaqueline Mourão, de 45 anos, que disputava a vaga com Raiza Goulão. Esta será a sétima Olimpíada da sua carreira, a terceira edição de verão participando no mountain bike, além das quatro edições das Olímpiadas de Inverno, entre 2006 e 2018. A melhor participação da brasileira no mountain bike em Jogos Olímpicos foi em Atenas-2004, quando ela ficou em 18º lugar. Em Pequim-2008 ela terminou em 19ª.

“Muita emoção. Um filme passando na minha cabeça de toda esta trajetória de me lançar novamente no MTB depois de 10 anos, mãe de dois, buscando fazer as pazes com o passado; colhemos medalha nos Jogos Panamericanos e, agora, a confirmação da vaga olímpica. Esta conquista é o fruto de tanta coisa e fecha um ciclo muito especial na minha vida. Dedico esta vaga a todos que sonham como eu, com determinação, paixão, livres de tabus e que colocam a cara a tapa em busca do seu crescimento pessoal e dos seus sonhos”, disse a atleta.

LEIA MAIS
Jogos de Tóquio: confira vídeo do evento-teste do MTB XCO

Mountain bike no Bikemagazine