Vuelta 2021: Roglic vence 17ª etapa e retoma a liderança geral

HomeCompetições

Vuelta 2021: Roglic vence 17ª etapa e retoma a liderança geral

Esloveno responde a forte ataque do colombiano Egan Bernal e cruza com 1min35s sobre seu colega de equipe Sepp Kuss

Roglic na vitória solo em Lagos de Covadonga

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/Unipublic/Photogomez Sport

Primoz Roglic (Jumbo-Visma) venceu a 17ª etapa da Volta a Espanha nesta quarta-feira (1 de setembro) e retomou a camisa vermelha de líder da classificação geral. O esloveno conquistou vitória solo nos Lagos de Covadonga depois de responder ao ataque de Egan Bernal (Ineos Grenadiers) a 60 km da meta.

Roglic cruzou com vantagem de 1min35s sobre seu colega de equipe Sepp Kuss. Miguel Angel Lopes (Movistar) foi o 3º e Bernal cruzou na 7ª colocação, junto com Adam Yates, seu companheiro de equipe.

 

Na classificação geral, a vitória deu a Roglic uma vantagem de 2min22s sobre Enric Mas (Movistar) e 3min11s sobre Lopez. O então líder Odd Christian Eiking (Intermarché-Wanty) se despediu da camisa vermelha depois de cruzar a linha de chegada a quase 10 minutos.

“No ciclismo sempre há risco, muita coisa pode acontecer. Mas hoje correu bem. É um dia super legal para mim e para toda a equipe. Não pensei em nada, apenas fui com Egan Bernal. Fiquei pensando um pouco… Nossa, isso é bem longe, com uma subida ainda difícil no final. Mas estava indo bem e apenas pedalei o mais forte possível na última escalada. Quando vi, estava sozinho”, contou Roglic.

“Acho que foi a minha melhor atuação na Vuelta. A diferença na classificação geral nunca é grande o suficiente, mas é boa, nós merecemos. Aconteça o que acontecer, amanhã teremos uma etapa rainha”, completou, referindo-se ao percurso desta quinta-feira (2 de setembro), de Salas ao Altu d’El Gamoniteiru, com 162, 6 km, certamente um dos dias mais esperados da competição. A inédita chegada ao alto em Gamoniteiru, que faz parte da mesma cordilheira onde está o Angliru, é a escalada mais difícil da Vuelta 2021. Em comparação com o vizinho Angliru, o Gamoniteiru é mais longo, com 14,6 km, mais íngreme e certamente fará diferença depois de o pelotão passar pelas subidas de San Llaurienzu e La Cobertoria (ambas de categoria 1) e El Cordal (categoria 2). As rampas mais difíceis contam com 17% de inclinação, em estrada estreita e constantemente íngreme.

Bernal e Roglic no ataque

Para Bernal, que levou o prêmio de mais combativo do dia, a etapa e o duelo com Roglic foram o “verdadeiro ciclismo”. Estou feliz por fazer parte desta vitória porque Roglic foi corajoso. Ele liderou a corrida e me acompanhou, e se revezou na planície. Hoje ele foi o mais forte e estou feliz por ele. Ao longo da Vuelta tenho sofrido muito, mesmo em um grupo de 30 estava no limite, e hoje finalmente tive boas pernas”, afirmou. 

A etapa, com 185,8 km, começou na cidade de Unquera e assim que foi dado o sinal de partida seis homens atacaram: Pelayo Sánchez (Burgos-BH), Cesare Benedetti (Bora-Hansgrohe), Mauri Vansevenant (Deceuninck-Quick Step), Arnaud Démare e Olivier Le Gac (Groupama-FDJ) e Dylan Sunderland (Qhubeka NextHash). Dez quilômetros depois, Jan Tratnik (Bahrain Victorious) e Robert Stannard (BikeExchange) os alcançaram. Mas os escapados foram neutralizados após 30 km.

Pouco depois, outro grupo, com Alex Krieger (Alpecin-Fenix), Mark Padun (Bahrain Victorious), Kevin Geniets (Groupama-FDJ), Andreas Kron (Lotto Soudal), Damien Howson (BikeExchange), Michael Storer ( Team DSM), Bert-Jan Lindeman (Qhubeka NextHash) e Joe Dombrowski (UAE Emirates) tentou escapar, mas ele também não foram muito longe.

O pelotão chegou à primeira subida ao La Collada Llomena, onde se destacou um grupo de cerca de 30 homens. Foi ali que o então camisa vermelha Odd Christian Eiking começou a sofrer. Olivier Le Gac (Groupama-FDJ) avançou na descida, com 30 segundos de vantagem.

A 75 km da linha de chegada, com chuva, Le Gac continuava na frente, mas foi alcançado na segunda escalada ao La Collada Llomena, quando ocorreu o forte ataque de Bernal (Ineos), que apenas Roglic poderia responder. O colombiano e o esloveno abriram cada vez mais vantagem, mas, a 7,7 km da meta, Roglic acelerou e ninguém mais o alcançou.

