Hans Becking e José Dias vencem o prólogo da Brasil Ride

HomeBrasil Ride

Hans Becking e José Dias vencem o prólogo da Brasil Ride

Dupla luso-holandesa abriu 36s de vantagem sobre Sherman Trezza e Lukas Kaufmann. No feminino a vitória foi das brasileiras Marcella Toldi e Lutecia Azevedo

A dupla vencedora Becking e Dias completou o percurso em 47min38s – Foto de Mario Jordany

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A dupla formada pelo holandês Hans Becking e o português José Dias (Buff Scott) venceu o prólogo de abertura da Brasil Ride realizada neste domingo (7 de novembro) em Arraial d’Ajuda, na Bahia. A disputa foi contra o relógio em um percurso de 20,8km com 327 metros de altimetria acumulada.

A dupla vencedora fechou o cronômetro em 47min38s. Na segunda colocação ficou Sherman Paiva e Lukas Kaufmann (Sherman Lucas), a 36 segundos. A terceira colocação ficou com Edson Júnior Ulan Galinski (Caloi Henrique Avancini Racing), a 1min07s.

Lukas Kauffman e Sherman Trezza são os vice-líderes a 36s – Foto de Wladimir Togumi

Na categoria feminina a vitória foi da equipe 4Fun Bike Center, com a dupla formada pelas brasileiras Marcella Toldi e Lutécia Azevedo, que completaram a prova em 1h03min48s, 1min16s à frente da alemã Naima Diesdner e da espanhola Anna Jordens (9th Wave Cycling). Na terceira colocação, a 7min30s, ficou a dupla das brasileiras Aline Olmedo e Lucinéia Brunetta (Ladies AllRide).

Na elite feminina a vitória foi de Marcella Toldi e Lutécia Azevedo – Foto de Wladimir Togumi

Becking e José Dias não esconderam a felicidade por terem começado com tudo a edição de 2021 da prova no extremo Sul da Bahia.

“É muito bom iniciar com essa camiseta amarela. Decidimos começar devagar, porque a temperatura estava muito quente. Rodamos no nosso ritmo e fizemos uma boa apresentação. Vencer a primeira etapa é bastante legal, para a nossa confiança, mas sei que foram apenas cerca de 5% da prova toda. É sempre bom começar com o pé direito e não precisar correr atrás. Temos uma semana inteira pela frente, mas estou bastante feliz pelo início”, comemorou o holandês.

“Esta é minha terceira vez na prova, porém a primeira ao lado do Hans. Para nós este prólogo era uma incógnita. Estava muito calor e sabemos que este é um ponto crucial da disputa. Ouvimos nosso corpo, administramos a temperatura, que é realmente diferente nesta época do ano de Portugal para aqui. Estar aqui e vencer esse primeiro dia, é bom demais. Não poderia ser melhor”, enalteceu José Dias.

Líder das Américas
O fato de terem competido ao todo 17 vezes na prova na somatória da dupla, dez vezes Lukas Kaufmann e por sete oportunidades Sherman Trezza, fez toda a diferença para os experientes ciclistas iniciarem o evento com a vice-liderança no geral e a primeira colocação entre os ciclistas das Américas.

“Início positivo, porque é uma etapa muito intensa, principalmente para o Lukas, há muito tempo sem competir. Ou seja, era uma dúvida saber como iríamos desempenhar. Estamos felizes, porque andamos equilibrados. Nos ajudamos bastante e isso mostra que nenhum de nós dois está mais forte ou fraco do que o outro. Subir no pódio é uma recompensa. Prova redonda, sem erros. Felizes demais pelo resultado, sabendo que nesta segunda a ultramaratona começa de verdade”, contou Trezza.

“Mais de um ano sem competir, medindo esforço apenas por aplicativos esportivos. Tentei me manter em força e fiz treinos específicos para a Santander Brasil Ride Bahia, mas não foi tão ótimo como eu gostaria. Estamos na frente de jovens atletas brasileiros, que são muito fortes e evoluíram demais, ou seja, mostra que eu e Sherman nos complementamos realmente bem. Ele melhor no plano e eu nas subidas. Estamos inteiros e estou mais do que feliz”, vibrou Kaufmann.

