UCI aumenta multas sobre vestuário e abastecimento no pelotão

HomeCiclismo

UCI aumenta multas sobre vestuário e abastecimento no pelotão

Novas regras entram em vigor dia 1º de janeiro e há multas no valor equivalente a R$ 10 mil por vestuário inadequado

Pelotão no Tour de France 2022

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A UCI (União Ciclística Internacional) tem regras rígidas relacionadas ao comportamento dos ciclistas, seu vestuário e o material usado nas corridas. Para a temporada 2024, o órgão máximo do esporte aumentou o valor das multas das infrações, principalmente às relacionadas aos uniformes, que passam a ter valor máximo de 2.000 franco-suíços, pouco mais de R$ 10 mil.

Há regras específicas e sanções sobre uso de equipamentos inadequados, como tecidos aerodinâmicos, e até mesmo pelo descumprimento da polêmica regra que estabelece o comprimento das meias, que não pode passar de metade da canela. Vale lembrar que, no Mundial de 2022, a holandesa Annemiek van Vleuten foi multada em 200 franco-suíços (pouco mais de R$ 1 mil) por usar meias longas em sua vitória.

Entre as mudanças, a UCI decidiu eliminar a penalidade para o ciclista por usar capa de chuva não homologada, o que inclui aquelas que não possuem desenho semelhante à camisa da equipe ou o nome da equipe impresso nelas. Neste caso, apenas a equipe será multada.

As regras atualizadas entram em vigor dia 1º de janeiro.

As multas em torno da alimentação não autorizada também aumentaram. Anteriormente, um ciclista que consumisse comida ou água nos últimos 20 km de uma corrida por etapas do WorldTour, como o Tour de France, seria multado em 200 franco-suíços e levaria penalidade de 20 segundos.

A partir da próxima temporada, esse valor será aumentado para 500 franco-suíços, com a mesma penalidade de tempo e também uma penalidade de 20% na classificação de pontos e/ou montanhas. Esta infração já ocorre regularmente nas principais corridas e ainda está na memória Julian Alaphilippe perdendo a liderança da camisa amarela na quinta etapa do Tour de 2020 por pegar uma garrafa a 17 km do fim.

Já a penalidade para o ciclista que, quando pega uma garrafa no carro, o motorista, ao invés de soltá-la imediatamente, segura enquanto acelera para dar ao atleta um impulso que o ajuda a retornar ao grupo, passa de 200 para 500 franco-suíços.

Outra atualização foi a sanção ao ciclista que pegar vácuo no carro da equipe. Agora, além do ciclista, também o condutor do veículo e o diretor desportivo da equipe serão penalizados.

A UCI também introduziu uma nova multa por “ausência de um ciclista na largada após confirmação do atleta sem justificativa válida”, que acarreta penalidades de 500 a 1.000 franco-suíços.

Também incluídas na atualização das sanções estão uma série de novas deduções de pontos UCI. Por exemplo, os ciclistas que usarem roupas não aprovadas durante as obrigações do pódio nas principais corridas – como fez a EF Pro Cycling no Giro d’Italia de 2020 – perderão agora 15 pontos UCI cada.

A lista completa de atualizações de sanções da UCI está disponível no site do órgão. Veja aqui