Giro d’Italia 2023 começa com crono de 18,4 km em Abruzzo

HomeCompetiçõesCiclismo

Giro d’Italia 2023 começa com crono de 18,4 km em Abruzzo

Competição de 6 a 28 de maio do ano que vem apresentou as etapas iniciais, que serão na região de Abruzzo, na costa central do Adriático

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A organização do Giro d’Italia apresentou nesta quarta-feira a largada da competição do próximo ano. “La Grande Partenza” será dia 6 de maio de 2023 em Abruzzo. A apresentação das equipes, em data a ser definida, um ou dois dias antes do início, será realizada no centro da cidade de Pescara, na Piazza Salotto. A prova terminará três semanas depois, no domingo, 28 de maio.

É a segunda vez que Abruzzo sediará La Grande Partenza. Em 2001, Rik Verbrugghe venceu o contrarrelógio do prólogo em Pescara, estabelecendo uma velocidade média de 58,874 km/h para a etapa de 7,6 km, uma média recorde que ainda se mantém.

A etapa de abertura será um contrarrelógio individual de 18,4 km na Costa dei Trabocchi, partindo de Fossacesia Marina até Ortona, quase inteiramente ao longo da bela ciclovia. A segunda etapa, de Teramo a San Salvo, terá cerca de 200 km, com um primeiro trecho montanhoso e depois até o litoral. Um sprint em grupo é o esperado.

No dia seguinte, o pelotão parte para o sul e retorna para a região de Abruzzo na 7ª etapa, na sexta-feira, dia 12 de maio. Será uma etapa de alta montanha é a primeira com chegada acima de 2000m do Giro 2023. Os ciclistas terão que escalar Roccaraso e Calascio antes de enfrentar a subida final no Campo Imperatore, do mesmo lado percorrido em 2018.

A 7ª etapa terá chegada a 2.135 metros, em Campo Imperatore

Para Giulio Ciccone (Trek-Segafredo), vencedor de três etapas e Maglia Azzurra no Giro, que é da região, é hora de comemorar. “La Grande Partenza do Giro d’Italia já é, por si só, um evento eletrizante. Na minha região, a poucos passos de casa, na área onde cresci, as emoções e motivações são muito fortes.”

“Falando das etapas, a abertura na Costa dei Trabocchi vai ser uma crono super rápida. A segunda etapa dará uma chance para aqueles que não acumularam muito gap no contrarrelógio e lutam pela maglia rosa. É um começo de Giro marcado pela velocidade, não combina com as minhas características de alpinista. Aguardo ansiosamente a chegada da etapa 7 em Campo Imperatore, que conheço bem”, completou.

Dario Cataldo (Trek-Segafredo), vencedor de uma etapa do Giro d’Italia em 2019, também é da região e segue o entusiasmo do colega. “É um sonho realizado, principalmente no que diz respeito ao prólogo da Costa dei Trabocchi. Lembro-me bem que quando o projeto da ciclovia nasceu eu imaginei a beleza de um Giro d’Italia ao longo do percurso. Parecia perfeito. Uma pista que muitos desconheciam e que, graças à ciclovia, adquiriu cada vez mais notoriedade. Agora, com o Giro, será revelada ao mundo inteiro.”

CONFIRA VIDEO

 

LEIA MAIS
Giro d’Itália no Bikemagazine