Giro d’Italia 2023: Primoz Roglic x Remco Evenepoel

HomeCompetiçõesDestaque

Giro d’Italia 2023: Primoz Roglic x Remco Evenepoel

Equipe Jumbo-Visma faz três substituições de última hora no time que vai apoiar esloveno; campeão mundial mostra confiança

Roglic e os companheiros durante treino na Itália

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O Giro d’Italia 2023 começa neste sábado (6 de maio) e os favoritos Primoz Roglic (Jumbo Visma) e Remco Evenepoel (Soudal-QuickStep) chegam para a disputa em climas bem diferentes. O esloveno perdeu três companheiros de equipe para a Covid-19, mas mantém o ânimo e diz ter total confiança nas substituições de última hora.

Já Evenepoel alinha para o Giro com a camisa arco-íris do campeão mundial e o numeral 1. O belga chega à Itália animado após sua segunda vitória consecutiva na clássica Liège-Bastogne-Liège e meses de preparação para o Giro.

Nesta quinta-feira, ambos deram entrevistas coletivas.

Roglic e Evenepoel na Volta da Catalunha 2023

Roglic chegou na última coletiva de imprensa pré-Giro d’Italia usando uma máscara FFP2. As últimas notícias eram de que um terceiro companheiro de equipe Jumbo-Visma pronto para participar do Grand Tour italiano tinha acabado de testar positivo para Covid 19.

No início da semana, Tobias Foss e Robert Gesink testaram positivo e foram substituídos por Jos Van Emden e Rohan Dennis. Depois, Van Emden também testou positivo e será substituído por Sam Oomen. Na entrevista, Roglic, que tirou a máscara nas respostas, disse: “Com certeza não é a melhor coisa que poderia acontecer, mas vamos lidar com isso, vamos encontrar soluções. Tenho total confiança nos que estão chegando, eles são meus companheiros.”

A determinação de Roglic foi clara durante a conferência de imprensa. Quando solicitado a comentar o que disse seu companheiro de equipe Sepp Kuss de que estava em melhor e mais forte forma do que no Giro de 2019, o esloveno respondeu animado: “Sou como um vinho, quanto mais velho, melhor”. “Com certeza, eu cresci, estou definitivamente mais maduro e pronto para ir em frente”, acrescentou o atual campeão olímpico de contrarrelógio.

Roglic disse que Remco Evenepoel é um adversário importante, mas destacou que não é o único. “Eu e os outros ciclistas estamos aqui para tornar a vida dele (Evenepoel) um pouco mais difícil no caminho para Roma. Há um monte de outros campeões e nomes fortes aqui. Vai ser uma grande luta. É uma nova aventura e estou ansioso.”

Evenepoel mostra confiança

Evenepoel retorna ao Giro d’Italia após dois anos mais seguro e confiante. Em 2021, o belga fez sua estreia no Grand Tour, mas depois de um começo otimista, teve que abandonar após uma queda na 17ª etapa. Dois anos depois, Evenepoel é o campeão mundial e tem colecionado vitórias. “Não podemos comparar como estou agora e em 2021. Naquela época eu tive apenas cinco semanas de treinamento, agora foram cinco meses. É um mundo e uma vida completamente diferentes.”

A vitória na Liège-Bastogne-Liège (reveja aqui) renovou os ânimos. “Acho que posso ser honesto, estou melhor do que antes da Vuelta, então são boas notícias. Acho que só posso estar aqui com sentimentos positivos. Esta temporada tem sido muito boa até agora. Ganhei o UAE Tour, fui segundo na Catalunha por uma pequena margem, e a vitória na Liège foi um novo grande passo na minha carreira e na minha vida. Até aqui, posso ter confiança. Acho que estou aqui com muitas vibrações positivas e bons sentimentos pelo Giro”, afirmou.

Sobre a competição, Evenepoel afirmou que há uma chance de construir uma vantagem inicial sobre seus principais rivais. “É óbvio que as etapas 4, 7 e 8 não são nada fáceis, mas a verdade é que tudo será decidido na última semana. Vou colocar tudo nos contrarrelógios e nas outras etapas vou com calma, não vou fazer nada sozinho. Trata-se de chegar seguro na segunda e na terceira semana.”

O campeão mundial citou Geraint Thomas (Ineos Grenadiers) como um grande adversário, mas sabe que Roglic é seu rival mais provável. “Você é esloveno? Então não vou responder ”, brincou Evenepoel quando confrontado com uma pergunta sobre suas táticas de um dos compatriotas de Roglic na sala de imprensa do Giro d’Italia.

Os cumprimentos pela boa disputa na Catalunha

Vale lembrar que Roglic e Evenepoel já duelaram na Volta a Espanha do ano passado, mas a disputa foi interrompida pela queda do esloveno na terceira semana. Embora Roglic tenha vencido recentemente a Volta da Catalunha (reveja aqui), com Evenepoel em segundo lugar, o belga acredita que ambos estão no mesmo nível.

“No ano passado, ainda tinha algumas dúvidas se poderia ter o mesmo nível que ele nas montanhas, mas acho que consegui tirar essas dúvidas depois da Catalunha”, disse Evenepoel. “Acho que estávamos no mesmo nível quando falamos de escalada. Agora espero poder estar ao mesmo nível nas subidas e um nível melhor no contrarrelógio”, completou. “Mas ele é campeão olímpico de contrarrelógio, então é difícil.”

LEIA TAMBÉM
Giro d’Italia 2023: confira etapa a etapa e altimetrias

LEIA MAIS
Giro d’Itália no Bikemagazine