Equipes já definem líderes para o Tour de France 2022

HomeCompetições

Equipes já definem líderes para o Tour de France 2022

O bicampeão Tadej Pogacar e Primoz Roglic estão entre os ciclistas que estão com o foco na 109ª edição da corrida, de 1º a 24 de julho

Percurso do Tour nos Pirineus

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

As 18 equipes World Tour já estão definindo seus líderes para o Tour de France 2022, que será disputado de 1º a 24 de julho. A 109ª edição da corrida vai contar com os eslovenos Tadej Pogacar (UAE Emirates), vencedor em 2020 e 2021, e Primoz Roglic (Jumbo-Visma), além do espanhol Enric Mas (Movistar) e do bicampeão mundial Julian Alaphilippe (Quick-Step Alpha Vinyl Team). Na Ineos-Grenadiers houve mudança de planos após a queda de Egan Bernal (leia mais aqui).

Os fãs já fazem suas previsões sobre quem vestirá a camisa amarela na icônica chegada em Paris. Aqueles que gostam de prognosticarem resultados podem acessar o site bet365 e conferir quem são os favoritos ao pódio.

O percurso do Tour de France 2022 vai começar com um contrarrelógio de 13 km em Copenhaguen, na Dinamarca. Nomes como o bicampeão mundial de contrarrelógio Filippo Ganna (Ineos-Grenadiers), o campeão olímpico de crono de Tóquio Primoz Roglic e o belga Wout van Aert (Jumbo-Visma), que venceu o contrarrelógio final do Tour de 2021, estão entre os favoritos a vestir a primeira camisa amarela de 2022.

O bicampeão do Tour Tadej Pogacar

No trajeto de 2022 está o Alpe d’Huez, uma etapa nos paralelepípedos da Paris-Roubaix, a subida a La Planche des Belles Filles logo na primeira semana e um contrarrelógio de 40 km na penúltima etapa. O percurso foi considerado bem equilibrado, com altas montanhas, 53km de contrarrelógio no total, três etapas iniciais na Dinamarca, a etapa de paralelepípedos até Wallers-Arenberg, que vão exigir que os competidores em busca da classificação geral sejam completos, capazes de lutar nas subidas, nas estradas largas e no pavé.

A 5ª etapa está entre as mais esperadas, com alguns dos trechos dos paralelepípedos da clássica Monumento Paris-Roubaix. O Tour correu pela última vez no pavé em 2018, quando John Degenkolb venceu a etapa. A etapa terá 19,4 km de paralelepípedos, em 11 trechos, cinco dos quais inéditos tanto na Paris-Roubaix quanto no Tour de France.

No dia 14 de julho, feriado do Dia Bastilha na França, o pelotão retorna ao Alpe d’Huez após uma ausência de quatro anos. A 12ª etapa será uma réplica exata da famosa etapa de 1986, que viu Greg LeMond e Bernard Hinault ombro a ombro, passando pelo lado mais fácil do Galibier e, em seguida, o Col de la Croix de Fer antes da subida final ao Alpe D’Huez, que mede 13,8 km a 8,1 % de inclinação.

As altas montanhas dos Pirineus marcam as disputas da semana final, com chegada ao alto em Peyragudes e depois em Hautacam. A 17ª etapa começa em Comminges e termina na íngreme Peyragudes. A etapa passa pelo Col d’Aspin, Hourquette d’Ancizan e Col de Val Louron-Azet antes da subida final (8 km a 7,8%) e uma última rampa super íngreme. Na 18ª etapa, mais um dia com chegada ao alto, em Hautacam, com 13,6 km a 7,8%. A etapa vai subir o Col d’Aubisque e o Col des Spandelles.

A 19ª etapa será um dia plano, entre Castelnau-Magnoac e Cahors, no norte da região de Occitanie. No dia seguinte, na 20ª e penúltima etapa, as cidades vizinhas de Lacapelle-Marival e Rocamadour vão receber o contrarrelógio individual final de 40 km, em um percurso pelos campos perto das cavernas Padirac.

O pelotão vai ser transferido para Paris na manhã de domingo para a tradicional etapa final em torno da capital francesa. A etapa começará no Thoiry Zoo Safari, a oeste da cidade, e terminar com as tradicionais voltas da Champs-Elysées e a coroação do vencedor de 2022 no pôr do sol parisiense.

Veja o mapa do percurso: