Tour 2021: mulher que causou queda na 1ª etapa é identificada

HomeTour de France

Tour 2021: mulher que causou queda na 1ª etapa é identificada

Francesa de 31 anos foi detida após cinco dias de buscas e deverá responder a processo e pagar multa

Após cinco dias de buscas, espectadora é identificada

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A espectadora que causou um acidente ao colocar um cartaz com os dizeres “Allez opi omi” (em tradução livre “Vamos vovô e vovó”) na etapa de abertura do Tour de France, no último sábado, foi finalmente identificada, segundo a organização do Tour.

Após cinco dias de buscas, a polícia francesa identificou a mulher, que é francesa e tem 31 anos. Ela está na delegacia de Landernau e foi colocada em prisão preventiva.

A mulher vai responder por acusação de lesões involuntárias e violação da obrigação de respeitar a segurança e a prudência e pode ser multada em 1.500 euros. Caso o ciclista alemão Jasha Sütterlin (Team DSM), um dos atingidos na queda, que se machucou e foi obrigado a abandonar, fizer uma denúncia, a multa poderá subir para 15 mil euros e a acusada poderá ficar até um ano na prisão.

Nas imagens ao vivo é possível ver a mulher inclinada enquanto segura um cartaz de papelão para aparecer na televisão (relembre aqui). Por estar de costas, ela não percebeu o quão perto os ciclistas estavam e não retirou o cartaz a tempo da passagem do pelotão. O alemão Tony Martin foi o primeiro a cair e, na estrada estreita, muitos outros foram ao chão. Além de Sütterlin, o francês Cyril Lemoine (B&B Hotels-KTM) e o lituano Ignatas Konovalovas (Groupama-FDJ) também abandonaram por causa dos ferimentos. “Eu vi a mulher, vi a placa, mas não tive tempo para reagir”, disse Martin à imprensa.

A polícia disse que a mulher, que usava óculos e uma jaqueta amarela, saiu do local antes que os investigadores chegassem.

Procura-se: fãs do Tour lembram o infeliz episódio “opi omi”

Pierre-Yves Thouault, vice-diretor de ciclismo da ASO, que organiza o Tour de France, ameaçou processar a espectadora. A corrida, que dá a chance de muitos fãs verem de perto a passagem dos ciclistas, tem enfrentado nos últimos anos muitas situações que comprometem a segurança do pelotão. Fãs posando para selfies de costas, por exemplo, se tornaram um grande problema.

No Instagram, Martin escreveu: “A todas as pessoas à beira da estrada que pensam que o Tour de France é um circo, às pessoas que arriscam tudo por uma selfie com um pelotão rápido de 50 km/h, às pessoas que acham que é bom mostrar a bunda nua, para os bêbados que nos empurram de lado nas subidas, para as pessoas que acham que é uma boa ideia segurar uma placa na estrada enquanto o pelotão passa. Quero pedir veementemente a essas pessoas: Por favor, respeitem os ciclistas e o Tour de France! ”

LEIA MAIS
Tour de France no Bikemagazine