Shimano trabalha em novo grupo eletrônico de 13 velocidades sem fio

HomeTecnologia

Shimano trabalha em novo grupo eletrônico de 13 velocidades sem fio

Pedido de patente revela detalhes importantes daquele que poderá ser o primeiro grupo eletrônico de 13 velocidades com trocas de marcha wireless

Do Bikemagazine

Um pedido de patente sinaliza que a Shimano prepara um novo grupo eletrônico de 13 velocidades. O vazamento foi noticiado pelo perfil do Instagram @bettershifting e dá pistas de como pode ser o lançamento da Shimano que ainda não tem data para chegar ao mercado.

Os desenhos revelam que o sistema deverá ser o primeiro da marca a usar um sistema sem fio, diferente do atual Dura-Ace Di2 9200 que utiliza um sistema misto, ainda com fios.

No câmbio traseiro é possível ver a porta para a recarga da bateria

Se chegar ao mercado, o novo produto da Shimano será o primeiro grupo eletrônico de 13 velocidades sem fio. A Campagnolo e a Rotor possuem grupos de 13 velocidades, ambos mecânicos.

Os desenhos do pedido de patente mostra que o câmbio traseiro e o dianteiro têm espaço interno previsto para acomodar baterias recarregáveis, que dispensaria conexões com fio com a bateria como é atualmente os diversos grupos eletrônicos Di2 de estrada, gravel e mountain bike.

Se chegar ao mercado, o novo produto será o primeiro grupo eletrônico de 13 velocidades sem fio

Especula-se que o novo grupo de 13 velocidades será lançado primeiramente em uma versão top de linha para road bikes. Entretanto, a presença do sistema de embreagem como mostram alguns desenhos sugere que o gravel e o mountain bike receberão a nova tecnologia futuramente.

Outro detalhe importante que mostram os desenhos é o câmbio dianteiro, totalmente sem fios, que revela a possibilidade do novo grupo ser capaz de operar com duas coroas. O câmbio traseiro por sua vez deverá utilizar o sistema de gancheira universal UDH lançado pela Sram em 2020.

O câmbio traseiro deverá utilizar o sistema de gancheira universal UDH lançado pela Sram em 2020

Vale ressaltar que nem todos os pedidos de patente se transformam efetivamente em lançamentos que eventualmente chegam ao mercado. Grandes empresas estão sempre trabalhando em pesquisa e desenvolvimento e é natural que novas patentes surjam o tempo todo.

Giro d-italia