Considerados favoritos ao topo do pódio, Tiago Ferreira e Wout Alleman, que ostentam o dorsal 001, tiveram um desempenho satisfatório dentro de sua avaliação.

Tiago Ferreira e Wout Alleman garantiram a quarta colocação – Foto de Ney Evangelista

“Primeiro dia é sempre intenso e de nervosismo para começar. Os atletas têm um choque, com o calor aqui da Bahia, especialmente o Wout não sentiu-se bem, por não estar habituado a grandes temperaturas. No entanto, acredito que foi um bom início. Tentamos rodar da melhor forma quando ele começou a sentir o calor e acho que nesta segunda começa a prova de verdade. Estamos na luta, não tivemos nenhum tipo de problema e estamos felizes por estar aqui e por tudo ter corrido bem”, analisou Tiago Ferreira.

Problemas mecânicos de Malacarne e Xavier
A dupla formada por Gustavo Xavier e Alex Malacarne, dois estreantes e considerados favoritos na competição, teve que superar um problema logo nos primeiros dez metros da competição. Malacarne teve a corrente estourada e levou cerca de dez minutos para realizar o conserto. Ou seja, o sonho de disputar as primeiras colocações começou mal, ao terminarem os 20,8km do prólogo em 59min37.

Alex Malacarne e Gustavo Xavier perderam tempo no conserto da corrente – Foto de Mario Jordany

“Tivemos a corrente estourada no primeiro segundo das 25 horas da ultramaratona. Aconteceu para provar nossa capacidade de companheirismo e superação. Resolvemos com calma e fomos atrás do prejuízo”, comentou Malacarne nas redes sociais.

RESULTADOS

Open
1 – Hans Becking e José Dias – 47min38
2 – Sherman Trezza e Lukas Kaufmann – 48min15
3 – Edson Rezende e Ulan Galinski – 48min46
4 – Tiago Ferreira e Wout Alleman – 49min57
5 – Mario Veríssimo e Kennedi Lago – 50min01

Elite feminina:
1 – Marcella Toldi e Lutecia Azevedo – 1h03min48
2 – Naima Diesner e Anna Jördens – 1h95min04
3 – Aline Olmedo e Lucinéia Brunetta – 1h11min18
4 – Ada Pires e Raiza Zortea – 1h19min47
5 – Magdalena Estrada e Lilian Pedroso – 1h22min03

Na Grand Master a vitória foi da dupla formada pelo argentino Pablo Rodriguez e pelo esloveno Peter Vesel (Orphans Africa-Galletas Trina) que fecharam o cronômetro em 59min40s e lideram na categoria com 1min09s de vantagem sobre o alemão Gunter Reitz e o belga Peter Wouters (9th Wave Sharks&Firebike-Handelshof) Cycling).
Hugo Prado Neto e João Pereira (SPZ Racing BR II) levaram a melhor na categoria Master ao vencerem com 50min24s.

Na categoria Mista a vitória foi de Thales Machado e Elienai Damasceno (MTB Castro Alves) com o tempo de 1h00min50s. A dupla portuguesa de José Silva e Celina Carpinteiro (BTT Loulé-Brasil Ride Portugal) foi a segunda colocada a 29 segundos.

Os resultados completos estão no link https://resultados.stopandgo.pro/653/Individual

AS ETAPAS
Etapa 1 – 7/11 – 19,5 km – Arraial d’Ajuda
Etapa 2 – 8/11 – 132 km – Arraial a Guaratinga – 2.350m de altimetria acumulada
Etapa 3 – 9/11 – 58,7 km – Guaratinga – 1.350m de altimetria acumulada
Etapa 4 – 10/11 – 103 km – Guaratinga – 2.377m de altimetria acumulada
Etapa 5 – 11/11 – 143 km – Guaratinga a Arraial – 2.336m de altimetria acumulada
Etapa 6 – 12/11 – 31,7 km – Arraial d’Ajuda – 564m de altimetria acumulada
Etapa 7 – 13/11 – 46 km – Arraial d’Ajuda – 548m de altimetria acumulada

LEIA MAIS
Brasil Ride no Bikemagazine
Site oficial do evento