Mundial de Paraciciclismo: Brasil é prata e bronze na França

HomeCompetiçõesCiclismo nacional

Mundial de Paraciciclismo: Brasil é prata e bronze na França

Sabrina Custódio fez história com inédito 2º lugar e Lauro Chaman encerra Omnium em 3º na disputa na França

Pódio do Mundial, com o brasileiro Chaman com a medalha de bronze

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A seleção brasileira de paraciclismo encerrou o Campeonato Mundial de Pista, realizado em Saint-Quentin-en-Yvelines, na França, com duas medalhas: Sabrina Custódia foi prata na sexta-feira (21 de outubro) na prova dos 500 m contrarrelógio pela classe C2 e Lauro Chaman foi bronze no Omnium na classe C5 neste domingo (23 de outubro).

“Esse foi um Mundial de altíssimo nível, os atletas estão todos muito bem preparados e a seleção mais uma vez esteve lá brigando pelas primeiras colocações. Estamos fazendo o trabalho certo, conquistamos duas medalhas e sabemos que ainda temos muito a evoluir”, destacou Chaman.

O brasileiro Lauro Chaman na disputa

Na Omnium, que reúne quatro provas e cujo resultado geral é a pontuação acumulada, Chaman somou 30 pontos na prova dos 200 m, 34 na perseguição individual, 36 na Scratch, e 28 na prova dos 1.000 m, acumulando 128 pontos na classificação geral. O vencedor foi o francês Dorian Foulon, com 152 pontos; o australiano Alistair Donohoe foi prata, com 132 pontos.

Chaman também ficou em quinto lugar na disputa de perseguição individua e foi quarto na prova Scratch, ficando apenas uma volta atrás do líder, o australiano Alistair Donohoe.

Sabrina Custódia conquistou prata inédita para o Brasil

Sabrina Custódia encerrou com o tempo de 43s341 e ficou 4s atrás da australiana Amanda Reid. A suíça Flurina Rigling ficou com bronze ao marcar 43s828. A brasileira também disputou neste domingo a prova Scratch com as classes combinadas C1 e C2 e ficou na sétima colocação.

Sabrina fez história como a primeira paraciclista brasileira a conquistar uma medalha no Mundial de Pista. No final, a emoção tomou conta: “Estou muito feliz, não tenho nem palavras para descrever o que estou sentindo. Eu quero deixar um recado para que as pessoas nunca desistam dos seus sonhos, sempre acredite em você. Disputar um Mundial e representar a seleção sempre foi um sonho pra mim, então hoje foi eu, amanhã pode ser você. Essa medalha é nossa, é do Brasil.”

A seleção brasileira contou ainda com Carlos Soares, Gilce Duarte e Talita da Luz (Piloto), e Márcia Fanhani e Maria Teresa Muller (Piloto).

Mais informações aqui