TOP 10 DA ETAPA
1 Primoz Roglic (Slo) Jumbo-Visma 4:34:45
2 Sepp Kuss (EUA) Jumbo-Visma 0:01:35
3 Miguel Angel Lopez Moreno (Col) Movistar Team m.t.
4 Adam Yates (GBr) Ineos Grenadiers m.t.
5 Jack Haig (Aus) Bahrain Victorious m.t.
6 Enric Mas Nicolau (Esp) Movistar Team m.t.
7 Egan Bernal Gomez (Col) Ineos Grenadiers m.t.
8 Gino Mäder (Sui) Bahrain Victorious m.t.
9 Louis Meintjes (RSA) Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux 0:02:29
10 Clément Champoussin (Fra) AG2R Citroën Team 0:02:44

TOP 10 DA CLASSIFICAÇÃO GERAL
1 Primoz Roglic (Slo) Jumbo-Visma 68:42:56
2 Enric Mas Nicolau (Esp) Movistar Team 0:02:22
3 Miguel Angel Lopez Moreno (Col) Movistar Team 0:03:11
4 Jack Haig (Aus) Bahrain Victorious 0:03:46
5 Guillaume Martin (Fra) Cofidis 0:04:16
6 Egan Bernal Gomez (Col) Ineos Grenadiers 0:04:29
7 Adam Yates (GBr) Ineos Grenadiers 0:04:45
8 Sepp Kuss (EUA) Jumbo-Visma 0:05:04
9 Felix Grossschartner (Aut) Bora-Hansgrohe 0:06:54
10 Gino Mäder (Sui) Bahrain Victorious 0:06:58

AS CAMISAS
Camisa vermelha – líder da classificação geral –Primoz Roglic (Jumbo-Visma)
Camisa verde – líder da classificação por pontos – Fabio Jakobsen (Deceuninck QuickStep)
Camisa de bolinhas azuis – líder da classificação de montanha – Romain Bardet (Team DSM)
Camisa branca – líder da classificação de melhor jovem – Egan Bernal (Ineos Grenadiers)

Próxima etapa
A 18ª etapa, nesta quinta-feira (2 de setembro) será de Salas ao Altu d’El Gamoniteiru, com 162, 6 km. A inédita chegada ao alto em Gamoniteiru, que faz parte da mesma cordilheira onde está o Angliru, é a escalada mais difícil da Vuelta 2021.

A 18ª etapa é uma das mais esperadas da Vuelta 2021

AS ETAPAS

Etapa 1 – 14 de agosto – Burgos – Burgos (ITT) – 7,1 km
Etapa 2 – 15 de agosto – Calaruega – Burgos – 166,7 km
Etapa 3 – 16 de agosto – Santo Domingo de Silos – Picón Blanco – 202,8 km
Etapa 4 – 17 de agosto – El Burgo de Osma – Molina de Aragón – 163,9 km
Etapa 5 – 18 de agosto – Tarancon – Albacete – 184,4 km
Etapa 6 – 19 de agosto – Requena – Alto de Cullera – 158,3 km
Etapa 7 – 20 de agosto – Gandia – Balcão de Alicante (Puerto de Tibi) – 152km
Etapa 8 – 21 de agosto – Santa Pola – La Manga del Mar Menor – 173,7 km
Etapa 9 – 22 de agosto – Puerto Lumbreras – Velefique – 188 km

Dia de descanso – 23 de agosto

Etapa 10 – 24 de agosto – Roquetas de Mar – Rincon de la Victoria – 189 km
Etapa 11 – 25 de agosto – Antequera – Valdepeñas de Jaén – 133,6 km
Etapa 12 – 26 de agosto – Jaén – Cordoba – 175 km
Etapa 13 – 27 de agosto – Belmez – Villanueva de la Serena – 203,7 km
Etapa 14 – 28 de agosto – Don Benito – Pico de Villuercas – 165,7km
Etapa 15 – 29 de agosto – Navalmoral de la Mata – El Barraco – 197,5 km

Dia de descanso – 30 de agosto

Etapa 16 – 31 de agosto – Laredo – Santa Cruz de Bezana – 180 km
Etapa 17 – 1 de setembro – Unquera – Lagos de Covadonga – 185,8 km
Etapa 18 – 2 de setembro – Salas – Altu d’El Gamoniteiru – 162, 6 km
Etapa 19 – 3 de setembro – Tapia – Monforte de Lemos – 191,2 km
Etapa 20 – 4 de setembro – Sanxenxo – Mos Herville Castro – 202,2 km
Etapa 21 – 5 de setembro – Padrón – Santiago de Compostela (ITT) – 33,8 km

LEIA MAIS
Volta a Espanha no Bikemagazine

VEJA VÍDEOS

ÚLTIMO KM

DESTAQUES