Trans Costa Esmeralda: 1ª prova de enduro por etapas do Brasil

HomeMountain bikeEnduro

Trans Costa Esmeralda: 1ª prova de enduro por etapas do Brasil

Confira como foi a disputa realizada entre os dias 3 e 6 de novembro ao redor das cidades catarinenses de Porto Belo e Bombinhas

Participantes e organizadores da Trans Costa Esmeralda

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/Iago/Bruno Sebastião

Seguindo modelo das melhores provas de Enduro do mundo, competição realizada em Santa Catarina foi destaque. Contato com a natureza, muita interação entre os atletas e horas de diversão, com foco nas descidas, fazem do Enduro a modalidade do mountain bike mais ligada aos primórdios do esporte. Afinal, o MTB surgiu nos anos 1970 na Califórnia, com alguns malucos como Gary Fisher, Joe Breeze e Tom Ritchey brincando de apostar corridas montanha abaixo, contra o relógio, sempre em um clima de descontração.

De lá para cá, as coisas mudaram muito. Mas o espírito de curtição que agora faz parte da cultura do MTB continua presente, e provavelmente mais forte e desenvolvida do que nunca, inclusive aqui no Brasil. Prova disso são competições como o Trans Costa Esmeralda, a primeira competição por etapas de Enduro do Brasil, que proporcionou para seus participantes três dias de pura imersão na cultura do MTB.

Realizada entre os dias 3 e 6 de novembro ao redor das cidade catarinenses de Porto Belo e Bombinhas, a disputa contou com nada menos do que 11 especiais e uma enorme variedade de trilhas, muitas delas construídas e cuidadas pela Mata Atlântica Cycling, associação de trail builders locais que conta com larga experiência na construção de trilhas para bicicletas, além de todas as licenças ambientais para trabalhar na região.

No percurso da Trans Costa Esmeralda

“Moro há 27 anos na região e conhecemos todos os cantos deste paraíso. Depois de participar deste modelo de prova fora do Brasil, vimos que o local era perfeito para uma prova multi-estágio de Enduro. Aqui temos trilhas iradas, visuais incríveis, cultura local, estrutura turística e tudo que uma aventura de MTB Enduro precisa. Foram 3 dias de acampamento, dormindo em barraca, com tudo incluso”, comentou Gabriel Jacomel, um dos organizadores da prova.

Além dele, Rafael Oliveira, o Rafa do Canal de Bike, também participou da organização do evento: “Vivenciando alguns rolês fora do país, já tive várias experiências em provas de todo tipo, mas o formato multiestágios foi o que sempre me chamou a atenção. Ter algo inédito no Brasil e fazer parte disso é uma coisa surreal, feito para as pessoas e para o esporte em si”, afirmou Rafa.

“O Enduro sempre foi uma modalidade que eu fui apaixonado, e poder ter um rolê desse tipo no quintal de casa é simplesmente uma dádiva”, complementou.

Preparação das bikes

Ao todo, o Trans Costa Esmeralda contou com três dias de competição. Ao final de cada um deles, os atletas pernoitaram em barracas de camping. Apesar disso, a estrutura e o transporte dos equipamentos oferecidos pela organização simplificaram muito as coisas – de quebra, o chope geladinho e a confraternização também foram presenças marcadas no fim de cada um dos dias de prova.

“Foram 11 especiais com muita variedade de terrenos, desde pistas de alta, rock gardens, drops e com o mar cor esmeralda, que dá nome a prova, sempre presente, com algumas especiais iniciando no alto da montanha e finalizando em praias desertas e paradisíacas. Mas, o ponto alto do evento é mesmo a vibe da galera, alto astral e diversão acima de tudo”, explicou Igor Oneckko, que também participou da organização da prova.

No primeiro dia, o mais longo de todos, foram nada menos do que 5 especiais, partindo da cidade de Porto Belo. Felizmente, a organização preparou um esquema de resgate para quatro subidas, reduzindo bastante o desgaste dos atletas, permitindo muito mais foco e força nas descidas – o rolê terminou na cidade de Bombinhas.

No segundo dia, os pilotos percorreram quatro especiais alucinantes, cruzando vários morros da região, para terminar o dia na paradisíaca Praia da Sepultura, onde os atletas acamparam para passar a noite a apenas alguns metros do mar.

O terceiro dia de disputa começou com um transfer diferenciado, feito de barco, com as trilhas e especiais fazendo um verdadeiro tour pela cultura local, passando por diversas praias icônicas de Bombinhas.

Transferência das bikes

Com duas especiais longas e exigentes para finalizar novamente na cidade de Porto Belo, o encerramento do evento aconteceu em alto astral, com direito ao típico churrasco do Sul do Brasil, muita música, diversão e aquela cervejinha que não pode faltar.

“O Trans Costa Esmeralda foi idealizado para oferecer uma experiência única para o atleta, com estrutura completa para proporcionar o que há de melhor em uma prova multiestágios de MTB Enduro. Para o atleta, basta vir e curtir”, explicou Henrique Burigo, organizador da prova. “Foram trilhas insanas, praias desertas, passeio de barco e paisagens únicas. Um pacote completo para ter uma experiência inesquecível sobre a bike”, finalizou Henrique.

O Trans Costa Esmeralda contou com o apoio de: Maxxis, Draisiana, Canal de Bike, AR Sports Wear, Push Nutrition, Session, Blade Energy, RSP, Zimbros Ecotour, Ohana Beach Bar, Fueguina Brew Co, Girassol Supermercados, Best Beef, Ziegen, Bread King, Morro do Sol Hotel e Eventos, Fundação Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Prefeitura de Porto Belo, FME Porto Belo, Costa Esmeralda Convention & Visitors Bureau, Riders Shop, Yoo Brasil.