Vuelta 2023 vai ao Col du Tourmalet nesta sexta-feira

HomeCompetiçõesDestaque

Vuelta 2023 vai ao Col du Tourmalet nesta sexta-feira

O Tourmalet, a 2.115m de altitude, foi escalado pelo Tour de France pela primeira vez em julho de 1910; confira etapa a etapa da segunda semana

O Tourmalet é um marco na história do Tour de France e do ciclismo

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A segunda semana da Volta a Espanha, que começa nesta terça-feira, tem contrarrelógio individual, etapa para velocistas e muitas montanhas para escalar. Mas o grande destaque é a 13ª etapa, na sexta-feira (8 de setembro), com 135km entre Formigal e o Col du Tourmalet, a 2.115m de altitude.

O Col du Tourmalet estreou no Tour de France em 1910 e desde então foi escalado 89 vezes, sendo a subida mais percorrida pela competição francesa. Nesta temporada, a Vuelta vai levar o pelotão para a França, através dos Pirineus, em uma etapa com mais de 4 mil metros de ganho de elevação, com chegada ao Tourmalet.

O Puerto de Portalet (categoria 3) abre o cardápio de picos e escarpados da etapa. O trajeto inclui ainda o Col d’Aubisque (16,5 km a 7,1%), o Col de Spandelles (10,3 km a 8,3%) e, por fim, o Tourmalet (18,9 km a 7,4%), o “gigante dos Pirineus”. Veja altimetria:

A 13ª etapa é uma das mais esperadas da Vuelta 2023, com chegada no Tourmalet

O Col du Tourmalet se tornou um ícone do ciclismo e marcou a estreia do pelotão do Tour de France acima dos 2 mil metros de altitude. Mas, para o Tourmalet entrar para o percurso do Tour, foi preciso muita coragem e determinação de um jornalista.

Antes de 1910, o Tourmalet era apenas um caminho entre dois dos picos mais altos dos Pirineus e a trilha era usada apenas por pastores que viviam entre os vales. O jornalista esportivo Alphonse Steines, de Luxemburgo, grande colaborador do criador do Tour, Henri Desgrange, foi o primeiro a sonhar com sua inclusão no percurso da prova.

Octave Lapize foi o primeiro a encarar o Tourmalet em 1910

A mítica subida nos Pirineus no Tour de France de 2021

A ideia de Steines não foi bem-recebida e quando os moradores locais entenderam o que ele estava planejando o jornalista chegou a ser motivo de piada. Eles estavam acostumados a estranhos que vinham para as montanhas de carro e que fracassavam ao tentar atravessar o caminho.

Destemido, Steines apresentou-se ao superintendente de estradas da região, um homem chamado Blanchet, que também riu na cara dele. Era impossível. Talvez algumas das estradas ao longo dos desfiladeiros pudessem levar um ou outro carro, mas uma comitiva inteira de veículos de apoio e 250 homens em bicicletas? Impossível. Não só as estradas eram íngremes, elas também estavam em péssimas condições.

Steines, então, disse a ele que nada poderia ser feito sobre a inclinação da montanha, mas algo poderia ser feito sobre as condições da estrada. Ele prometeu ajuda financeira e Blanchet avaliou que seria preciso 5 mil francos. Steines comunicou a proposta a Desgrange, que ofereceu 3 mil francos. Blanchet aceitou.

Mas, antes de ir embora, Steines queria atravessar a passagem de carro e contratou um guia para o levar. Perto do topo, com muita neve, teve de desistir da ideia, mas resolveu continuar a pé, mesmo depois do guia ter se recusado. O jornalista foi sozinho, e a certa altura caiu e perdeu-se, mas teve sorte de ser encontrado por uma equipe de resgate às 3h da madrugada. “Eu estava perdido e sozinho na escuridão. Eu não queria morrer em uma montanha hostil e desconhecida”, relatou na época.

Depois de descer a montanha e se recuperar, na manhã seguinte Steines enviou um telegrama a Desgrange, em Paris, que ficou famoso, onde se lia: “Atravessei o Tourmalet. Muito boa estrada. Perfeitamente passável. Assinado Steines”.

