Brasil Ride: Alex Malacarne e Gustavo Xavier vencem a terceira etapa

HomeDestaque

Brasil Ride: Alex Malacarne e Gustavo Xavier vencem a terceira etapa

Sherman Trezza e Lukas Kaufmann aumentam a vantagem na liderança para 1min48s. Alemãs Naima Diesner e Anna Jördens vencem na feminina

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

Chegada de Gustavo Xavier e Alex Malacarne – Foto Nicolas Ferri

A terceira etapa da Santander Brasil Ride Bahia foi marcada por duas vitórias inéditas na edição e também na carreira das duplas ganhadoras das elites masculina e feminina. Entre os homens, Gustavo Xavier e Alex Malacarne (Specialized Racing BR) venceram pela primeira vez uma etapa da Brasil Ride e se tornaram a dupla mais jovem a vencer uma etapa da competição. A etapa de 58,7 km com 1.350 metros de altimetria disputada em Guaratinga foi percorrida em 2h30min10s.

Já no feminino, outra equipe que nunca havia vencido etapas, das alemãs Naima Diesner e Anna Jördens (9th Wave Cycling Doctore Bike), foi a mais rápida do dia e fechou o cronômetro em 3h26min39s

No cardápio do terceiro dia da ultramaratona estava a tradicional subida das “Sete Voltas”, que até a última edição era realizada na quarta etapa. Assim, os ciclistas que largaram às 8h30 da manhã no acampamento, em Guaratinga, tiveram 58,7 km pela frente, com 1.350 metros de altimetria acumulada. Apesar de não serem os protagonistas desde o início, Xavier e Malacarne, de 20 e 19 anos, respectivamente, ficaram com a vitória, decidida na linha de chegada com Sherman Trezza e Lukas Kaufmann (Ciclogiro Scott/Hoffmann Pedal Sport), em 2h30min10.

“Um dia muito especial. Nossa expectativa no dia do prólogo era brigar pela vitória, mas acabou quebrando a corrente da minha bicicleta e foi uma frustração para mim. Sabíamos que essa terceira etapa era boa pra mim. Uma prova curta, com uma subida principal. Fomos conscientes da necessidade de ficar próximos dos líderes, as duplas do Sherman e Lukas e do Hans e José. Éramos terceiros e buscamos eles na descida. Daí em diante, nos mantivemos na frente até o final, para levar a etapa”, disse Malacarne.

Com a vitória, Xavier e Malacarne diminuíram em mais de cinco minutos a distância para os líderes da categoria das Américas, Edson Rezende e Ulan Galinski (Caloi Henrique Avancini Racing) e agora ocupam a quinta colocação na classificação geral.

“Fizemos uma boa estratégia, nos favorecendo por ser uma etapa curta. Conseguimos andar com os líderes, até a serra. Ali, eles acabaram se afastando, mas buscamos eles novamente. A tática no final foi de contrarrelógio, de 30 km, para conseguir baixar uma boa diferença. Temos mais quatro etapas em busca da camiseta branca”, avaliou Xavier.

Tempo fechado no fim da prova – Foto Marcelo Maragni

Disputa da camiseta amarela
Os brasileiros Sherman Trezza e Lukas Kaufmann tiveram uma etapa positiva, conseguindo aumentar a folga na liderança.

“Após a subida, tivemos um contrarrelógio que definiria a prova. Nas trilhas, o Hans Becking colocou um ritmo forte e selecionou o pelotão. Nosso objetivo era defender a camiseta de líder e sobreviver ao ritmo, porque Hans e José entraram bem forte na subida das Sete Voltas. Abriram uma pequena distância, mas na descida alcançamos eles e fomos cautelosos, o que fez o Xavier e o Malacarne chegarem em nós e ficarem com a vitória nos metros finais”, disse Sherman.

“Tivemos um rendimento muito bom. Não sabia como seria, como o corpo reagiria, mas me senti super bem. Em momento nenhum atacamos, até que o Hans Becking fez a seleção do grupo. Foi intenso, porque nas trilhas o ritmo foi forte. Senti o desgaste na subida das Sete Voltas, mas procurei me sustentar naquele momento. Na descida, caí ao tomar água, mas me recuperei, em um momento sofrido para mim”, relembrou Kaufmann.

