Pinarello Dogma XC estreia com vitória de Pidcock no short track

HomeDestaqueLançamentos

Pinarello Dogma XC estreia com vitória de Pidcock no short track

Sua companheira de equipe, a campeã mundial Pauline Ferrand-Prevot também estreou a nova bike e terminou o XCC na quarta colocação

Tom Pidcock em Nové Mesto com a Pinarello XC

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

O campeão olímpico Tom Pidcock (Ineos-Grenadiers) estreou com vitória nesta sexta-feira (12 de maio) sua nova Pinarello Dogma XC na prova de short track da etapa de abertura da Copa do Mundo de MTM em Nove Mesto, na República Tcheca. Sua companheira de equipe, a francesa campeã mundial Pauline Ferrand-Prevot, também estreou a nova bike e terminou o XCC na quarta colocação.

Fazia anos que a marca italiana desenvolvia seu próprio modelo de mountain bike. Nos Jogos Olímpicos de Tóquio Tom Pidcock conquistou a medalha de ouro com uma BMC Fourstroke descaracterizada. Nos Jogos de Paris, em 2024, a nova Pinarello Dogma XC será a máquina de Pidcock e Prevot na luta por medalhas.

Pidcock estreou com vitória no XCC em Nove Mésto

O campeão olímpico Tom Pidcock e a campeã mundial Pauline Ferrand-Prevot

O quadro de carbono tem geometria moderna com 67,5 graus e reach de 455mm. O quadro conta com a tecnologia “flexstay” aplicada em algumas áreas que garante alguma flexibilidade no triângulo traseiro, que por sua vez tem um novo sistema (com patente ainda pendente) com dois semi-triângulos, que se conectam em um ponto moldado no quadro.

Desta forma são eliminadas as pontes de ligação dos seatstays e dos chainstays. Segundo a Pinarello, este novo sistema permite reduzir o comprimento do chainstay e assim reduzir o acúmulo de barro nesta área. O quadro pode receber pneus até 2.35.

Assim como nas Dogma de estrada, a Dogma XC tem desenho assimétrico, com o lado esquerdo mais robusto para contrabalancear toda a força feita pelo ciclista no lado direito das coroas.

Detalhe do amortecedor e dos links da suspensão traseira

Um detalhe curioso é a região do movimento central, que traz um triângulo vazado, que acomoda o rolamento do movimento central e o pivô da balança traseira.

O triângulo vazado na região da caixa do movimento central

Como nas Trek Supercaliber, Specialized Epic World Cup e Wilier Urta Max SLR, o amortecedor traseiro fica sob o top tube. A Pinarello XC vai usar a suspensão dianteira eletrônica da SR Suntour Axon, que o próprio Pidcock está ajudando a desenvolver há dois anos.

A bike pode ser equipada com a combinação de garfo 120 com amortecedor traseiro de 100mm, ou garfo de 100mm com amortecedor traseiro de 90mm. O guidão é integrado, de carbono, da marca Most, de propriedade da Pinarello.

Cockpit integrado da Most

Tanto a bike de Pidcock, como a de Ferrand-Prevot, devem usar os mesmos componentes. A diferença fica por conta da decoração de campeã mundial na bike da francesa e do dourado na do britânico.

A bike com as cores de campeã mundial da francesa Pauline Ferrand-Prevot

DETALHES
Quadro: Pinarello Dogma XC (em desenvolvimento)
Rodas: Priceton P1 de carbono (protótipo)
Pneus: Continental Race King 2.2
Guidão integrado: Most
Grupo: Shimano XTR mecânico, com coroa 36 dentes e cassete 10×51.
Pedivela: Shimano XTR com medidor de potência Stages integrado
Canote retrátil: Vertical Helium
Freios: Shimano XTR com discos de 160mm
Suspensões: Protótipo eletrônico SR Suntour com garfo Axon Werx 34 de carbono e amortecedor em desenvolvimento
Selim: Fizik
Manoplas: ESI Grip

Há também uma versão hard tail em desenvolvimento na fase de protótipo, mas assim como a versão full suspension, ainda não tem data para chegar ao mercado mundial.