Steines é lembrado em placa na subida ao Tourmalet

Programação da segunda semana
A Vuelta 2023 retorna nesta terça-feira (5 de setembro) para a 10ª etapa, um contrarrelógio individual de 25,8km, com percurso plano, em Valladolid, que sediou a primeira linha de chegada da Vuelta em 1935, e já participou 34 vezes desde então, incluindo oito contrarrelógios.

Vuelta começa segunda semana com crono individual

La Laguna Negra recebe a chegada da 11ª etapa

A 11ª etapa, na quarta-feira (6 de setembro), com 163,5km entre Lerma e La Laguna Negra – Vinuesa, tem um percurspo plano nos primeiros 150km antes da dura subida final, com 6,5km, até o lago da montanha de La Laguna Negra, com uma média de 6,8% de inclinação.

Na 12ª etapa, na quinta-feira (7 de setembro), com 151km entre Ólvega e Zaragoza, é esperada uma chegada em sprint, com um percurso plano, onde os ventos cruzados podem ser um desafio a mais.

A 13ª etapa, na sexta-feira (8 de setembro), é a etapa do Tourmalet.

Percurso plano na 12ª etapa

Na 14ª etapa, mais montanhas categorizadas

A 14ª etapa, no sábado (9 de setembro), com 156,5km entre Sauveterre-de- Béarn e Larra-Belagua, será mais um dia desafiador nas altas montanhas. A etapa começa com 40km planos antes das duas subidas de categoria especial, o Col Hourcère, a 1.440m, e o Puerto de Larrau, a 1.579m. Após a descida, resta apenas o Puerto de Laza antes de começar a subida até o topo de Puerto Belagua.

A 15ª etapa será um dia clássico nas montanhas

A 15ª etapa, no domingo (10 de setembro), com 158,5km entre Pamplona e Lekunberri, será uma clássica etapa de montanha Grand Tour, com 2.345m de altimetria acumulada. Com largada na principal cidade de Navarra, a etapa final da segunda semana da Vuelta 2023 deve ser um dia favorável para a fuga. O percurso inclui uma dupla subida ao Zuarrarrate (7,3km a 4,8%), com a subida final a apenas 8Km da meta, um local perfeito para lançar um ataque.

AS ETAPAS
Etapa 1 – 26 de agosto – Barcelona – Barcelona TTT 14,8km
Etapa 2 – 27 de agosto – Mataro – Barcelona 182km
Etapa 3 – 28 de agosto – Súria – Arinsal – Andorra 158,5 km
Etapa 4 – 29 de agosto – Andorra La Vella – Tarragona 185km
Etapa 5 – 30 de agosto – Morella – Burriana 186,5 km
Etapa 6 – 31 de agosto – La Vall d’Uixó – Pico del Buitre (Observatório Astrofísico de Javalambre) 183,5km
Etapa 7 – 1 de setembro – Utiel – Oliva 201km
Etapa 8 – 2 de setembro – Denia – Xorret de Cati 165km
Etapa 9 – 3 de setembro – Cartagena – Caravaca de la Cruz 184,5 km

4 de setembro: dia de descanso

Etapa 10 – 5 de setembro – Valladolid – Valladolid ITT 25,8km
Etapa 11 – 6 de setembro – Lerma – La Laguna Negra. Vinuesa 163,5km
Etapa 12 – 7 de setembro – Ólvega – Zaragoza 151km
Etapa 13 – 8 de setembro – Formigal – Tourmalet (França) 135km
Etapa 14 – 9 de setembro – Sauveterre-de-Béarn – Larra-Belagua 156,5km
Etapa 15 – 10 de setembro – Pamplona – Lekunberri 158,5km

11 de setembro: dia de descanso

Etapa 16 – 12 de setembro – Liencres Playa – Bejes 120,5km
Etapa 17 – 13 de setembro – Ribadesella/Ribeseya – Altu de L’Angliru 124,5km
Etapa 18 – 14 de setembro – Pola de Allande – La Cruz de Linares 179km
Etapa 19 – 15 de setembro – La Bañeza – Íscar 177,5km
Etapa 20 – 16 de setembro – Manzanares El Real – Guadarrama 208km
Etapa 21 – 17 de setembro – Hipódromo de la Zarzuela – Madrid. Paisaje de la Luz 101,5km

LEIA MAIS
Volta a Espanha no Bikemagazine
Site oficial La Vuelta