Para Hans Becking e José Dias, a certeza de que deram seu melhor no dia. “Foi um dia intenso, com muito vento. Tentamos o ataque na subida da serra, mas senti que eu não estava com as pernas boas como durante toda a temporada, que está muito longa. Temos mais quatro dias, tenho um parceiro de equipe muito forte. Então, estou feliz”, contou o ciclista holandês.

“A etapa foi rápida e o ponto chave estava nas subidas da segunda metade da prova. Forçamos, não foi possível garantir a vitória, e no final terminamos em terceiro, nos mantendo em segundo no geral. Teremos nesta quarta um longo dia pela frente, vamos ver como as coisas se desenrolam”, comentou José Dias.

Vitóri alemã na elite feminina
Após um dia de superação, nesta terça-feira (9) as alemãs Naima e Anna garantiram sua primeira vitória na competição. A dupla venceu entre as mulheres com tempo de 3h26min39, chegando a diminuir em quase cinco minutos a desvantagem para as líderes, Marcella Toldi e Lutecia Azevedo (4Fun Bike Center), que completaram em 3h31min20.

Naima Diesner e Anna Jördens – Foto Wladimir Togumi

“Foi tão legal esta etapa. Subidas que no alto você olhava ao redor e via um visual maravilhoso. Nos últimos 10 km, começou a chover, então foi perfeito. Chegamos aqui refrescadas. O curioso do dia foi que o sol só desapareceu bem quando chegamos no topo. E aí eu pensei ‘logo agora?’. Mas nos quilômetros finais, realmente, foi ótimo pedalar debaixo de chuva, uma parte muito divertida do percurso”, disse Anna.

“Já conhecia a subida de outras edições, então eu sabia o que tínhamos pela frente. Fomos muito bem na subida, controlando o ritmo porque estava muito quente. Nos quilômetros finais, veio a chuva e nós fomos num ritmo forte. Estava escorregadio e por isso nos controlamos ao máximo. Meus óculos estavam sem condições de serem usados, por tanto barro, coisa de filme mesmo”, relembrou Naima.

Mario Roma na maratona
Aproveitando o fato de Tiago Ferreira estar fora da prova, o fundador da Santander Brasil Ride Bahia, Mario Roma, teve uma excelente ideia: correr ao lado do campeão mundial e bicampeão europeu. Mario e Tiago largaram em último lugar, chegando a ultrapassar mais de 150 duplas, para serem os 43º a cruzarem a linha de chegada do dia.

“Experiência única e alucinante. Sem comparação poder pedalar com uma pessoa como essa, incrível. Foi impressionante ver como ele sabe pedalar ao lado de um ciclista mais fraco do que ele e tirar o máximo dessa pessoa. Bati todos meus recordes de bicicleta da vida. Foi impressionante. Ele é fantástico, como pessoa, atleta. Uma inteligência. Um cara fora do comum”, destacou Roma.

“Etapa super divertida, na companhia do Mario. Foi muito engraçado, desde o início. Passamos muita gente, todos eles bem dispostos e batendo papo com a gente. Foi espetacular. No final, uma chuva para refrescar. Vamos nesta quarta pedalar outra vez e fazer mais uma etapa”, contou Ferreira.

Os resultados completos estão no link https://resultados.stopandgo.pro/653/Individual

AS ETAPAS
Etapa 1 – 7/11 – 19,5 km – Arraial d’Ajuda
Etapa 2 – 8/11 – 132 km – Arraial a Guaratinga – 2.350m de altimetria acumulada
Etapa 3 – 9/11 – 58,7 km – Guaratinga – 1.350m de altimetria acumulada
Etapa 4 – 10/11 – 103 km – Guaratinga – 2.377m de altimetria acumulada
Etapa 5 – 11/11 – 143 km – Guaratinga a Arraial – 2.336m de altimetria acumulada
Etapa 6 – 12/11 – 31,7 km – Arraial d’Ajuda – 564m de altimetria acumulada
Etapa 7 – 13/11 – 46 km – Arraial d’Ajuda – 548m de altimetria acumulada

LEIA MAIS
Brasil Ride no Bikemagazine
Site oficial do evento