Paris-Roubaix: paralelepípedos passam no teste para domingo

HomeCiclismo

Paris-Roubaix: paralelepípedos passam no teste para domingo

Organizadores e comissários fazem a tradicional classificação de uma a cinco estrelas dos setores de pavés da Clássica Monumento

Na passagem por Arenberg na Paris-Roubaix de 2021

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/ASO

A Paris-Roubaix 2022 mudou de data por causa das eleições presidenciais na França e será disputada neste domingo (17 abril). Esta será a 119ª edição da prestigiada clássica Monumento, que terá percurso de 257,2 km com 54,8 km de pavés, os temidos paralelepípedos, espalhados por 30 setores, sendo o primeiro a 160 km da linha de chegada, no histórico Velódromo de Roubaix.

Um dia antes, no sábado (16 de abril), será realizada a segunda edição da Paris–Roubaix Femmes avec Zwift, com 125 km de percurso, 29,2 km deles em paralelepípedos. Os últimos 84 km das provas masculina e feminina são idênticos.

Após o reconhecimento do percurso feito pelos diretores Thierry Gouvenou e Franck Perque, nesta terça-feira (12 de abril), foi divulgado o tradicional ranking do nível de dificuldade dos setores de paralelepípedos da corrida, levando em conta comprimento, desnível dos paralelepípedos, estado geral e localização, classificados de uma a cinco estrelas.

O Trouée d’Arenberg (n.º 19), Mons-en-Pévèle (n.º 11) e o Carrefour de l’Arbre (n.º 4) continuam a ser os únicos setores com a classificação cinco estrelas.

Trecho de pavé no trajeto da Paris-Roubaix

Voluntários trabalham no ajuste dos pavés

Enquanto a contagem regressiva final para a prova conta com uma série de equipes chegando para absorver a atmosfera e fazer seus primeiros movimentos – alguns mais firmes que outros – nos paralelepípedos que os aguardam, os organizadores e avaliadores olham para o chão e aprovam o estado das pedras, cuidadas pelo Les Amis de Paris-Roubaix.

Nesta edição, o setor Vertain (nº 26) está de volta ao trajeto em sua versão longa, assim como o setor de Saulzoir (nº 24).

Já o percurso da Paris-Roubaix Femmes avec Zwift foi alongado em cerca de dez quilômetros como resultado da adição de uma volta extra ao circuito após a largada em Denain. Os paralelepípedos, no entanto, permanecem inalterados, com 29,2 km distribuídos em 17 setores. O percurso feminino convergirá para o masculino, com 85 km para o final, começando com o setor de quatro estrelas de 3,7 km de Hornaing a Wandignies, o mesmo que a britânica Lizzie Deignan usou como trampolim para sua vitoriosa aventura solo no ano passado (relembre aqui). Será muito mais difícil pegar o pelotão  desprevenido desta vez.

Os 30 setores de paralelepípedos de Paris-Roubaix

30 : Troisvilles to Inchy (km 96,3 – 2,2 km) ***
29 : Viesly to Quiévy (km 102,8 – 1,8 km) ***
28 : Quiévy to Saint-Python (km 105,4 – 3,7 km) ****
27 : Saint-Python (km 110,1 – 1,5 km) **
26 : Vertain to Saint-Martin-sur-Écaillon (km 117,9 – 2,3 km) ***
25 : Haussy (km 123,7 – 0,8 km) **
24 : Saulzoir to Verchain-Maugré (km 130,6 – 1,2 km) **
23 : Verchain-Maugré to Quérénaing (km 134,9 – 1,6 km) ***
22 : Quérénaing to Maing (km 137,6 – 2,5 km) ***
21 : Maing to Monchaux-sur-Ecaillon (km 140,7 – 1,6 km) ***
20 : Haveluy to Wallers (km 153,7 – 2,5 km) ****
19 : Trouée d’Arenberg (km 161,9 – 2,3 km) *****
18 : Wallers to Hélesmes (km 167,9 – 1,6 km) ***
17 : Hornaing to Wandignies (km 174,7 – 3,7 km) **** (1º setor da Paris-Roubaix Femmes avec Zwift)
16 : Warlaing to Brillon (km 182,2 – 2,4 km) ***
15 : Tilloy to Sars-et-Rosières (km 185,6 – 2,4 km) ****
14 : Beuvry-la-Forêt to Orchies (km 192 – 1,4 km) ***
13 : Orchies (km 197 – 1,7 km) ***
12 : Auchy-lez-Orchies to Bersée (km 203,1 – 2,7 km) ****
11 : Mons-en-Pévèle (km 208,6 – 3 km) *****
10 : Mérignies to Avelin (km 214,6 – 0,7 km) **
9 : Pont-Thibault to Ennevelin (km 218 – 1,4 km) ***
8 : Templeuve – L’Epinette (km 223,4 – 0,2 km) *
8 : Templeuve – Moulin-de-Vertain (km 223,9 – 0,5 km) **
7 : Cysoing to Bourghelles (km 230,3 – 1,3 km) ***
6 : Bourghelles to Wannehain (km 232,8 – 1,1 km) ***
5 : Camphin-en-Pévèle (km 237,3 – 1,8 km) ****
4 : Carrefour de l’Arbre (km 240 – 2,1 km) *****
3 : Gruson (km 242,3 – 1,1 km) **
2 : Willems to Hem (km 249 – 1,4 km) **
1 : Roubaix – Espace Charles Crupelandt (km 255,8 – 0,3 km) *

PARIS-ROUBAIX 2021 – BIKE-CAM

História
Chamada de “Inferno do Norte”, a Paris-Roubaix começou a ser disputada em 1896. Dois belgas detém o prêmio de maiores vencedores da corrida: Roger De Vlaeminck venceu quatro vezes na década de 1970 e Tom Boonen completou seu quádruplo entre 2005 e 2012. Mas o quadro de honra está repleto de grandes nomes da história do ciclismo, de Eddy Merckx e Sean Kelly a Johan Museeuw e Fausto Coppi. No pelotão atual, vale destacar que ninguém venceu a corrida mais de uma vez.


VENCEDORES RECENTES
2021: Sonny Colbrelli (Ita) Bahrain Victorious
2020: cancelada
2019: Philippe Gilbert (Bel) Deceuninck-QuickStep
2018: Peter Sagan (Svk) Bora-Hansgrohe
2017: Greg Van Avermaet (Bel) BMC Racing
2016: Mathew Hayman (Aus) Orica-GreenEdge
2015: John Degenkolb (Ale) Giant-Alpecin
2014: Niki Terpstra (Hol) Etixx-QuickStep
2013: Fabian Cancellara (Sui) RadioShack
2012: Tom Boonen (Bel) Omega Pharma-QuickStep
2011: Johan Vansummeren (Bel) Garmin-Cervelo
2010: Fabian Cancellara (Sui) Saxo Bank
2009: Tom Boonen (Bel) QuickStep
2008: Tom Boonen (Bel) QuickStep
2007: Stuart O’Grady (Aus) Team CSC

CONFIRA

A reportagem do Bikemagazine já visitou (e pedalou!) em Roubaix e também visitou os icônicos chuveiros que levam as placas de seus grandes campeões. Veja reportagem aqui