Liège-Bastogne-Liège: Pogacar em vitória solo após ataque a 34,8km

HomeCompetiçõesCiclismo

Liège-Bastogne-Liège: Pogacar em vitória solo após ataque a 34,8km

Esloveno conquista sua sexta clássica Monumento; Van der Poel fica para trás após queda no pelotão e termina em terceiro, atrás de Bardet

Pogacar comemora a vitória da Liège-Bastogne-Liège 2024 Foto: Gaëtan Flamme

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação/ASO

Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) conquistou neste domingo (21 de abril) a vitória de sua sexta clássica Monumento, depois de vencer três vezes a Il Lombardia, uma vez o Tour de Flanders e, agora, ser bicampeão da Liège-Bastogne-Liège, que havia faturado em 2021.

Com um ataque a 34,8km da meta, na subida La Redoute, o esloveno conquistou mais uma vitória solo. Encerrou a disputa de 254,5km com o tempo de 6h13min48s, vantagem de 1min39s sobre Romain Bardet (Team dsm-firmenich PostNL), que buscou o segundo lugar também com um ataque solo no Côte de la Roche-aux-Faucons.

O campeão mundial Mathieu Van der Poel (Alpecin Deceuninck), um dos favoritos, ficou para trás após uma grande queda no pelotão e fez uma corrida de recuperação para conseguir encerrar em terceiro, a 2min02s, decidido no sprint. Na mesma queda, quem também ficou para trás foi Tom Pidcock (Ineos Grenadiers), que terminou em 10º, também a 2min02s.

Após ficar para trás por causa de uma queda no pelotão, MVDP terminou em 3º Foto: Gaëtan Flamme

Pogacar cruzou a linha com os braços apontados para o céu em homenagem à sua falecida sogra enquanto comemorava a vitória. “Foi muito emocionante para mim, o dia todo pensei na mãe de Urška (Žigart, sua companheira), dois anos atrás, quando tivemos que voltar para casa, e no ano passado, quando quebrei a mão aqui. De qualquer forma, os últimos dois anos foram realmente difíceis. Hoje corri para a mãe de Urška e estou muito feliz por finalmente poder vencer novamente esta bela corrida”, disse Pogacar.

Sobre a disputa, Pogacar comentou: “Foi um dia difícil desde o início, mas continuamos pressionando muito. Fizemos um bom ritmo, por isso nos mantivemos um pouco mais aquecidos”, falou o esloveno. No início do dia os termômetros marcavam quatro graus Celsius.

Pogacar, com Bardet e MVDP no pódio Foto: Gaëtan Flamme

Quando o pelotão deixou Liège, os ataques começaram quase imediatamente. Um grupo com Gil Gelders (Soudal Quick-Step), Rémy Rochas (Groupama-FDJ), Enzo Leijnse (dsm-firmenich PostNL), Cristian Scaroni (Astana Qazaqstan), Lilian Calmejane (Intermarché-Wanty), Iván Romeo (Movistar), Fabien Doubey, Paul Ourselin (ambos TotalEnergies) e Loïc Vliegen (Bingoal WB) rapidamente abriu uma vantagem de três minutos.

Após cerca de uma hora de corrida, a chuva atingiu o pelotão e deixou o dia ainda mais frio. Na primeira subida, a Côte de Bonnerue, Ourselin assumiu o sprint KOM enquanto o grupo escapado mantinha uma liderança constante, que seguiu assim durante grande parte dos primeiros 100 km, com a diferença aumentando para quatro minutos e meio.

Nos 140 km finais, no Côte de Saint-Roch, a diferença começou a diminuir, enquanto a UAE Team Emirates pressionava a frente do pelotão. Faltando 100 km, a diferença caiu para um minuto e meio, com as subidas decisivas consecutivas se aproximando.

Logo depois, em um trecho estreito da estrada, vários caíram e dois terços do grupo ficou atrás e teve que parar, incluindo Van der Poel e Pidcock. Todos os afetados se levantaram e começaram a pedalar novamente. Van der Poel se viu em um grupo a 45s do pelotão principal, com seu companheiro de equipe Oscar Riesebeek trabalhando duro para trazê-lo de volta, mas 10 km depois eles ainda estavam com o mesmo tempo.

Um problema na bike fez Pidcock deixar o grupo de Van der Poel e a diferença seguiu aumentando. No Côte de Stockeu, a equipe UAE estava num ritmo feroz na subida, com Pogacar na frente. A caminho dos 40 km finais, Domen Novak liderou a subida de 1,5 km, abrindo caminho para seu líder.

Pogacar no momento do ataque decisivo Foto: Gaëtan Flamme

Faltando 900m para a subida – 34,8km para o fim – Pogacar começou seu esperado ataque, com Richard Carapaz (EF Education-EasyPost) na tentativa de responder. Chegando ao topo oficial da subida, a vantagem do esloveno já estava em mais de 10 segundos.

A diferença aumentou rapidamente e era de quase um minuto a 30 km do fim. O grupo que se estabeleceu atrás, bastante grande, com Pidcock, Egan Bernal, Skjelmose, Ben Healy e Tiesj Benoot seguiu forte. Healy e Romain Bardet atacaram, acompanhados por Benoît Cosnefroy (Decathlon AG2R Mondiale) e Romain Grégoire (Groupama-FDJ). Este quarteto conseguiu uma vantagem de cerca de 20 segundos sobre o terceiro grupo, com Van der Poel.

A 20 km do fim, a vantagem de Pogacar aumentou para um 1min20s. No Côte de la Roche-aux-Faucons, última subida do dia, os escapados viram Bardet acelerar no topo da subida e seguir sozinho em busca do segundo lugar. Nos 6 km finais, Van der Poel já estava no grupo principal de perseguição e conseguiu o último lugar do pódio na meta.

RESULTADO

Results powered by FirstCycling.com

A CHEGADA

MELHORES MOMENTOS

Prova feminina

Grace Brown comemora sua esperada vitória, após dois anos em segundo lugar Foto: Billy Ceusters

Na Liège-Bastogne-Liège Femmes, a prova das mulheres, a australiana Grace Brown (FDJ Suez), depois de duas vezes vice-campeã, em 2020 e 2022, finalmente conseguiu sua primeira vitória. Elisa Longo Borghini (Lidl-Trek) e Demi Vollering (SD Worx-Protime) ficaram em 2º e 3º.

RESULTADO

Results powered by FirstCycling.com


ÚLTIMO KM

 

LEIA MAIS
Liege-Bastogne-Liege no Bikemagazine

Site oficial do evento